O$ CARA$ DE PAU DA FÉ – DÉCIMO TERCEIRO CAPÍTULO

2
De Warlen Pontes



 
DÉCIMO TERCEIRO CAPÍTULO
 
No capítulo anterior:



EM ALGUM LUGAR DE NOVA CABROBÓ.
Reunidos em um apartamento estão: Carolina, Ludmila, Alexandre, Rodrigo e Eduardo.
(Carolina) – Todo cuidado é pouco.
(Rodrigo) – Mas vocês tiveram acesso ao dossiê? O que ele dizia?
(Alexandre) – Tivemos acesso a algumas coisas. Encontramos uma conta de quase 100 milhões de dólares nas Ilhas Cayman em nome de Osvaldinho e Gercivaldo.
(Eduardo) – 100 milhões?
(Carolina) – Esta é a apenas uma das contas. Existem outras.
(Ludmila) – Outras?
(Carolina) – Sim, várias outras e com somas astronômicas.
(Alexandre) – Só que a gente perdeu essas informações. Eles estiveram no hotel para acabar com a gente. Foi horrível! Escapamos por pouco. E Tereza Cristina?
(Ludmila) – Tia Tereza Cristina continua desaparecida. Ligo no celular e só cai na caixa postal.
(Eduardo) – Meninas, e as suas mães, elas precisam saber da verdade. Vão contar?
(Ludmila) – Minha mãe não vai acreditar.
(Carolina) – Nem a minha.
(Rodrigo) – E agora, qual o próximo passo?
(Alexandre) – Começar a observá-los.
(Rodrigo) – Por que vocês não contratam um detetive particular?
(Alexandre) – Não sei se é o caso, eu ainda acredito que exista outra cópia desse dossiê por aí. Eu conhecia o Lobo muito bem, ele se cercava de todos os lados. Uma cópia vai cair em nossas mãos, vocês vão ver.
(Carolina) – Tomara.




MANSÃO DE OSVALDINHO

Na mesa de jantar, Osvaldinho, Adelene, Gercivaldo e Edviges.
(Adelene) – Lovinho, tem notícias de Tereza Cristina?
(Osvaldinho) – Falei com ela hoje.
(Adelene) – Ela vinha tomar café comigo hoje, mas não ligou, não justificou a ausência… ela nunca faz isso.
Gercivaldo olha sorrateiro para Osvalidnho.
(Osvaldinho) – Sabe como Tereza Cristina é, de lua, né, lovinha, de lua.
(Edviges) – Quando vamos viajar pastor Osvaldinho? Estou louquinha para gastar uns dóllar (risos)
(Gercivaldo) – Neste final de semana vamos para a Argentina.
(Edviges) – Adoro a Argentina! Nós vamos, né, Gê?
(Osvaldinho) – Edviges, vamos participar de uma conferência dos Homens do Negócio Pleno. Serei o preletor.
(Adelene) – Mais um motivo pra irmos. Cheio de homens de negócio, chiquetéssimu! E a esposa do preletor, lá, linda e loira
Todos riem.
(Osvaldinho) – Vamos todos!
Adelene e Edviges – Oba!
(Adelene) – Vou ligar agorinha mesmo pro salão. Quando a gente viaja?
(Osvaldinho) – Quinta-feira. A palestra é no sábado. Então, passeamos quinta e sexta.




NA CABANA RÚSTICA – INTERIOR DE NOVA CABROBÓ



Tereza Cristina está com a venda nos olhos, com as mãos amarradas e amordaçada.
Alguém entra. Essa pessoa tira a venda dos olhos e a mordaça da boca.
(Homem) – Trouxe comida.
(Tereza Cristina) – Moço, me tira daqui. Me liberta, vai! Eu faço o que você quiser.
(Homem) – O que eu quiser, é? Tipo o quê?
(Tereza Cristina) – Tipo, ah, sei lá, um sexo bem gostoso, o que acha? Ainda te dou uma grana. Quanto eles tão pagando pra você? Fala pra mim, vai! Eu pago o dobro.
O homem pega no rosto de Tereza Cristina e tasca um beijão nela.
(Homem) – Beijo gostoso.
(Tereza Cristina) – Gostou? Quer mais? Eu te dou muito mais.
(Homem) – 100 mil.
(Tereza Cristina) – Fechado. Mas você vai ter que me tirar daqui. Quantos homens vigiam a cabana?
(Homem) – Uns cinco.
(Tereza Cristina) – Tudo isso?
(Homem) – A senhora vale ouro.
(Tereza Cristina) – Então, vamos fazer assim…
Tereza Cristina planeja sua fuga com o capanga.


FIM DO DÉCIMO TERCEIRO CAPÍTULO



Será que Lobo realmente deixou mais uma cópia do dossiê?
O plano de fuga de Tereza Cristina vai dá certo?


Não perca, dia 8, próxima quarta, o décimo quarto capítulo de
O$ CARA$ DE PAU DA FÉ

ESTA É UMA OBRA DE FICÇÃO
QUALQUER SEMELHANÇA COM PESSOAS,
HISTÓRIAS OU FATOS, TERÁ SIDO, MERA COINCIDÊNCIA.


Curta TV a BORDO no FACEBOOK

Siga TV a BORDO no twitter

Comentários do Facebook

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here