quarta-feira, 6 de março de 2013

O$ CARA$ DE PAU DA FÉ - QUINTO CAPÍTULO

De Warlen Pontes

QUINTO CAPÍTULO

Domingo, 10h da manhã.
Na sala de jantar de Osvaldinho. 
Osvaldinho e Adelene tomam o café da manhã.
Osvaldinho "possesso" ler a manchete do jornal.
"Pastor do sertão desafia Osvaldinho em sua própria casa"
(Osvaldinho) - Absurdo ululante! Quem que esse jornalistazeco pensa que é? Como pode me desafiar assim? Eu sou Osvaldinho Caruaru? Olha o que ele diz aqui... como ele ficou sabendo de tudo isso?
(Adelene) - Calma, meu filho, tome seu leitin, tomi!
(Osvaldinho) - Isso é coisa da sua filha, Adelene! Você não impõe limites para essa minina! Ai se eu encontro com ela...
Entra Carolina e completa a frase de Osvaldinho.
(Carolina) - Bom dia pra você também, meu caro padrastro! Encontra com quem? Comigo?
Ela se senta à mesa.
(Adelene) - Não provoque Osvaldinho, minha filha.
(Osvaldinho) - Aquele vídeo de onthi! É obra sua e daquele jornalitazeco, não é?
(Carolina) - Obra minha? Eu tenho cara de pedreira, por acaso? Ela ri.
(Osvaldinho) - Muito engraçadinha, a senhora, isso não vai ficar baratu! Tá ouvindo?
(Carolina) - Nem a morte do meu pai! Tá ouvindo?
(Adelene) - O que você está dizendo, Carol?
(Carolina) - Mainha, apareceu uma testemunha nova no caso do acidente do meu pai! Desta vez, vamos saber realmente o que aconteceu e não adianta subornar mais ninguém, tá ouvindo, Osvaldinho?
(Adelene) - Minha filha, você desenterrou essa história de novo?
(Osvaldinho) - Essa minina é louca! Temos que interná-la num hospício!
(Carolina) - Louca, eu? Hahahaha! Eu estou bem lúcida, queredooooooooo! E vamos ver quem vai ganhar essa?

