quinta-feira, 16 de abril de 2015

Maria Ceiça: "Estou cansada de ouvir dizer que não temos atores negros suficientes."

entrevista 
MARIA CEIÇA

foto: arquivo pessoal

No ar como a princesa Nayla da novela OS DEZ MANDAMENTOS, a atriz, cantora e produtora Maria Ceiça, conversou com o blog TV a BORDO sobre os quase 30 anos de carreira no cinema, no teatro e na TV, além de preconceito racial na telinha brasileira.

Desde pequena, Ceiça adora cantar e, aproveitando esse talento nato, vai estrear em maio, no Rio de Janeiro, o espetáculo POR DENTRO DA MÚSICA, uma viagem de cantos e contos que passeia por histórias de canções compostas por Gonzaguinha, Rita Lee, Dorival Caymmi, Cazuza, Adriana Calcanhoto, Chico Buarque, Joyce, entre outros.

Senhoras e senhores, Maria Ceiça.

TV - Você é formada pelo CEFET como técnica em eletricidade e trancou a faculdade de Engenharia Elétrica... Por que resolveu seguir essa carreira?
MC - Eu trabalhava na Light e, comecei a me dar conta que queria outra coisa, algo mais prazeroso e aí, nesta busca interior, me achei no teatro e na música que sempre fez parte da minha vida desde a infância.

TV - Você é atriz e cantora também, o que lhe dar mais prazer, cantar ou representar?
MC - As duas coisas me dão muito prazer. Cheguei a ficar na dúvida no início da minha carreira, mas preferi ser atriz, as oportunidades foram aparecendo.

TV - Existe alguém na família com carreira musical?
MC - Não, mas minha mãe cantava no coral da igreja, minha avó tocava violino e meu pai vivia cantando pela casa.

TV - Você se inspirou ou 'bebeu' de alguma fonte para ser cantora?
MC - Desde pequena me identifico muito com a música. Das mais antigas serestas que meu pai cantava, às músicas clássicas que ele tocava na vitrola antiga da nossa casa. Em vários momentos da minha adolescência 'fui' uma cantora. Fui Gal Costa, Elis Regina, Ella Fitzgerald e, até, Michael Jackson (risos). Aliás, estou ensaiando um espetáculo musical para estrear em maio que se chama POR DENTRO DA MÚSICA, que tem muito dessas inspirações e músicas que me emocionaram em vários momentos.


foto: Bete Calligaris

POR DENTRO DA MÚSICA
com Maria Ceiça, Osmar Milito, 
Ilka Villardo e convidados

TV - Como foi sua estreia no Teatro?
MC - Me formei na Escola de Teatro Martins Pena, aqui no Rio de Janeiro. Lá tive muitas oportunidades de trabalhar em várias peças ao longo da formação. Foi um período maravilhoso para a consolidação dos meus desejos de ser atriz. Eu trabalhava durante o dia na Light e, à noite, ia para a escola de teatro.

TV - Alguma história marcante para contar?
MC - Existe uma bem marcante. Na época, meus filhos eram pequenos e foi bem fácil conciliar tudo. Eu conversava com eles sempre explicando que eu fazia aquilo tudo para estudar e um dia ser atriz e, num dado momento de stress total, eu falei que ia largar tudo etc. Meu filho menor me falou para não largar, porque eu iria ser atriz. Olhar para ele naquele momento, me encheu de coragem para continuar.

TV - E a estreia na televisão, como aconteceu?
MC - A TV veio junto com o término da Escola de Teatro. No meu último período, soube pelos colegas, que a TV Globo iria fazer uma novela sobre a escravidão. Comecei no elenco de apoio da novela PACTO DE SANGUE com uma personagem já marcante. Recebi elogios do diretor Herval Rossano e, fui muito bem recebida pelas atrizes da novela: Ruth de Souza, Zezé Motta e Sandra Annenberg; Tive até cenas cantando; aliás, em outra novela, FERA FERIDA, também cantei e gravei no CD da trilha sonora da novela. Toda vez que a Engrácia, minha personagem entrava em cena, era minha voz no tema.

