quinta-feira, 2 de abril de 2015

Entrevista Guilherme Piva: "Redescobri um novo prazer em minha vida."

entrevista especial
GUILHERME PIVA
foto: arquivo pessoal

"A felicidade é um problema individual. 
Aqui, nenhum conselho é válido. 
Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz."
Freud


Redescobrir-se não deve ser fácil, ou melhor, não deve ser confortável, mas para o ator e diretor Guilherme Piva, foi um prazer. Dono de um talento ímpar, o intérprete do professor Edgar, da atual temporada da novela teen global MALHAÇÃO, conversou com o blog por telefone e abriu o seu coração.

Senhoras e senhores, GUILHERME PIVA.

TVaBordo - Quando aconteceu sua estreia no Teatro?
Guilherme Piva - Nunca sonhei em fazer teatro, seguir carreira, essas coisas. O teatro foi acontecendo na verdade, meio que por acaso. A minha estreia foi em 1989 com um espetáculo do Raul Pompeia chamado: O ATHENEU, no Rio de Janeiro.

TVaBordo - Qual é a sua formação acadêmica?
Guilherme Piva - Fiz o curso de Direito na UFRJ por indicação do meu pai, que é advogado, até o quinto semestre. Mas, já no segundo semestre, comecei a fazer teatro o que o assustou. isso gerou até um certo problema na época.

TVaBordo - Há um provérbio chinês que diz: "quem quiser chegar à nascente, tem que nadar contra a correnteza." Em algum momento da vida teve que nadar contra a correnteza? Quais foram as lições aprendidas?
Guilherme Piva - Nadei contra a correnteza quando escolhi a carreira. Meu único irmão, André Piva, é arquiteto, lida com a arte de certa forma. Mas na família existem médicos, advogados, nenhum artista. A família inteira estranhou quando decidi ser ator. Passei por perrengues, a família foi contra mas valeu a pena. Junto com a vocação veio o amor pela arte de representar.

TVaBordo - Você tem perfil no Facebook, no Instagram...
Guilherme Piva - Tenho Facebook e criei o Instagram faz pouco tempo, ano passado, trabalhando em MALHAÇÃO. Os meninos não entendiam como é que eu vivia sem o Instagram. Um dia, gravando a novela, eles fizeram um motim (risos) e criaram um perfil para mim. Postei umas oito fotos. Não é uma coisa que faz parte da minha vida, sabe? Uso para divulgar os meus trabalhos. Mas tem gente que adora, que vive disso, que ganha exclusivamente dinheiro com isso.  

foto: Fábio Magalhães/TV Globo
Professor Edgard de teatro em MALHAÇÃO, 2014/2015

TVaBordo - Você acha que as redes sociais ajudam ou atrapalham?
Guilherme Piva - Os dois (risos). Ajudam e atrapalham bastante também. É a evolução. Com a evolução tecnológica sempre vão existir os prós e os contras. Mas de uma maneira geral, acho bem positiva. Eu sou uma pessoa bastante apaixonada por essa evolução toda.

TVaBordo - Como lida com a fama?
Guilherme Piva - Existe uma grande diferença entre uma carreira artística e uma carreira de celebridade, mas existem pessoas que tentam juntar os dois. Para mim, a fama não atrapalha. Na verdade, eu não faço parte desse mundo de celebridade. Eu não sou um foco de paparazzi. Acho que tem quem tem isso é uma chatice, insuportável, é a pior parte da profissão. Agora, tem gente que gosta e tem espaço. Não estou criticando absolutamente ninguém, mas cada um busca o que acha melhor pra sua vida.

TVaBordo - Como foi sua estreia na TV? Houve algum medo ou alguma dificuldade?
Guilherme Piva - Houve sim um medo. Quando eu estreei na televisão eu já fazia teatro há uns 10 anos, já era bastante atuante. Eu sempre achei que eu não cabia na TV, mas o meu grande mestre, o diretor Walter Avancini, me ensinou coisas incríveis e que até hoje eu uso várias delas. Lembro de um comentário dele: "Guilherme, todo mundo cabe. A questão é quanto maior você fizer, mais verdade tem que ter. E sempre ter atenção no olhar." Foram dois anos intensivos com ele, as novelas XICA DA SILVA e MANDACARU, na extinta TV Manchete. Ensinamentos incríveis que fui seguindo e que até hoje eu sigo. 

foto: reprodução
Zé Maria em Xica da Silva, TV Machete

TVaBordo - Se você fosse destacar algumas personagens na TV, quais seriam e como você definiria cada uma delas?
Guilherme Piva - Cara, eu não gosto de destacar trabalho. Claro, XICA DA SILVA (1996/1997) eu costumo citar porque foi a minha primeira novela. Não só pelo papel que me deu muito prazer e muita dor também. Tudo foi muita novidade para mim. Eu fiquei muito tenso, porque eu nunca tinha feito essa coisa de decorar não sei quantas cenas e páginas num só dia e, no dia seguinte, todos os dias, sabe? Eu tinha o hábito de no teatro, pelo menos dois meses antes, preparar a personagem. Ali, apesar de tudo, é interessante, mas assusta e, ao mesmo tempo, foi prazeroso porque deu muito certo e eu estava aprendendo muito. Parece clichê o que eu vou dizer, mas não é. Quando eu faço um trabalho sou muito focado e dedicado. Qualquer trabalho. Fiz muito comercial, espetáculo infantil, etc. O atuar em todas as suas formas. Não importa. Eu gosto muito de trabalhar.  

