NONO CAPÍTULO

0
De Warlen Pontes
DOMINGO,
15 DE MAIO, 2011

PRAIA DE COPACABANA
POSTO 4



CLÁUDIO ROBERTO, FUNCIONÁRIO DE VALÉRIA. 
REGINA E CRISTINA, FUNCIONÁRIAS DA LOJA DE CHOCOLATES.


(Cláudio Roberto) – Quer dizer então que o patrãozinho Ronaldo, quer dá uma chinelada na sua aranha?
(Cristina) – Que absurdo Cláudio Roberto! Isso é jeito de se falar!
(Regina Rindo muito) – A – do – re – i ! Chinelada foi tudo!
(Cláudio Roberto) – Tem outros nomes também… molhar o biscoito, afogar o ganso…
OS DOIS RIEM.


(Cristina) – Vocês estão muito engraçadinhos hoje, posso saber o motivo de tanta alegria?
(Cláudio Roberto) – Eu fiquei sabendo que a dona Valéria, minha patroinha amada, idolatrada, salve e salve… (pausa)
REGINA E CRISTINA ATENTAS EM CLÁUDIO ROBERTO.
PASSA UMA GOSTOSONA e CLÁUDIO ROBERTO SOLTA UMA PIADINHA.


(Cláudio Roberto) – Qué isso? Essa avenida é muito pequena pra essa limusine passar…
REGINA E CRISTINA COMENTAM.
– Nossa, como ele é cafona!
(Cláudio Roberto) – O que vocês disseram? Uma carona na limusine?
Infelizmente, apesar que a minha borracha seje muito boa, não vai dá pra chinelar todo mundo!
(Cristina) – Ô borracheiro! Ô chineleiro!
(Regina) – Vai concluir ou não vai o que você tava falando da Valéria, sua patroinha?
(Cláudio Roberto) – Apois, antão, eu descobri que a minha patroinha…
PASSA OUTRA GOSTOSA.
– Meu Deus, não dá pra ficar aki sentado e ver essas beldade passarem assim na frente da minha cara, não dá!
(Regina) – Cláudio Roberto, seu tarado anencéfalo! Você vai contar ou não?
(Cláudio Roberto) – Anen o quê?
(Cristina) – Esquece Cláudio, esquece!
Será que a gente vai ter que tirar você daqui, criatura!
(Regina) – Senta desse lado aqui. De costas pro calçadão.
(Cristina) – Boa ideia, Regina.
ELES TROCAM DE LUGAR A CONTRAGOSTO DE CLÁUDIO ROBERTO.


(Cláudio Roberto) – Ok, ok, vocês venceram!
AS DUAS RESPIRAM FUNDO.
VÊ HOMENS SARADOS JOGANDO FUTEVÔLEI.

(Regina) – O visual daqui está bem melhor. 
(Cláudio Roberto) – Ah não, assim não vale.
(Cristina) – Regina e Cláudio Roberto, vocês dois querem parar com essa p… aqui!
(Cláudio Roberto) – Bem, a dona Valéria tem um caso com o seu Reginaldo. 
Pronto, falei.
ELAS TROCAM OLHARES NÃO ACREDITANDO NO QUE OUVIRAM.
AS DUAS FALAM AO MESMO TEMPO.
– Babado!
(Cláudio Roberto) – Claro, eu vou ter que tirar proveito disso!
(Cristina) – Tirar proveito?
(Regina) – Certo, Cláudio Roberto, faça como eu!
OS DOIS APERTAM AS MÃOS.

FIM DO NONO CAPÍTULO

ESTA É UMA OBRA DE FICÇÃO, 
QUALQUER SEMELHANÇA COM PESSOAS, HISTÓRIAS OU FATOS, 
TERÁ SIDO MERA COINCIDÊNCIA.
Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.