quarta-feira, 4 de março de 2015

Vale a pena ver de novo: Quem é rei não perde a majestade


Reprise de REI DO GADO - TV CRÍTICA
Crítico convidado:
Albinno Oliveira Grecco

Os mais antigos sempre dizem que a voz do povo é a voz de Deus e, a prova disso, é a inegável audiência vespertina de O REI DO GADO no Vale a Pena ver de novo da Rede Globo.

Em apenas um mês, a novela novamente caiu nas graças do público que categoricamente (assim como eu!), prefere rever tramas antigas. Cabe ressaltar que essa é a terceira reprise (a primeira foi em 1999 e a segunda no Canal Viva, em 2011). A atração foi uma carta na manga para comemorar o jubileu de ouro da Globo.

A emissora carioca estava em apuros com a baixa repercussão de COBRAS E LAGARTOS. A história de João Emanuel Carneiro foi um fracasso. Qual teria sido o motivo? Vale lembrar que COBRAS foi um repentino sucesso em 2006 no horário das 19h. Alguns telespectadores reclamaram dos cortes que a novela sofria, fato que prejudicou a sua reapresentação. As aventuras de Foguinho (Lázaro Ramos) teve de ser condensada em virtude do horário.

Especulações à parte, a verdade é que a trama de Benedito Ruy Barbosa caiu nas graças do IBOPE. A trama de Ruy Barbosa marca 16 pontos (cada ponto equivale a 67 mil domicílios na cidade de São Paulo) enquanto que a sua antecessora cravava 11 pontos. E até aos mais jovens. Fenômeno absoluto nas redes sociais, é comum figurar nos trendings topics do microblog Twitter.

Exibida originalmente em 1996 no horário nobre, O REI DO GADO mostra em duas fases a rivalidade de duas famílias. Raul Cortez e Antônio Fagundes comandam brilhantemente essa disputa recheada por belas imagens, direção, fotografia impecáveis, textos simples e atuações maravilhosas. Dentre todos as personagens, destaco os atores Carlos Vereza, Tarcísio Meira, Eva Wilma, Stênio Garcia, Bete Mendes,  Walderez de Barros, Jackson Antunes, Ana Beatriz Nogueira, Oscar Magrini. Enfim, um verdadeiro show de toda equipe.

Outro destaque é a trilha sonora. Com a linda Patrícia Pillar na capa, o disco vendeu mais de um milhão de cópias com deliciosas canções como 'À primeira Vista', 'Admirável Gado Novo', entre outras. Foi um achado e um recorde de vendas para a SOM LIVRE, gravadora ligado ao Grupo Globo.

Em comparação às atuais produções, o povo prefere novelas antigas. Segundo uma entrevista feita por Maurício Stycer ao diretor Luiz Fernando Carvalho, os 'novelões' povoam o nosso imaginário coletivo: "o público prefere uma grande história e bem contada, contextualizada. Não seria isso que eles estão sinalizando? O tema não importa tanto assim, mas que seja contado com sensibilidade e excelência."; "(...) antes uma boa história de anos atrás do que uma novinha em folha com gosto de café requentado."
Espero que a 'poderosa' acate o desejo do povo e exiba novelas antigas. O freguês tem sempre razão! "Tô certo ou tô errado?!"

Fonte: UOL entretenimento

O REI DO GADO
Segunda a sexta, às 16h30
Depois da Sessão da Tarde
ALBINNO OLIVEIRA GRECCO escreve para
o OLHO VIVO
CURTA TV A BORDO
SIGA TV A BORDO

0 comentários:

Postar um comentário

Ofensas não serão publicadas.