QUINTO CAPÍTULO

0
De Warlen Pontes
TERÇA,
6 DE ABRIL, 2011




SÃO 10 HORAS DA MANHÃ.
GABINETE DO COPASTOR RIVALDO.


PR. RIVALDO E SUA MÃE, RIBERILDA, CONVERSAM.
(Rivaldo) – Mamãe, um mês se passou da morte da tia Riberilda… 
a sra. está bem?
(Riberilda) – É difícil, meu filho, Riba era uma pessoa muito querida por nós. Agora tem esse negócio de segredo que todo mundo fica comentando pelos cantos. A Freda e a Valéria não tocam noutro assunto…
(Rivaldo) – É um assunto que não sai da moda entre elas.
(Riberilda) – A sua tia era assim também, cheia de mistérios… 
desde pequena, adorava uma fofoquinha, um segredinho…
(Rivaldo) – Mãe, a senhora não teve vontade de ter outros filhos?
(Riberilda) – Queria ter tido uma menina, mas seu pai, muito danado né, preferiu por fazer a vasectomia depois de você.
(Rivaldo) – Sério? Meu pai é vasectomizado? Isso é novidade pra mim.
(Riberilda) – É filho, seu pai era muito namorador, puxou ao véi safado do pai dele. Dona Crisolina reclamava muito dele.
(Rivaldo) – Eu também penso em fazer, mas eu queria outro filho, ou filha, mas Rosângela não quer agora.
(Riberilda) – Acho que dois é o ideal. Um casalzinho é legal. 
Mas, e a igreja, como anda?

SÃO 11 HORAS DA MANHÃ.
NO ESCRITÓRIO DO HORTIFRUTI SABORES DE COPA.

FREDA, VALÉRIA E MARIA MARIA CONVERSAM COM SERAFIM.
Serafim fica surpreso em ver as três filhas juntas.
Eles se cumprimentam e se abraçam.
Serafim fica tonto.
Elas se preocupam.
Maria corre e pega um copo com água.
Entrega a ele.
Ele bebe.
Elas trocam olhares preocupadas.
(Fedra) – Pai, quer nos matar de susto?
(Serafim) – Não foi nada, filha.
(Valéria) – Como não foi nada?
(Maria Maria) – O sr. está melhor?
(Serafim) – Obrigado Maria. Estou melhor sim.
(Freda) – Quando foi o seu último check up, seu Serafim?
(Serafim) – Dra. Freda, nem sei quando…
(Maria Maria) – Pai (passando a mão em seu rosto carinhosamente)… 
o sr. tem que se cuidar… a mamãe se foi… e o sr. tem que se cuidar.
(Serafim) – Eu vou me cuidar filha, pode deixar.
Mas… desde que sua mãe se foi… muita coisa se foi também…
(Freda) – Um segredo…
(Valéria) – Acho que não é hora e nem lugar para se tocar neste assunto, Freda.
(Maria Maria) – Concordo com Valéria, Freda.
(Freda) – Mamãe falou pra vc, não falou?
(Valéria) – Freda, para com este assunto!
(Freda) – Eu não vou parar com nada! 
Mamãe tinha um segredo, e o que eu fico p… da vida, é que não me contou nada! Mas pra Maria, a filhinha querida, ela contou, com certeza, não foi Maria?
SERAFIM COMEÇA A PASSAR MAL.
(Maria Maria) – No lugar de querer saber algo que não é da sua conta, chama um médico, papai não está bem!
Valéria desesperadamente liga para a emergência.

FIM DO QUINTO CAPÍTULO

ESTA É UMA OBRA DE FICÇÃO, 
QUALQUER SEMELHANÇA COM PESSOAS, HISTÓRIAS OU FATOS, 
TERÁ SIDO MERA COINCIDÊNCIA.
Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.