Denise Del Vecchio: “Tenho certeza que se o desejo de atuar estiver na sua alma, cada um vai encontrar o caminho para realizá-lo.”

3
entrevista especial
DENISE 
DEL VECCHIO

foto: reprodução

“Para quem sonhava na infância e no início da adolescência em se tornar aeromoça para sair do chão e ter uma vida diferente daquela caseira, ser atriz não deixa de ser a possibilidade de alçar voos. Pela própria possibilidade de ser outras pessoas, são voos ainda que dentro de uma técnica, de uma consciência, por outras vidas e personalidades. Como que querendo ir além do que eu via, do que me era dado.”
Denise Del Vecchio



O trecho acima faz parte da biografia de uma das mais respeitadas e talentosas atrizes da dramaturgia nacional, que realiza voos ousados e interpreta personagens que nos encantam e nos emocionam a cada olhar, a cada gesto e a cada texto pronunciado com sensibilidade e verdade.

Intérprete de muitas figuras marcantes no teatro e na televisão, Denise Del Vecchio está no ar vivendo a sua segunda mãe bíblica, Joquebede, na novela OS DEZ MANDAMENTOS, da Record. Este ano, recebeu o prêmio Shell de Melhor Atriz por Medeia. Nesta entrevista ao blog TV a BORDO, conta um pouco sobre a carreira vitoriosa no teatro e revela os momentos que marcaram sua feliz trajetória na televisão.

Senhoras e senhores, com muita honra, Denise Del Vecchio.

TVaBordo – Vou começar pedindo para você contar um episódio com a atriz Cacilda Becker, que você presenciou e marcou a sua vida.

Denise – Comecei a frequentar as salas de espetáculos pelas mãos de um professor do Colégio Alberto conte, em São Paulo. Foi com a turma dele que fomos assistir o GODOT da Cacilda Becker numa tarde de espetáculos fechado para o colégio. Assistimos apenas o primeiro ato, pois nesse dia ela teve um avc (acidente vascular cerebral), que veio lhe tirar a vida poucos dias depois. É lógico que isso ficou marcado até hoje na minha mente e no meu coração. Além da tragédia, ficou a lembrança de uma voz e de uma figura em cena absolutamente desconcertantes. Mas àquela altura não passava pela minha cabeça seguir a profissão. Era uma espectadora apaixonada.



TVaBordo – E o que levou a fazer teatro?

Denise –  Para combater minha timidez, fui para um curso de teatro e aí sim, nunca mais pude me afastar do palco.



TVaBordo – Qual é a diferença de se trabalhar hoje do que trabalhar há mais de 30 anos no teatro?

Denise – O teatro se modifica com a sociedade a que ele pertence. O Brasil era outro e o teatro era outro. Há 30 anos conseguíamos sustentar um espetáculo em cartaz com o dinheiro pago pelo público na bilheteria. Mas fazíamos sete sessões por semana. Esse é apenas um dos aspectos, claro. Mas, o que gostaria de ressaltar é que continuamos até hoje sem uma formação de público ainda nas escolas. Nesses anos todos o teatro não foi reconhecido na sua importância para a formação de uma pessoa. Ele cria relacionamentos, ajuda o trabalho em equipe, exercita o pensamento, ensina a ouvir, falar e ter respeito pelo outro. Estabelece o contato olho no olho e te obriga a reconhecer o outro. É muito mais que uma profissão. É um instrumento civilizatório e necessário para a sociedade em qualquer tempo e de qualquer estilo.

foto: reprodução

Denise Del Vecchio em cena de TRÁGICA 3, como Medeia.



TVaBordo – Você recebeu o prêmio SHELL de Teatro de São Paulo como Melhor Atriz para o espetáculo TRÁGICA 3, dirigido pelo Gulherme Leme. Como foi a emoção de receber um prêmio inédito na carreira? Do que se trata o espetáculo e qual é a sua personagem?

