O$ CARA$ DE PAU DA FÉ – DÉCIMO SEXTO CAPÍTULO

2
De Warlen Pontes

DÉCIMO SEXTO CAPÍTULO

No capítulo anterior:

Tereza Cristina na casa de sua amiga Gerusa. Elas conversam sobre um plano para desmascarar Osvaldinho Caruaru.
(Gerusa) – Nunca fui com a cara do seu irmão, você sempre soube disso! Aquilo nunca prestou! Fica escondido atrás daquele púlpito, mas na verdade, é um cara de pau! Ô vontade de quebrar aquela cara!
(Tereza) – Gê, amiga, eu te entendo perfeitamente e o nosso plano só vai dar certo se eu contar com duas pessoinhas muito especiais…
(Gerusa) – Quem, fia?
(Tereza) – As minhas sobrinhas do coração, Carolina e Ludmila. E sei também que, quando souberem da história da chantagem que fiz com o padrasto delas… vão ficar muito decepcionadas, você não acha?
(Gerusa) – Mas a sua chantagi, fia, foi por uma boa causa.
(Tereza) – É, mas nem sempre os fins justificam os meios, né, amiga?
(Gerusa) – Mas como você vai chegar até elas?
(Tereza) – Você vai me ajudar. Tô pensando no seguinte…
Sobe música enquanto Tereza Cristina confabula com Gerusa.

Na academia Corpo Ungido e Sarado

Hércules recebe uma ligação, no visor, Osvaldinho.
(Hércules) – Olá, saudades!
(Osvaldinho) – Eu também e preciso falar com você urgente! Gercivaldo está vindo pra cá! Precisamos conversar os três…
(Hércules) – Sua voz está tão estranha, o que houve?
(Osvaldinho) – Não posso falar por telefone. Assunto muito sério.
(Hércules) – Em 15min estarei aí. 
Osvaldinho desliga sem se despedir. Hércules pensa.
(Hércules) – Nossa! É sério mesmo. Tchau!
Hércules sai cantando pneu com o seu carro, um audi branco.


No escritório, após falar com Hércules, Adelene bate na porta e manda Osvaldinho abrir.
Adelene entra furiosa.

(Adelene) – Tenho uma coisa muito séria pra falar pra você, Osvaldinho…
(Osvaldinho) – Lovinha do meu coração!
(Adelene) – Nunca mais me chame de lovinha, viu?
Osvaldinho ajoelha-se aos pés de Adelene e implora seu perdão.
(Osvaldinho) – Eu imploro, lovinha, seu perdão! Foi um momento descabido e insano! Me perdoa, minha uvinha mais doce! Minha fruta do conde mais melada e gostosa…
Enquanto Osvaldinho vai falando, Adelene aos poucos derrete-se aos ouvir suas palavras.
(Adelene) – Tudo bem.
Osvaldinho se levanta e começa a beijar Adelene de maneira sensual e ela gosta.
(Adelene) – Não faça assim comigo, Osvaldinho. Você me deixa loucas, como a música da Elis!
(Osvaldinho) – É o que eu quero, minha uvinha mais saborosa! 
(Adelene) – Ai, homi, bom e gostoso! Vamu pro quarto agora, lovinho, vamu!
Osvaldinho com uma mão pega na bunda de Adelene e com a outra no seio. 
(Osvaldinho) – Então vá pro quarto! Já, já tow lá!
Eles se despedem depois de um beijo caloroso.




Na secretaria da Igreja Central das Mansões Celestiais

A nova secretária, dona Adriana, conversa com alguns membros.
(Adriana) – O nosso pastor é um exemplo de homem de Deus. Sério, zeloso, pai amoroso, marido fiel e leal. Defensor da família, da moral e dos bons costumes. Homem próspero e dedicado a Deus.
(Paulo) – Eu fui muito abençoado pelo Pr. Osvaldinho. Eu sei o quanto ele é um homem de Deus.
(Laiz) – Ministério como o do Pr. Osvaldinho não existe igual aqui na terra. Dinâmico, ungido e abençoado. Além de sermos prósperos financeiramente.
Todos dizem amém.


Na sala da Mansão de Osvaldinho. 

