segunda-feira, 4 de junho de 2012

NONO CAPÍTULO

De Warlen Pontes


DOMINGO,
15 DE MAIO, 2011


PRAIA DE COPACABANA
POSTO 4


CLÁUDIO ROBERTO, FUNCIONÁRIO DE VALÉRIA. 
REGINA E CRISTINA, FUNCIONÁRIAS DA LOJA DE CHOCOLATES.


(Cláudio Roberto) - Quer dizer então que o patrãozinho Ronaldo, quer dá uma chinelada na sua aranha?
(Cristina) - Que absurdo Cláudio Roberto! Isso é jeito de se falar!
(Regina Rindo muito) - A - do - re - i ! Chinelada foi tudo!
(Cláudio Roberto) - Tem outros nomes também... molhar o biscoito, afogar o ganso...
OS DOIS RIEM.


(Cristina) - Vocês estão muito engraçadinhos hoje, posso saber o motivo de tanta alegria?
(Cláudio Roberto) - Eu fiquei sabendo que a dona Valéria, minha patroinha amada, idolatrada, salve e salve... (pausa)
REGINA E CRISTINA ATENTAS EM CLÁUDIO ROBERTO.
PASSA UMA GOSTOSONA e CLÁUDIO ROBERTO SOLTA UMA PIADINHA.


(Cláudio Roberto) - Qué isso? Essa avenida é muito pequena pra essa limusine passar...
REGINA E CRISTINA COMENTAM.
- Nossa, como ele é cafona!
(Cláudio Roberto) - O que vocês disseram? Uma carona na limusine?
Infelizmente, apesar que a minha borracha seje muito boa, não vai dá pra chinelar todo mundo!
(Cristina) - Ô borracheiro! Ô chineleiro!
(Regina) - Vai concluir ou não vai o que você tava falando da Valéria, sua patroinha?
(Cláudio Roberto) - Apois, antão, eu descobri que a minha patroinha...
PASSA OUTRA GOSTOSA.
- Meu Deus, não dá pra ficar aki sentado e ver essas beldade passarem assim na frente da minha cara, não dá!
(Regina) - Cláudio Roberto, seu tarado anencéfalo! Você vai contar ou não?
(Cláudio Roberto) - Anen o quê?
(Cristina) - Esquece Cláudio, esquece!
Será que a gente vai ter que tirar você daqui, criatura!
(Regina) - Senta desse lado aqui. De costas pro calçadão.
(Cristina) - Boa ideia, Regina.
ELES TROCAM DE LUGAR A CONTRAGOSTO DE CLÁUDIO ROBERTO.


(Cláudio Roberto) - Ok, ok, vocês venceram!
AS DUAS RESPIRAM FUNDO.
VÊ HOMENS SARADOS JOGANDO FUTEVÔLEI.
(Regina) - O visual daqui está bem melhor. 
(Cláudio Roberto) - Ah não, assim não vale.
(Cristina) - Regina e Cláudio Roberto, vocês dois querem parar com essa p... aqui!
(Cláudio Roberto) - Bem, a dona Valéria tem um caso com o seu Reginaldo. 
Pronto, falei.
ELAS TROCAM OLHARES NÃO ACREDITANDO NO QUE OUVIRAM.
AS DUAS FALAM AO MESMO TEMPO.
- Babado!
(Cláudio Roberto) - Claro, eu vou ter que tirar proveito disso!
(Cristina) - Tirar proveito?
(Regina) - Certo, Cláudio Roberto, faça como eu!
OS DOIS APERTAM AS MÃOS.


FIM DO NONO CAPÍTULO

ESTA É UMA OBRA DE FICÇÃO, 
QUALQUER SEMELHANÇA COM PESSOAS, HISTÓRIAS OU FATOS, 
TERÁ SIDO MERA COINCIDÊNCIA.

0 comentários:

Postar um comentário

Ofensas não serão publicadas.