Denise – No espetáculo Leticia Sabatela faz Antígona, Miwa faz Electra e eu, Medeia. Cada uma de nós completa um quadro de tragédia feminina pintado pelo Guilherme Leme. Tragédias escritas há mais de dois mil anos contadas de uma forma contemporânea.

Meu sentimento ao receber o prêmio foi de profunda gratidão. Sempre sonhei em fazer MEDEIA e o convite do Guilherme Leme foi a realização desse sonho. Agarrei-me ao papel e fui buscar no que eu não conhecia o caminho para interpretá-la. Ter sido reconhecida por isso foi uma imensa alegria.

foto: reprodução

Denise Del Vecchio recebeu o prêmio Shell de Melhor Atriz em 2015
pelo espetáculo TRÁGICA 3



TVaBordo – Quais foram os papéis mais importantes na carreira teatral? 

Denise – É sempre muito difícil eleger uma personagem. Fiz grandes mulheres. Tive a sorte de fazer vários textos de Alcides Nogueira que conhece como poucos a alma feminina. Dele fiz Florbela, sobre a poeta portuguesa; fiz Dona Candê em LEMBRANÇAS DA CHINA, quando ganhei o prêmio MOLIÈRE. Fiz Eunice Paiva em FELIZ ANO VELHO, que ficou mais de seis anos em cartaz! Tive a oportunidade de trabalhar com diretores extraordinários como Márcio Aurélio, Paulo Betti, Jorge Takla, Antônio Abujamra, Augusto Boal e tantos outros tão queridos e talentosos.



TVaBordo – Como você avalia a televisão hoje? Ela continua sendo um lugar onde existe um exercício da profissão, ou ela é apenas uma grande indústria (vitrine) onde o que importa é só o entretenimento, e não uma fonte de cultura?

Denise – Eu gosto de televisão. De fazer e assistir. Sempre gostei. Acompanho telenovela desde criança e de algumas ainda me lembro. Se não usarmos a palavra ‘cultura’ de forma elitista temos que reconhecer a TV como importante instrumento de criação e distribuição cultural.

É uma indústria, pois sua produção exige isso e seu produto é cultural. Há programas ótimos, do meu ponto de vista e outros dos quais não gosto tanto. Acho que o entretenimento muito importante e quando faço um produto de teledramaturgia me dedico tanto quanto no palco, se não mais. Temos atores maravilhosos, diretores brilhantes e profissionais técnicos excelentes. 

foto: reprodução

Denise Del Vecchio em cena como dona Mocinha
na novela CHOCOLATE COM PIMENTA, 
TV Globo, 2003/2004

TVaBordo – Quando você estreou na TV – que era uma grande novidade na época – houve algum medo ou receio? Como encarou o desafio?

Denise – (kkkkk) Não sou tão velha assim! Quando estreei na TV Tupi, a TV já estava consolidada nos lares brasileiros, inclusive no meu. Encarei como um trabalho num veículo novo onde tinha muito o que aprender. Laura Cardoso me ensinou muito.



TVaBordo – Por que resolveu publicar sua biografia tão cedo? 

Denise – Não fui eu que resolvi. Fui convidada. A coleção APLAUSO presta um grande serviço à memória dos nossos artistas publicando suas biografias, dando ênfase à vida profissional de cada um. Ter sido escolhida para fazer parte da coleção foi uma honra para mim. O livro foi inteiramente escrito pela Tuna (Tuna Dweck, a autora do livro) que é uma pessoa de múltiplos talentos. Além de grande atriz, escreve muito bem. Sou muito grata à ela por esse trabalho. 



TVaBordo – Tem medo da morte ou envelhecer?

Denise – Ainda penso na morte com tranquilidade. Não sei se seria assim se estivesse na eminência de morrer. Estou envelhecendo e a vida tem sido generosa comigo. Continuo trabalhando, tenho filhos, netas, pai e mãe, meu companheiro Ney há 30 anos. Tenho medo sim, da incapacidade; da dependência, mas quem não tem? 





