segunda-feira, 14 de maio de 2012

TERCEIRO CAPÍTULO

De Warlen Pontes
DOMINGO, 
4 DE MARÇO, 2011.

SÃO TRÊS HORAS DA TARDE.

SALA DE ESPERA DA CTI DO HOSPITAL PASSAGEM PARA A ETERNIDADE.
NA SALA ESTÃO: SERAFIM, RIBERILDA, BOANERGES, RONALDO, RIVALDO, FREDA, VALÉRIA, MARIA MARIA, REGINALDO E RODRIGO.

SERAFIM E BOANERGES CONVERSAM.
(Serafim) - E os chocolates, como estão?
(Boanerges) - A loja está de vento em popa. Nesta semana batemos todos os recordes, não entendi o porquê, nem é época de páscoa, dia das mães, essas datas comemorativas...
(Serafim) - Pois é, graças a Deus, as frutas tão indo muito bem. Vendemos muito. Importei umas frutas exóticas... você tem que ir lá conhecer.

REGINALDO E VALÉRIA.
(Reginaldo) - Sabe o que me deixa mais curioso Valéria?
(Valéria) - Não saber se a mamãe contou o segredo pra Maria?
(Reginaldo) - Você leu meus pensamentos...
(Valéria) - A sonsa disse que não. Você acreditou?
(Reginaldo) - Se ela disse não, então não contou, oras, por que ela mentiria?
(Valéria) - Nunca confiei na Maria, nunca! Claro que ela mente.

REGINALDO OBSERVA MARIA DE LONGE COM OLHAR SAFADO.
FREDA OBSERVA REGINALDO.
REGINALDO DISFARÇA AO PERCEBER QUE FREDA SACOU O SEU OLHAR.
MARIA DÁ UM SORRISINHO AMARELO.
RIBERILDA, FREDA E MARIA FALAM SOBRE O SEGREDO.

(Riberilda) - Sua mãe contou algo que a gente não sabe pra você esta noite Maria?
(Maria Maria) - Não tia. Ela... bem, ela queria contar uma coisa... mas eu não deixei. 
Pedi pra ela não contar. 
Ela insistiu, chamei a enfermeira... 
Foi uma noite bem difícil.
(Freda) - Bem difícil é? Perdeu dinheiro né fofis?
(Maria) - Não por isso Freda. 
Ela insistia em falar alguma coisa a noite inteira.
(Freda) - Claro, ela não contou, quer dizer, contou ou não contou?

SUSPENSE NO OLHAR. POR UM MOMENTO MARIA FECHA OS OLHOS.
UMA LÁGRIMA ESCORRE SOBRE O SEU ROSTO.
ELA SAI DE MANSINHO.
RIBERILDA E FREDA FICAM SOZINHAS.

(Freda) - Aí tem tia, aí tem.
(Riberilda) - Tem o que, Freda?
(Freda) - Mamãe contou alguma coisa e ela ficou assim...
Toda emotiva.
(Riberilda) - Pode ser.

RODRIGO Rocha, esposo de Valéria, RONALDO E RIVALDO.
RODRIGO COMENTA SOBRE A EMOÇÃO DE MARIA.
(Rodrigo) - A Maria estava conversando com dona Riberilda e a Freda e depois saiu chorando...
(Ronaldo) - O que será?
(Rivaldo) - Nada bom.
(Rodrigo) - E esse tal segredo da Edviges? Alguém tem uma ideia?
(Ronaldo) - Acho que não é nada demais. O pior, todos comentam só este assunto enquanto a tia tá quase morrendo... sofrendo pra caramba!
(Rivaldo) - Acho que tem alguma coisa sim, mas ninguém respeita a dor dela.
Mas nada fica encoberto ou oculto.



SÃO NOVE HORAS DA NOITE.
CULTO NA TENDA DA NUVEM DA BÊNÇÃO.
RIVALDO NO ALTO DO PÚLPITO PREGANDO.

- "Portanto, não os temais, pois nada há encoberto que não venha a ser revelado, nem oculto que não venha a ser conhecido".
Livro de Mateus, capítulo 10, verso 26.

(Geracina) - Tô com fome Paulínia. Não consigo tirar aquele salmão com molho de maracujá da cabeça...
(Paulínia) - E a torta bis? Pastor Rivaldo com essa história de oculto, de revelado, não sei não... quando eu fico pensando muito, me dá fome.
(Geracina) - Uma baita fome.
RISINHOS SARCÁSTICOS.
(Paulínia) - Quando chegarmos em casa, quero saber onde você escondeu os chocolates suíços viu?

