sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Qual é a graça de PÉ NA COVA?

foto: reprodução

seriado PÉ NA COVA - TV CRÍTICA


"Quem não tem medo da vida 
também não tem medo da morte."
Arthur Schopenhauer

Entre caixões, coroas de flores e defuntos, a Rede Globo estreou, há três semanas, o seu mais novo seriado das noites de quinta, do ator, cantor, diretor, bailarino, etc e etc: Miguel Falabella.

Para quem achou que PÉ NA COVA seria uma espécie de FAMÍLIA ADAMS tupiniquim ou uma sátira da premiada série da HBO, SIX FEET UNDER (A SETE PALMOS), enganou-se redondamente, pois não é nenhuma coisa, nem outra.  

Desta vez Miguelito não escracha no humor. Ele faz um sujeito chamado Gedivan Pereira, vulgo Ruço - com cedilha 'mermu'. Falabella está diferente de tudo que já fez na telinha, até agora. Ruço fala errado, filosofa e é dono de uma funerária localizada no bairro do subúrbio carioca, Irajá. O loiro está até mais contigo nos trejeitos.

Depois do filme POLARÓIDES URBANAS, o seriado A VIDA ALHEIA, a novela AQUELE BEIJO e o musical teatral HELLO DOLLY, Marília Pera repete mais uma vez sua parceria com Miguel. Brilhante como sempre, rouba a cena com a sua Darlene, a maquiadora dos mortos da FUI (Funerária Unidos do Irajá), e ex-esposa do protagonista. 

Ela está de volta à casa depois de uma passagem por uma clínica de reabilitação para alcoólatras. Está sempre com um cigarro - que nunca traga - um copo na mão e aproveita para roubar os falecidos. 

Além de Ruço e Darlene, estão os filhos do casal: Odete Roitman (Luma Costa), uma stripper de internet e Alessanderson (Daniel Torres), um pseudo-candidato a vereador e aprendiz de político.

Mais tipos bizarros compõe o elenco de PÉ NA COVAO motorista Juscelino (Alexandre Zacchia) papel escrito originalmente para o Ney Latorraca; a empregada Adenóide, interpretada pela eficiente Sabrina Kogut; as donas da carrocinha, "As Cachorras Quentes" e irmãs gêmeas, Soninja (Karin Hils) e Giussandra (Karina Marthin), de "cores" diferentes; a namorada ninfeta do Ruço, Abigail - Bibi (Lorena Comparato); a tresloucada Luz Divina (Eliana Rocha); a Bá, ex-babá do Ruço (Niana Machado) e o Floriano (Rubens de Araújo). Os irmãos mecânicos, Marcão de dia e Markassa à noite (Maurício Xavier) e a lésbica, Tamanco (Mart'nália), destoando do resto do cast com as mesmas caras, bocas e a péssima dicção. 

MAGDAS E ISADORAS
A morte é apenas o pano de fundo de PÉ NA COVA, mas não é o seu cerne. Fala de preconceito, suas personagens abusam dos erros de português e da ignorância; não existe uma pessoa sequer que corrija as bobagens ditas pela família. Todos são "Magdas" ou "Isadoras", dos seriados SAI DE BAIXO e TOMA LÁ DÁ CÁ, respectivamente.

Fica a impressão que no subúrbio todo mundo fala errado e que as pessoas são burras, nesse ponto, o seriado derrapa feio. Há de se existir um elemento que rompa esse paradigma, mas com humor e sem didatismo. 

Mas qual é a graça de PÉ NA COVA? Talvez a graça esteja na coragem de viver a vida sem ter medo da morte, com todas as suas dificuldades, todas as suas loucuras, como disse Ruço no encerramento do primeiro episódio: "Não é o mundo que eu desejei, o mundo que eu sonhei, mas é o mundo que eu tenho. A família é o último refúgio neste mundo cada vez mais sem coração." Dá para rir de tudo isso?

PÉ NA COVA
Todas as quintas depois de BBB 13

Um seriado de
Miguel Falabella

Escrito por 
Alessandra Peggi
Antônia Pellegrino
Artur Xéxeo
Flávio Marinho
Luiz Carlos Góes
Miguel Falabella

Roteiro Final
Miguel Falabella

Direção
Cris D'Amato
Cininha de Paula

Direção Geral
Cininha de Paula

Núcleo 
Roberto Talma


Tags
#PénaCova #MiguelFalabella
#MaríliaPera #RedeGlobo
#KarinHills #LumaCosta
#DanielTorres #Martnália


Abertura de PÉ NA COVA

 


Siga
 TVaBORDO 

5 comentários:

Postar um comentário

Ofensas não serão publicadas.