Fachada do jornal NOVA CABROBÓ INFORMA

Na redação do jornal NOVA CABROBÓ INFORMA.
Alexandre Carlos saboreia a matéria de primeira capa sobre Osvaldinho. Ao seu lado, Ana Paula, a editora do jornal.
(Ana Paula) - Será que ele vai reagir?
(Alexandre) - E você tem dúvida, minha cara, editora?
(Ana Paula) - Não tenho, mas queria imaginar como será essa reação? O que será que ele vai alegar na pregação? Ou será em algum veículo midiático?
Eles riem.
Entra André, um repórter com uma matéria bombástica.
(André) - Pessoal, olha essa matéria que eu acabei de apurar!
(Alexandre) - Pelo visto, dever ser muito interessante!
(André) - Põe interessante nisso, Ana, Alexandre, olhem isto!
(Ana pega o jornal) - Pastor abusava de fiéis dizendo que Jesus pediu para que distribuísse leite sagrado, o quê?
(Alexandre) - Como é que é? Só em Nova Cabrobó isso acontece mesmo.
(Ana entrega o jornal a André) - Leia tudo, André, por favor.
(André) - O pastor Valdivino Sobrinho, de 59 anos, foi preso sob a acusação de que abusava sexualmente das mulheres utilizando o pretexto que teria o pênis abençoado. Uma das vítimas declarou: "Ele nos convencia de que Deus só entraria em nossa vida pela boca e por isso nós deixávamos ele fazer o que fazia", C.A., de 23 anos, que prefere não se identificar. "Muitas das vezes (sic), após os cultos, o Pastor Valdivino nos levava para um terreno nos fundos da igreja e pedia para a gente fazer oral nele até o espírito santo aparecer por meio da ejaculação", completou a jovem desolada.
(Ana) - Quanta ingenuidade...
(André) - Ele também chegou a abusar de algumas idosas e se defende falando que teve um encontro com Jesus num bordel e que Ele lhe deu a missão de "distribuir o leite sagrado" por todo o estado, começando pelos fiéis da Assembléia de Nova Cabrobó, do qual é responsável.
(Alexandre) - Se Osvaldinho sabe de uma coisa desssa, ela vai acabar com a Assembléia de Deus na cidade. Já tô vendo ele falar em suas mensagens que a igreja dele é a melhor, a mais santa e que pastor da igreja dele não faz isso!
(Ana) - É bem por aí, Alexandre, mas conta mais, André. Tô adorando essa história! Ela ri.
(André) - Ele continua, vocês estão prendendo um servo do senhor e ainda se arrependerão disso! Espero poder continuar com o meu belíssimo trabalho dentro da prisão.
(Ana) - Belíssimo trabalho? Gente, quem prendeu? Será que foi a delegada Helô? Com ela não tem moleza, não?
(André) - Isso mesmo, Ana, Helô Silveira, a delegada responsável pelo caso, diz que Valdivino foi pego em flagrante enquanto esfregava seu membro no rosto de uma comerciante local, em que prometia ter mais vendas em seu negócio caso deixasse se derramada pelo líquido divino.
(Alexandre) - Imagina, Ana Paula, a cara da delegada Helô com esse sujeito na sua frente?
(André) - Peraí, tem mais... a delegada Helô completa, quando autuamos o senhor Valdivino, ele não ofereceu resistência e ainda perguntou se eu queria fazer parte do reino dos céus durante o trajeto para a delegacia. 
Ana e Alexandre
- Como é que é?
(André) - Ele não tem vergonha de tais atos e acha tudo a coisa mais normal do mundo!
(Ana) - Qual foi o fim de tudo isso?
(André) - Valdivino pagou fiança e foi liberado após prestar três horas de depoimento.
Os três se entreolham e começam a rir.
(Alexandre) - Só em Nova Cabrobó mesmo.

Segunda, 8h da noite.
No escritório do dr. Abelardo, advogado de Carolina (entiada de Osvaldinho).
(Ludmila, filha de Gercivaldo) - Você tem certeza que vai mostrar essa testemunha para a Tereza Cristina?
(Dr. Abelardo) - Também acho arriscado... mas, Carolina pediu.
(Ludmila) - E onde ela está?
(Carolina) - Está lá dentro, escondido.
A campainha toca.
Dr. Abelardo vai atender, mas antes, olha pelo monitor da câmera de segurança.
(Dr. Abelardo) - Estranho, é uma senhora loira...
Carolina e Ludmila
- Loira?
Elas correm para ver o monitor de vídeo.
(Carolina) - Estranho, não conheço.
O celular de Carolina toca. É Tereza Cristina. Carolina atende e ouve ela dizer que está disfarçada com uma peruca loira para Osvaldinho não desconfiar. Ela desliga. Pede para o dr. Abelardo abrir que é a sua tia disfarçada. Tereza Cristina entra toda esbaforida e pergunta logo sobre a vítima. Dr. Abelardo se retira e vai buscar a testemunha. Tereza Cristina está muito tensa. Carolina e Ludmila desconfiam de tanta tensão e pedem para que ela fique calma. Quando a testemunha entra, Tereza Cristina se assusta. A testemunha olha para ela e...

FIM DO QUINTO CAPÍTULO

Será que a testemunha reconheceu Tereza Cristina?
Será que Tereza Cristina tem alguma coisa a ver com a morte do pai de Carolina e de Ludmila?

Não perca, dia 13, próxima quarta, o sexto capítulo de 

ESTA É UMA OBRA DE FICÇÃO,

QUALQUER SEMELHANÇA COM PESSOAS,

HISTÓRIAS OU FATOS, TERÁ SIDO, MERA COINCIDÊNCIA.


Curta TVaBORDO no FACEBOOK
Siga TVaBORDO no twitter

8 comentários:

Postar um comentário

Ofensas não serão publicadas.