Em 2008, a atriz juntamente com a tradutora
Tuna Dwek, escreveram MEMÓRIAS DA LUA, 
que conta a trajetória profissional 
de Denise Del Vecchio.

Você pode baixar
Memórias da Lua

TVaBordo – Qual é a técnica que você utiliza para decorar as suas falas?
Denise – A única técnica que funciona comigo é estudar e estudar. Repetir, entender. É um trabalho que me toma muito tempo, mas absolutamente necessário. Alguns colegas tem memória privilegiada e conseguem memorizar rapidamente. Eu não faço parte dessa turma. 


TVaBordo – E o seu tipo de alimentação? Como faz para se manter em forma?

Denise – Minha alimentação é totalmente comum. Como viajo muito, evito novidades para não passar mal. Não como frituras. Gosto de verduras e frutas, arroz integral e o meu maior pecado é o pão. 

foto: reprodução

Denise Del Vecchio como Bárbara Ventura em
FORÇA DE UM DESEJO, TV Globo/1999.



TVaBordo – Qual é o conselho que você daria para aqueles que desejam seguir carreira artística?

Denise – Nenhum. Tenho certeza que se o desejo de atuar estiver na sua alma, cada um vai encontrar o caminho para realizá-lo. 


#OsDezMandamentos



TVaBordo – Como é o dia a dia das gravações?

Denise – As gravações são intensas. Exigem muita preparação, desde o estudo do texto, a caracterização (perucas bárbaras, próteses de envelhecimento, etc) até a gravação mesma, que na maioria das vezes envolve cenas com muitas personagens e alto empenho emocional. No entanto, há um clima de muito entusiasmo e alegria de todos. Estamos entusiasmados com o resultado e a recepção do público.



TVaBordo – Quantos capítulos de ‘frente’? Quantos capítulos já foram gravados?

Denise – Temos bastante frente, mas não sei precisar o número, pois são diversas frentes e eu, por exemplo, não consigo acompanhar as gravações dos outros núcleos. Além disso, depois de gravadas, as cenas são editadas, passam pela mão dos coloristas e pelo departamento de computação. Há um longo caminho até ficarem prontas.



foto: Michel Angelo

Bastidores de Os Dez Mandamentos, 
Denise Del Vecchio com Petrônio Gontijo.



TVaBordo – Já é a segunda personagem bíblica que interpreta, a primeira foi em JOSÉ DO EGITO como Lia e, agora, faz Joquebede, que tem emocionado o público. Existe alguma semelhança entre essas personagens, além de serem mães dos protagonistas? 

Denise – Como você diz elas são mães extremamente dedicadas a seus filhos e de grande fé. Li era a irmã mais velha, feia, que casa com Jacó depois de seu pai enganá-lo trocando Lia pela irmã Raquel, por quem Jacó era apaixonado. A personagem carregava a dor de não ser amada como a irmã. Joquebede ama e é amada, mesmo vivendo longe de Anrão. É também obrigada a viver longe do filho Moisés. Mas a principal diferença é que Lia era livre e Joquebede é uma escrava. 


TVaBordo – Como você faz para compor personagens tão antigas e tão importantes no contexto bíblico?

Denise – Gosto muito de fazer personagens de época, históricos. Exigem muito cuidado na elaboração, pois são conhecidos na maioria do público. Então, estudo muito para fazê-las. Não conheço outro caminho que não o estudo.  


foto: reprodução/Twitter

Meme de sucesso após a novela OS DEZ MANDAMENTOS
figurar entre os assuntos mais comentados no Twitter, os tt’s, 
com a personagem Joquebede 



TVaBordo – Qual foi a cena mais difícil até agora?

Denise – A cena mais difícil da Joquebede foi a que a Samara (Samara Philippo, Joquebede na primeira fase) fez, colocando o filho no rio. Para mim, foi fazer o parto da Amália, quando nasce Oséias. É muito difícil gravar com bebês.



TVaBordo – E como está a repercussão da Joquebede nas ruas e nas redes sociais?