REGINALDO, FREDA E ROSÂNGELA.
(Freda) - Você pensa que eu não percebi seus olhares pra Maria hoje?
(Reginaldo) - Eu? Você tá vendo coisas. 
Tá na hora de trocar as lentes de contato...
(Freda) - Rá, rá, rá... engraçadinho... você poderia me respeitar mais. 
Já que o nosso casamento acabou, tá na hora de você tirar o time de campo, não acha, sr Reginaldo?
(Reginaldo) - Bem propícia a mensagem do Rivaldo né?
(Freda) - Isso, muda de assunto, mas hoje, quando chegarmos em casa, a conversa vai ser outra.
(Reginaldo) - E o Rafael, você esqueceu do nosso filho?
(Freda) - Rafael vai dormir na casa do Ronaldo.
(Reginaldo) - Dá pra adiar pra amanhã essa conversa?
ROSÂNGELA CHAMA ATENÇÃO DOS DOIS.
- Xiiiiiiiiii... Vocês poderiam parar com essa discussão?
Daqui a pouco Rivaldo vai dá a palavra pra vocês.
(Reginaldo) - É ela Rosângela. Desculpe.

CIDA E IVÂNIA SÃO AS FOFOQUEIRAS DA IGREJA. 
ELAS COMENTAM TUDO, TUDINHO MESMO. 
NÃO DEIXAM PASSAR NADA.

(Cida) - E... olha lá... o Reginaldo e a Freda de novo... coisa feia.
(Ivânia) - Na casa do Senhor. E a palavra do Rivaldo bem no assunto deles, né? Oculto, encoberto...
(Cida) - No caso deles, já tá bem descoberto há muito tempo...
(Ivânia) - Viu a roupinha da Rosângela? Mulher de pastor, se veste mal né?
(Cida) - Que vestidinho chinfrim. Ganha horrores em casa de madames,  deve surrupiar um vestidinho aqui, outro ali...
(Ivânia) - Nossa, você é tão maldosa.
SORRISINHOS SARCÁSTICOS.
(Cida) - Você acha? Imagina, eu só fiz um comentário.
(Ivânia) - E a outra que morre e não morre?
(Cida) - Ouvi uma conversa... fonte segura. De hoje ela não passa. 
Tava mal, mal. Coitada, no fiofó né?
AS DUAS.
- Hummmmm. Deus é mais!
(Ivânia) - Mas mulher é tonta mesmo né? A outra pensa que o marido está querendo a cunhada, a cantora, mal sabe ela que quem ele pega é a outra irmã...
(Cida) - Pois é. Ih, quando isso estourar...
(Ivânia) - Eu quero assistir de camarote, e você?
(Cida) - Só se for na área VIP.
AS DUAS RIEM.
O PASTOR OLHA PRA ELAS.

PASTOR RIVALDO COMENTA.
- Acho que existem pessoas esta noite que querem compartilhar alguma coisa com a congregação no meu lugar, não é mesmo dona Ivânia?
Bem, ninguém engana a Deus. Quem pensa que engana a Deus está... pontinhos e mal pago.

DARLENE E DAVI SENTADOS JUNTOS.
(Darlene) - Davi, deve ser uma barra pro pastor né?
A tia no hospital e essa família nem aí pra ela.
(Davi) - Nem fala... mas, vamos prestar atenção no culto?
DARLENE OLHA PARA TODOS, UM A UM.

RAFAEL (FILHO DE FREDA E REGINALDO);
AMANDA (FILHA DE RODRIGO E VALÉRIA); 
OTÁVIO (FILHO DE RONALDO E MARILENE) E; 
ESTER (FILHA DE RIVALDO E ROSÂNGELA), SENTADOS JUNTOS.
(Rafael) - A gente podia, um dia, quem sabe, dá uma fugidinha à Lapa, o que acham?
(Amanda) - A tia tem uma voz linda!
(Otávio) - Vocês poderiam falar mais baixo?
(Ester) - Eu estou de acordo.
(Rafael) - Combinado então. Sexta todo mundo lá em casa.

O CULTO TERMINA. 
NA PORTA ESTÃO RIVALDO COM ROSÂNGELA, FREDA E REGINALDO.
RAFAEL, AMANDA, OTÁVIO E ESTER CONVERSAM.
RONALDO E MARILENE CONVERSAM COM DAVI E DARLENE.
AS IRMÃS CIDA E IVÂNIA FICAM DE LONGE ESPREITANDO.
O TELEFONE CELULAR DE FREDA TOCA.
ELA ATENDE.
FAZ UMA CARA DE TRISTEZA.
CIDA FAZ UM COMENTÁRIO:
(Cida) - Humm, pela cara, não é coisa boa.
(Freda) - O que foi Maria? 


QUAL FOI A NOTÍCIA RECEBIDA POR FREDA DE MARIA?
QUAL É O SEGREDO DE EDVIGES QUE NÃO SE FALA NOUTRA COISA NA FAMÍLIA?


FIM DO TERCEIRO CAPÍTULO.


ESTA É UMA OBRA DE FICÇÃO, 
QUALQUER SEMELHANÇA COM PESSOAS, HISTÓRIAS OU FATOS, 
TERÁ SIDO MERA COINCIDÊNCIA.

0 comentários:

Postar um comentário

Ofensas não serão publicadas.