TVaBordo - Que outro prazer você redescobriu na carreira?
Guilherme Piva - Eu sou uma pessoa muito investigativa. Uma certa época tive uma crise com a carreira. Dei uma parada, viajei para os Estados Unidos e parei uns quatro meses. Voltei e eu ainda estava me entendendo. Pensava no que eu queria fazer e nisso dirigi uma peça. Redescobri um novo prazer em minha vida. 

TVaBordo - Qual foi a peça escolhida para dirigir?
Guilherme Piva - Um monólogo baseado no romance homônimo de Moacyr Scliar, A MULHER QUE ESCREVEU A BÍBLIA, no qual ele ganhou o prêmio Jabuti. Foi adaptado pela Thereza Falcão e interpretado pela Inez Viana. A peça foi indicada e ganhou vários prêmios, ficou uns cinco anos em cartaz e, o jornal O GLOBO botou como uma das 10 melhores peças do ano. 


Banner A MULHER QUE ESCREVEU A BÍBLIA, 
direção de Guilherme Piva

TVaBordo - E não parou mais...
Guilherme Piva - Veio O PINTOR, de Donald Churchill adaptada pelo João Emanuel Carneiro, com o Gustavo Gasparini, Solange Badin e Antonia Frering. Ano passado dirigi COMO É CRUEL VIVER ASSIM, do Fernando Ceylão, com Inez Viana, Marcelo Valle, Álamo Facó e Letícia Isnard, que também teve indicações a prêmios. Houve críticas ótimas, enfim, estou investindo bastante nessa redescoberta. Tenho outros projetos, mas com MALHAÇÃO estou sem tempo. 

TVaBordo - Que conselhos você daria para aqueles que desejam seguir carreira artística?
Guilherme Piva - Estudar sempre. O estudo é fundamental. Mas que tipo de carreira você quer seguir? Você quer seguir uma carreira ou você quer ser famoso? Hoje em dia são coisas distintas. Primeiro você tem que ser apaixonada por ela. Tem uma diferença, porque quem começa a fazer se apaixona, não consegue largar. Não é fácil, é árdua, difícil. Não é uma carreira de glamour, dinheiro, fama, muito pelo contrário, principalmente porque nem todo mundo consegue ir para a televisão. O teatro é a parte mais difícil em termos financeiros. Mas é um prazer que não existe igual. Outra coisa, ter a persistência de passar por todos os percalços que vão acontecer. Apesar de todos eles, quando você está atuando é um prazer que compensa tudo.  

foto: reprodução

GUILHERME PIVA 
Caxias do Sul, 
em 29 de setembro de 1967

JOGO RÁPIDO

Ator e atriz
O Brasil é um celeiro de grandes atuações. Quando cito um ou dois cometo uma injustiça com os outros que adoro. Prefiro responder assim.

Novela
ÁGUA VIVA. Essa novela me despertou a vontade de vir morar no Rio de Janeiro que ainda não conhecia.

Filmes
Todos os filmes dos diretores que criaram a minha paixão, minha base de amor pelo cinema: Woody Allen, David Lynch, Ingmar Bergman, François Truffaut e Federico Fellini.

Livro de cabeceira
Agora estou lendo os livros do Haruki Murakami.

Personagem que gostaria de fazer
Um psicopata que fica mudando de identidade.

Se não fosse ator seria...
Alguma coisa relacionada a mente. Algo entre a psiquiatria e a neurociência. Adoro as publicações! Assino revistas sobre a profissão. Faço análise há 25 anos. Sou apaixonado por neurociência, cérebro. Vou a seminários de neurociência. Leio Lacan, Freud.

Música da minha vida...
Não tenho 'a' música, mas 'as' músicas! Digamos que minha música é um pot-pourri.

Defeito
Teimosia e paciência

Qualidade
Sou bom ouvinte, tento fazer com que ao meu redor tenha harmonia. Sou bastante focado e empenhado no meu trabalho também.

Me tira do sério
Filas e arrogância

Me deixa feliz
Amigos

Se pudesse viajar no tempo...
Viajaria para os anos 1920.

Meu sonho de consumo
Tentar viver cada vez melhor seguindo os meus princípios.

Religião
Budista

Amor 
Fundamental

Família
Aceitação

Um sonho
Ir à Lua

Ditado, frase ou verso
Não acorde o futuro porque ele pode lhe dar um presente sonolento.
Frank Kafka

Guilherme é um cara...
Em construção.

Mensagem aos fãs
Sejam felizes e aproveitem a passagem por essa vida pra deixar um planeta melhor pra quem chegar. 


#GuilhermePivaNoTVaBordo


Leia crítica sobre
 MALHAÇÃO



Leia mais sobre
 MALHAÇÃO




Curta
 TV a BORDO

0 comentários:

Postar um comentário

Ofensas não serão publicadas.