TV - Que realização! Do Teatro para a TV. Algum medo? Foi difícil estrear na grande vitrine televisiva?
MC - Foi tudo muito natural para mim. Sempre encarei tudo com muito entusiasmo.

TV - Ceiça, são quase 30 anos de carreira. Algum arrependimento?
MC - Arrependimento? Por mais que a nossa tendência seja de dizer que não se arrepende de nada, prefiro ter cuidado e concordar com os Titãs na canção 'Epitáfio'. Segue vídeo com o clip da música e a letra:


TV - Alguma história inesquecível?
MC - São anos de muita experiência acumulada, muitas viagens, lugares, pessoas inesquecíveis e muito importantes na minha vida! A minha primeira viagem à África para filmar em Cabo Verde foi de uma importância muito grande. Além da emoção de pisar em solo africano e todo o contexto existencial que isso traz para nós - os negros brasileiros - eu não sabia que era tão amada. Eu tinha acabado de fazer a novela FELICIDADE. Foi um enorme sucesso do autor Manoel Carlos. Estava triste e sem entender - apesar de todo o sucesso - o porquê de não ter sido contratada pela emissora. Estava sem trabalho e fui convidada para fazer um filme. Quando cheguei em Cabo Verde me dei conta do sucesso, do amor e da importância que nós atores negros temos para com o público africano que nos assiste. Lá também encontrei muitos cubanos e também o mesmo amor e admiração pelo meu trabalho. Foi um alento para minha 'baixa' autoestima naquele momento. Bem, o filme O TESTAMENTO DO SR. NEPOMUCENO foi um sucesso! Ganhou vários prêmios e foi uma honra trabalhar com Nelson Xavier, Milton Gonçalves, Zezé Motta e Chico Diaz.


Conheça mais sobre a carreira
da Maria Ceiça no cinema
AQUI
foto: reprodução

Maria Ceiça em cena 
com Zezé Motta 
no filme 
O TESTAMENTO DO 
SR NEPOMUCENO 
Direção Francisco Manso

TV - Você acha que ainda existe muito preconceito com atrizes negras?
MC - Que assunto dolorido! Apesar de todas as questões que hoje já debatemos abertamente sobre os preconceitos em suas mais variadas manifestações, nós atores e atrizes negros, ainda não conseguimos ser representados na televisão com a devida frequência, importância e normalidade que deveríamos ser. Nós, brasileiros, somos quase todos frutos da presença africana, da miscigenação racial e, no entanto, com exceção de novelas ou séries com temática de escravidão, não nos vemos nas personagens importantes da atualidade, com voz. Parecemos sempre poucos. Estou cansada de ouvir dizer que não temos atores negros suficientes. Meu Deus! Quantos atores e atrizes negros ao longo da minha carreira eu conheci e conheço que desistiram, que foram para outras profissões! E tem mais uma coisa: parece que estamos sempre em desvantagem porque fica difícil ser bom e desenvolver melhor as habilidades quando o trabalho só aparece de vez em quando. Ok, podemos falar de teatro, de cinema, mas é a televisão a nossa indústria de entretenimento. Pronto, falei! (risos) 

TV - Ótimo desabafo! (aplausos). 
Você tem perfil nas redes sociais, elas atrapalham ou ajudam?
MC - Tenho Facebook, Instagram... acho que ajudam muito, só precisamos saber usar tudo isso sem esquecer a diferença entre o real e o virtual e de nossas reais necessidades.

TV - Há um ditado que diz: 'se conselho fosse bom não seria dado, mas vendido.' Se fosse vender um conselho, venderia para quem?
MC - Não venderia porque não iria querer nada em troca.