Denise – Tanto na rua quanto nas redes sociais, tenho recebido muito carinho do público, que gosta da novela e da Joquebede.



foto: reprodução

Denise Del Vecchio como Joquebede e 
Larissa Maciel em cena de 
OS DEZ MANDAMENTOS, 
TV Record/2015.



TVaBordo – Qual é a importância das minisséries baseadas em histórias bíblicas para a televisão?

Denise – São lindas histórias, muito bem produzidas que têm encantado o público.


TVaBordo – A Record começa com OS DEZ MANDAMENTOS a transformar novelas baseadas na Bíblia em sucesso de público. Qual é a contribuição dessas histórias para a teledramaturgia nacional?

Denise – São histórias lindas, com personagens épicos que resultam em boas novelas. Todo mundo gosta de uma história bem contada.


TVaBordo – Um convite para assistir AOS DEZ MANDAMENTOS.

Denise – De segunda a sexta, às 20h30, na TV Record, OS DEZ MANDAMENTOS, uma história de amor, fé e luta pela liberdade. Se você ainda não viu, vai se surpreender! Se você já acompanha a novela, aguarde as incríveis reviravoltas que estão por vir! Muita emoção e beleza.



Denise Del Vecchio destacou três personagens 
que interpretou na TV 
as definiu com uma frase:

Bárbara Ventura
‘FORÇA DE UM DESEJO’
Uma vilã cômica que surpreendeu até a mim.

Dona Mocinha
‘CHOCOLATE COM PIMENTA’
A virgem ingênua apaixonada pela vida.

Joquebede
‘OS DEZ MANDAMENTOS’
Mulher de fé, atitude e imensa capacidade de amar.



foto: reprodução

DENISE DEL VECCHIO 
FALÓTICO
São Paulo, 
3 de maio de 1954



JOGO RÁPIDO



Ator
José Wilker


Atriz
Laura Cardoso


Novela
FORÇA DE UM DESEJO, 
escrita por Gilberto Braga e Alcides Nogueira


Filmes
DEUS E O DINHEIRO NA TERRA DO SOL, 
de Glauber Rocha


Peça de teatro
MACUNAÍMA, 
de Antunes Filho


Livro de cabeceira
Aquele que estiver lendo


Personagem que gostaria de fazer
A próxima


Se não fosse atriz seria…
Infeliz


Música da minha vida
Todas do Chico Buarque


Defeito
Insegurança


Qualidade
Paciência


Medo
Doença


Sol ou lua?
Lua. Gosto da noite e seus mistérios


Serra, mar ou cidade?
Serra. Amo o frio e a tranquilidade.


Calor ou frio?
Frio. Sinto-me mais disposta.
Com a mente mais atenta.


Comida preferida
Macarrão do meu pai.


Sobremesa
Torta de limão da minha mãe.


Fruta
Uva


Me tira do sério
Ignorância


Me deixa feliz
Minhas netas


No meu aniversário eu quero ganhar
Carinho dos amigos.


Se pudesse viajar no tempo…
Anos 1920.


Meu sonho de consumo
Viver num lugar mais seguro.


Religião
‘Sou uma cética que crê em tudo’ 
(Florbela)


Morte
Uma certeza


Amor
Único remédio


Família
Acolhimento


Um sonho
Um mundo mais justo


Ditado, frase ou verso
Sonhar mais um sonho impossível!


Denise é uma pessoa
Normal?


Mensagem aos fãs
Agradeço sempre e a cada dia todas as manifestações de carinho que recebo. Esse afeto alimenta minha alma e me dá força e entusiasmo para seguir adiante. Espero fazer jus a isso. Um forte abraço a todos.


#DeniseDelVecchioNoTVaBordo



Leia Entrevistas com 
o elenco
de Os Dez Mandamentos
 

Curta
TVaBordo

 

Comentários do Facebook

3 COMENTÁRIOS

  1. Minha xará é maravilhosa! Já li a sua biografia e amei! Legal o blog ter postado o link. Choro com a Joquebede.
    Denise Luz

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here