quinta-feira, 24 de março de 2011

TV CRÍTICA - NOVELA TI TI TI


Em 19 de julho de 2010 a Rede Globo de Televisão estreiava mais uma novela do horário das 19h, "TI TI TI". Foi paixão à primeira vista. Eu que assistí a primeira versão há 26 anos, fiquei um pouco decepcionado com a escolha do par de protagonistas, Alexandre Borges e Murilo Benício, porque fazer personagens interpretados por Luís Gustavo e Reginaldo Faria, não seria uma tarefa fácil.

É começando por eles que inicio a minha crítica deixando bem claro que sou fã dos dois. Acredito que o Borges levou a melhor com o seu Jacques Leclair, apesar do seu histrionicismo, roubou a cena diante do Benício, que apesar de ter talento, repetia as mesmas caras e bocas na tristeza e na alegria (se é que me entendem), rs.

A seguir, quero destacar os artistas que realmente fizeram a diferença com suas personagens e que consagraram mais um sucesso no horário das sete da Globo.

Aulas de interpretação com Nicete Bruno, Regina Braga, Giulia Gam, Luís Gustavo e Marcos Frota. São figurões da tv e arrebentaram. Tato Gabus e Marco Ricca cumpriram seus papéis.
A nova geração deu um show quando teve oportunidade. Entre os destaques estão: Isis Valverde (Marcela) com seu sotaque mineiro, conquistou a minha admiração pelo seu talento. Armando Babaioff (Thales) apesar de ter entrado na reta final, mostrou que tem talento de sobra, apesar de não ser aproveitado o suficiente na Globo. Palmas também para a "bichinha" enjoada do André Arteche, dosou a personagem sem cair no estereótipo dos papéis gays da tv. Maria Helena Chira (Camila Bianchi) com sua patricinha foi no ponto. Esperava mais do Caio Castro, mas ele é novo e tem muito chão ainda pra correr.

Antes de continuar destacando, não posso deixar de falar sobre as atuações pífias da Guilhermina Guinle que está longe de ser uma grande atriz (vai ter que ralar muito ainda), com um papel incrível nas mãos, fez uma vilã que não me convenceu.

Não gostei também da Malu Mader, parecia que estava ali apenas curtindo trabalhar com um grande elenco, mas a sua Suzana não convenceu. Era ela mesma e ponto.

Pra finalizar, quero destacar três grandes estrelas que brilharam e nos emocionaram:

Christiane Torloni com toda sua elegância e classe, atuou na dose certa como Rebeca Bianchi. Sua doçura como mãe e sua paixão discreta pelo Gino, dignas de uma estrela de primeira grandeza.
Dira Paes, tinha acabado de sair de uma personagem tão engraçada em Caminhos das Índias, pra viver a Marta, uma mulher sofredora. Parecia uma outra atriz em cena. É impressionante seu talento.
Quem vai esquecer Jaqueline Maldonado? Indiscutivelmente a novela foi da Cláudia Raia. Ela arrebentou! Jogou em todas as posições proporcionando momentos inesquecíveis. Com certeza, sua personagem vai figurar com uma das melhores atuações da tv brasileira. Seu talento é proporcionalmente gigante ao seu tamanho, rs.

Parabéns ao texto da Maria Adelaide Amaral e toda a sua equipe de colaboradores e ao Jorge Fernando & Cia., mostrando porque é um dos melhores diretores da nossa televisão.
A Globo vai preparar uma nova versão para Cambalacho. Qualquer novidade, publico aqui, ok?
Beijo e cheiro no coração.

0 comentários:

Postar um comentário

Ofensas não serão publicadas.