Carolina se esconde quando chegam Gercivaldo e Hércules. Uma mensagem recebida no celular de Gercivaldo, no visor, Osvaldinho.
(Gercivaldo) – Uma mensagem de Osvaldinho. “Estou dando uma chinelada na aranha de Adelene. Me espere no escritório”
Gercivaldo dá uma gargalhada. Hércules vê a mensagem e também dá uma gargalhada.
Os dois se dirigem ao escritório, mas antes, vão até a cozinha. Carolina mais que imediatamente vai até o escritório e procura um lugar para se esconder. O celular de Carolina toca, no visor, Ludmila.
(Ludmila) – Eles chegaram?
(Carolina) – Chegaram. Você não vem?
(Ludmila) – Me deu um piri-piri daqueles. Estou no trono, Carol, acredita?
(Carolina) – Também, não sei o que deu na sua cabeça de comer buchada de bode! Aff!
(Ludmila) – Comi tanto que o meu fiofó está com a bixinga táboca!
Carolina dá uma gargalhada enquanto Ludmila solto um pum estrondoso.
(Carolina) – Santo Pai do céu! Lud, vá até a farmácia e compra um remédio urgente! Preciso de você aqui, comigo. Estou muito preocupada com essa reunião.
(Ludmila) – Vou fazer isso. Desligo. Ai! (Solta outro pum barulhento)
Carolina fica escondida. Entram Hércules e Gercivaldo. Hércules senta no sofá enquanto Gercivaldo pega uma água para beber.
(Hércules) – O que está pegando, Gê?
Carolina fica admirada com a maneira íntima de chamar Gercivaldo.
(Gercivaldo) – A vaca da Tereza Cristina parece que fugiu do cativeiro.
(Hércules) – Mas, como?
(Gercivaldo) – Parece que um dos capangas foi seduzido pela Tereza Cristina.
(Hércules) – Aquela ali dá um caldo bom.
Gercivaldo não gosta do comentário. Entra Osvaldinho e tranca o escritório.
(Osvaldinho) – Quem dá um caldo bom?
(Gercivaldo) – Segundo Hércules, Tereza Cristina.
(Osvaldinho) – Quer pegar, gato?
Carolina estranha a maneira de Osvaldinho falar com Hércules e sem o sotaque.
(Hércules) – Se for para uma boa causa, eu pego.
(Osvaldinho) – Então, se prepara, talvez a gente precise de suas técnicas de sedução para pegar aquela vaca!
(Gercivaldo) – Mas, será que ela cai, Dinho?
Carolina também percebe que Gercivaldo fala sem sotaque.
(Hércules) – Mas onde ela está? Vocês sabem?
(Osvaldinho) – Já sabemos.
(Gercivaldo) – E a chinelada na aranha de Adelene?
(Osvaldinho) – Que nojo dessa mulher!
Uma lágrima cai do rosto de Carolina.
(Hércules) – Sacrifício necessário!
(Gercivaldo) – Tá na hora da gente meter o pé, Dinho.
(Osvaldinho) – Com o dossiê fora de cena, não vou meter o pé, Gê. Não vou mesmo! Agora, é pegar a vaca traidora da Tereza e continuar com o nosso plano…
(Hércules) – E o que você está planejando, meu…
Osvaldinho aproxima-se de Hércules, quase beijando-o. Carolina com lágrimas nos olhos, não vê nada. Silêncio total. Ela tenta espreitar e entender o porquê do silêncio e algo assustador acontece.


FIM DO DÉCIMO SEXTO CAPÍTULO

Qual será o plano de Gerusa e Tereza Cristina?
O que de assustador aconteceu naquele escritório que Carolina viu?

Não perca, 29, próxima quarta, o décimo sétimo capítulo de
O$ CARA$ DE PAU DA FÉ



ESTA É UMA OBRA DE FICÇÃO
QUALQUER SEMELHANÇA COM PESSOAS, 
HISTÓRIAS OU FATOS, TERÁ SIDO, MERA COINCIDÊNCIA.



Curta TV a BORDO no FACEBOOK
Siga TV a BORDO no twitter


Comentários do Facebook

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here