#OsDezMandamentos

TV - Você está em OS DEZ MANDAMENTOS com a personagem Nayla. Conte-nos sobre ela.
MC - É uma princesa e a segunda esposa do Faraó Setti. Vem da Núbia, que é o atual Sudão. A Núbia, na época dos faraós, era uma importante parceira do Egito, tanto estrategicamente, quanto comercial, pois se localizava ao sul do Egito. Todo o ouro que vemos no Egito era fornecido pela Núbia, que era rica em recursos naturais, como jazidas de ouro, cobre, ferro e pedras semi-preciosas. Os melhores guerreiros vinham de lá. Então, como era de costume, os reis e faraós, se presenteavam também com suas filhas e princesas para efetivar esses acordos.
foto: reprodução

Maria Ceiça como a princesa Nayla 
na novela OS DEZ MANDAMENTOS, 
TV Record / 2015

TV - Já é a segunda vez que você interpreta uma personagem bíblica. Qual é a maior dificuldade em interpretar uma figura de uma época tão distante dos dias atuais?
MC - É bacana porque - por ser de uma época tão distante - podemos criar muita coisa e, as dificuldades, ficam por conta da linguagem e o cuidado para não ser fantasioso. Acreditar muito nessas personagens com toda a indumentária, é fundamental.

TV - Como se preparou?
MC - Tivemos um workshop de história antiga, das culturas egípcias e hebreias. Li muita coisa e pesquisei, que é uma parte fascinante do meu trabalho, que adoro!


foto: arquivo pessoal

Maria Ceiça como 
a princesa Nayla

TV - O que foi mais difícil de fazer até agora?
MC - A preparação da cena em que a Nayla aparece careca. São três horas só para esconder todo o meu cabelo, colocar a prótese para depois começar a maquiar.

TV - Alguma história engraçada de bastidores?
MC - Muitas! É um elenco bem entrosado e bem alegre. Rimos o tempo todo!

TV - Um convite para assistir aos DEZ MANDAMENTOS.
MC - Assistam! Vale a pena mergulhar na história e redescobrir ensinamentos!

foto: arquivo pessoal

MARIA DA CONCEIÇÃO 
JUSTINO DE PAULA
MARIA CEIÇA
Rio de Janeiro, 
18 de outubro de 1965

JOGO RÁPIDO

Sempre foi muito difícil definir qual meu ator, atriz, cantor, cantora, filmes, livros, novelas, enfim. Gosto de muitos e com maiores ou iguais admirações. De Robert de Niro a Wagner Moura, de Milton Gonçalves a Lázaro Ramos. O que dizer de Ruth de Souza e Meryl Streep? Fernanda Montenegro, Lea Garcia ou Leandra Leal? Madonna, Billie Holliday, Nana Caymi ou Alicia Keys? E por aí também os filmes, os livros e as novelas.

Personagem que gostaria de fazer
Eu sempre acho que o melhor está por vir! E eu, quero muito, muito!

Se não fosse atriz, o que seria?
Uma pessoa sem sonhos realizados.

A música da minha vida é
São muitas músicas, porque já passei por várias fases e cada uma delas tem uma trilha sonora (risos)

Defeito
São tantos que prefiro guardá-los para irem 'se melhorando' à medida que o tempo passa.

Qualidade
Procuro ser útil de alguma forma

Me tira do sério
O mau caratismo

Me deixa feliz
A alegria de uma pessoa

No meu aniversário quero ganhar
O que esteja merecendo

Se pudesse viajar no tempo
Neste momento iria para à Núbia
para descobrir a minha ligação c
om esse lugar.

Meu sonho de consumo é
São tantas coisas a conquistar!

Religião
Deus em primeiro lugar

Amor
Amo o amor, amar e ser amada!

Família
Meu porto seguro.

Um sonho
Produzir muitos filmes com a minha
produtora Luminis Produções Artísticas

Maria Ceiça é
Uma atriz brasileira 

Mensagem aos fãs
Obrigada pelo amor e respeito de vocês!


Leia Entrevistas com o
elenco de
Os Dez Mandamentos

 
Curta
TV a BORDO
 
 
Siga
TV a BORDO

#TVaBordo #OsDezMandamentos 
#MariaCeiça

7 comentários:

Postar um comentário

Ofensas não serão publicadas.