Jornalista Caco Barcellos da Globo é agredido em manifestação no Rio de Janeiro

0
foto: Alex Ribeiro

Outros três jornalistas: ‘O Globo’,
portal ‘G1’ e portal ‘UOL’ também tiveram
incidentes com os manifestantes

Um protesto de servidores contra o pacote de medidas fiscais proposto pelo governo do Estado do Rio de Janeiro, na tarde de ontem (16), acabou em confronto, tumulto e agressões a jornalistas.

A concentração dos manifestantes aconteceu em frente à Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), o cenário do início das manifestações. A princípio, tudo estava tranquilo, mas ficou tenso depois que os manifestantes tentaram ocupar a escadaria do prédio e derrubaram a grade de proteção. A polícia reagiu com bomba de gás, spray de pimenta e até cavalos para conter os mais eufóricos e impedir a entrada deles na Alerj. O comércio fechou as portas.

foto: Alex Ribeiro

Caco Barcellos
Quatro jornalistas, entre eles, Caco Barcellos, do programa ‘Profissão: Repórter’, da Rede Globo, foram agredidos quando cobriam as reclamações. Caco Barcellos acabou sendo expulso do local sob gritos, vaias, agressões físicas, e objetos foram jogados em sua direção, como um cone (imagem acima). O repórter do jornal ‘O Globo’, Guilherme Ramalho também foi impedido de trabalhar.

O repórter Gustavo Maia, do portal de notícias UOL teve o celular arrancado de sua mão. O aparelho não parou de gravar mesmo após cair no chão. Na gravação é possível ver o rosto do agressor. Um outro profissional de imprensa do portal ‘G1’ teve a máscara de proteção arrancada de seu rosto, levou um soco no braço e ainda foi xingado quando se identificou como repórter.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro criticou em nota, divulgada na noite de ontem, as agressões aos jornalistas, que você confere, a seguir:

“O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro repudia o recrudescimento das agressões a jornalistas no exercício de suas funções. Hoje, durante as manifestações que vêm acontecendo em frente à Alerj, contra as propostas restritivas ao funcionalismo público, feitas pelo governo do estado, diversos profissionais foram agredidos. Essa prática de agressão a jornalistas está se tornando um hábito nefasto, que fere o direito à informação e espelha o ódio e o desrespeito cada vez mais presentes em determinados segmentos da sociedade”, disse a entidade.

por Warlen Pontes
colaboração Albinno Grecco

Leia as Entrevistas
do TV a Bordo
Curta

Siga
Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here