quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Série Novelistas: o autor de O SALVADOR DA PÁTRIA, RODA DE FOGO e PODER PARALELO

foto: reprodução

O décimo primeiro capítulo da Série Novelistas é com o autor Lauro César Muniz.

Todo o conteúdo publicado nesta série é uma reprodução autorizada pelo autor, o roteirista Michel Luiz Castellar.

Estreou nas telenovelas em 1966 com NINGUÉM CRÊ EM MIM, mas fez sucesso mesmo em 1970, com a adaptação de AS PUPILAS DO SENHOR REITOR, do português Júlio Dinis, na TV Record.

Ousado, escreveu duas novelas que fugira do clichê da teledramaturgia: O CASARÃO, onde a narrativa não linear era dividida em três tempos e contava o progresso e a decadência do café; e ESPELHO MÁGICO, onde contava-se os bastidores da própria televisão, do teatro e do cinema, tendo uma novela dentro da própria novela, chamada COQUETEL DE AMOR.

Sua novela ESCALADA, que contava a história da construção de Brasília, é considerada um marco da teledramaturgia em termos de história, embora a Censura Federal tivesse interferido em seu trabalho, como a impedir que ele citasse o nome de Juscelino Kubitschek, responsável pela construção da capital brasileira. Anos depois, Lauro faria uma releitura de ESCALADA, na novela CIDADÃO BRASILEIRO, na TV Record.

Em RODA DE FOGO, grande sucesso das 20h, ousou em mostrar um protagonista já condenador a morrer, interpretado magistralmente por Tarcísio Meira.

Supervisionou as novelas SONHO MEU e PERIGOSAS PERUAS, e escreveu a reta final da novela SOL DE VERÃO, junto com Gianfracesco Guarnieri, já que diante da morte do protagonista - o ator Jardel Filho - o autor da novela, Manoel Carlos, afastou-se da trama.

Na TV Record obteve sucesso em OS DEUSES ESTÃO MORTOS, grande obra sobre o Segundo Reinado, e PODER PARALELO, que contava com uma trama engenhosa.

Lauro também teve sucesso no Teatro com peças de cunho político como O SANTO MILAGROSO, SINAL DE VIDA e DIREITA VOLVER, e fez também alguns roteiros de filmes como INDEPENDÊNCIA OU MORTE e O CRIME DO ZÉ BIGORNA, este, também um caso especial de muito sucesso na televisão.

Lauro escreveu também novelas cômicas, como TRANSAS E CARETAS e ZAZÁ, e sua novela O SALVADOR DA PÁTRIA, está entre as cinco maiores audiências das telenovelas brasileiras, sendo um grande trabalho do ator Lima Duarte, como Sassá Mutema, que muito lembrava o personagem Zé Bigorna, no caso especial escrito por Lauro.




OPINIÃO
Para mim, seus melhores trabalhos foram a minissérie CHIQUINHA GONZAGA, que além do ótimo texto, a excelente pesquisa, teve uma direção primorosa, e uma trilha sonora instrumental magnífica. RODA DE FOGO em que Tarcísio Meira desempenhou um de seus melhores  papéis, e Osmar Prado fez o público rir com o personagem Tabaco, motorista dividido entre três mulheres. Embora eu não tenha assistido a novela inteira - só o compacto - O CASARÃO - pelo resumo que vi, deu a entender que foi uma obra prima da teledramaturgia nacional, com uma engenharia de narrativa, criativa e inteligente. 

Paulista de São Vicente, Michel Luiz Castellar 
é roteirista com 50 obras registradas

Leia o nono capítulo

 com o autor





0 comentários:

Postar um comentário

Ofensas não serão publicadas.