sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Priscila Uba: "As tramas bíblicas estabelecem uma conexão com nossa história primária, um resgate de valores, ética e principalmente da fé."

entrevista
Priscila Uba
foto: Márcio Carvalho

por Warlen Pontes
warlenpontes@hotmail.com

No ar em 'A Terra Prometida' como a paciente Tirda, a mineira Priscila Uba comemora a boa fase na carreira. A estreia na saga bíblica aconteceu depois de participar de um concurso do programa 'Xuxa Meneghel'. Mesmo não sendo 'A Prometida', chamou atenção do diretor Alexandre Avancini e ganhou um papel na trama da Record.

Antes mesmo de estrear em horário nobre, Priscila Uba fez uma participação especial na superprodução 'Os Dez Mandamentos' e integrou o elenco do seriado 'Magnífica 70', da HBO, além de uma década de estrada nos palcos paulistanos.

Nesta entrevista ao TV a Bordo, Priscila fala de teatro, desafios, redes sociais e, claro, sobre a personagem do folheitm escrito por Renato Modesto e que narra a conquista da terra de Canaã.

Com vocês, Priscila Uba.

TVaBordo - Antes de chegar à TV como a Tirda em 'A Terra Prometida', você construiu uma carreira sólida no teatro trabalhando ao lado de artistas renomados dos palcos. Conte-nos sobre sua trajetória teatral.
Priscila Uba - Comecei nos palcos com 16 anos de idade em Juiz de Fora, Minas Gerais, e foi uma paixão visceral em um momento decisivo na minha vida e carreira, um grande marco; em seguida me mudei para a capital de São Paulo para continuar os estudos. Desfrutei e contribui com o excelente teatro paulistano, que desenvolveu estofo na minha profissão. A última peça que realizei foi no Teatro Nair Bello com o grande mestre Elias Andreato, que tenho tamanho apreço, 'Camará', de Raphael Gama. Chegando ao Rio, não me desliguei dos palcos, mesmo envolvida com teledramaturgia de imediato, realizando o espetáculo 'Tarot de Santiago', de Tiago Santiago na Fundição Progresso. 

TVaBordo - Quais são os seus espetáculos preferidos? Na hora de escolher um papel, o que você leva em consideração: o texto? O diretor? O desafio ou a mudança radical no figurino? 
Priscila Uba - As grandes montagens de Bob Wilson com suas precisões marcantes, interpretação, luz, cenografia... 'O Terno' (The Suit), de Peter Brook foi uma encantadora montagem que vi na Cidade das Artes, com tais sutilezas que floresceu o teatro carioca e, para finalizar, o festival Eugène Ionesco - Teatro do Absurdo - da renomada companhia do Théâtre de La Ville de Paris. Com certeza, o desafio, sou movido por desafios, me instiga!

foto: reprodução

Priscila Uba  em quatro momentos
do espetáculo 'Camará', de
Elias Andreato

TVaBordo - Conta um pouco sobre a sua persoanagem em 'Magnífica 70'. 
Priscila Uba - A minha personagem é a Janete. Uma atriz capaz de realizar qualquer ato para conseguir fama, vendo essa possibilidade com Bruno Gonçalvez (personagem do ator Taumaturgo Ferreira), um polêmico apresentador de TV que defende ditadura militar, a família e a Igreja. Porém, às escondidas, é viciado em cocaína e, promove, filma orgias com amigos poderosos e garotas que sonham em brilhar na televisão, sendo Janete uma delas. 
Este núcleo introduz a TV da época no cenário das artes em 1975, juntamente com Mariana Lima, personagem Marina Gonçalvez, mulher de Bruno na trama. A série pode ser vista pelo HBO GO.

foto: reprodução

Priscila Uba como Janete
na série 'Magnífica 70'

TVaBordo - Vamos mudar de assunto. Como lida com as redes sociais? Você acha que elas ajudam ou atrapalham?
Priscila Uba - Lido de maneira natural e muito equilibrada. Acredito que qualquer ato depende do ponto de vista, mas sempre me programo a perceber o lado positivo destes, e acredito que as redes sociais nos permitem um retorno imediato de nossa arte reverberada, e isso alimenta qualquer artista em movimento.

foto: reprodução


TVaBordo - Agora é hora de falar de 'A Terra Prometida'. Qual é a importância das histórias biblicas para a teledramaturgia nacional?
Priscila Uba - Acredito ser um nicho até antes destas pouco explorado, que está em tamanha ascensão na teledramaturgia brasileira, com tal reflexo mundial crescente e transformador. 
As tramas bíblicas estabelecem uma conexão com nossa história primária, de caráter instintivo e visceral, estabelecendo um resgate de valores, ética e principalmente da fé, crença que foi perdendo força com o tempo no mundo atual. Precisamos transmitir o bem e utilizar de veículos como a teledramaturgia (veículo lúdico) para florescer este BEM no mundo. Acredito muito na ARTE como papel transformador e precisamos utilizá-la com sabedoria. 

Teste de Priscila Uba 
no 'Xuxa Meneghel'


TVaBordo - Sobre a repercussão da Tirda. Qual foi a abordagem mais engraçada que lhe aconteceu nas ruas? 
Priscila Uba - Entrar em um supermercado e ganhar um kit de sabonetes para dar banho em Haniel (risos). 

foto: reprodução

Paulo César Grande (Haniel), Priscila Uba,
Miguel Costa (Gael) e Alexandre Slaviero (Maquir).

TVaBordo - O que pode nos contar sobre o destino de Tirda (sem spoiler).
Priscila Uba - Tirda reflete o amor de forma pura e visceral no decorrer da trama, e terá uma luta constante para equilibrar sua família em todos os aspectos, afeto, amor, higiene, bons modos e ética. Para descobrir se ela realmente conseguirá seu objetivo ou, pelo contrário, será afetada pelos ogros de sua família Manassés, só vendo a novela, às 20h30, na Rede Record. 

TVaBordo - Até agora, qual é a sua cena preferida? 
Priscila Uba - A abertura do Rio Jordão foi muito emocionante e visceral e, a outra, que não posso contar detalhes, devido não ter ido ao ar ainda. 

TVaBordo - Alguma história engraçada de bastidores para compartilhar com o público de 'A Terra Prometida'?
Priscila Uba - Tive a sorte de realizar em um único núcleo, cenas extremas, dramáticas e cômicas. Uma delas, é um 'tratamento radical' que vamos realizar em Haniel. Foi hilariante! A peruca do Paulo Cesar Grande (Haniel) caiu em cena, e todos sabem que ele é careca, Slavieiro (Maquir), Miguelzinho (Gael) e eu travamos em um segundo, mas contemos a risada e continuamos em cena (risos). Era uma cena específica que teria que ser gravada em take único (de primeira, sem cortes), devido a cenografia e objetos utilizados em cena, e quando PC (Paulo Cesar Grande) sentiu que a peruca tinha caído, ele tentou arrumá-la em cena mesmo, para não interrompê-la, mas, posicionou torta na cabeça e ficou pior. O riso caiu solto de toda equipe e, em segundos, todos no estúdio estava às gargalhadas. Estar em um núcleo cômico na trama traz uma leveza para o trabalho e o riso é realmente contagiante. 

TVaBordo - Com esse espírito contagiante, convide a galera para assistir 'A Terra Prometida'.
Priscila Uba - Galera! Não perca às 20h30, na Rede Record, uma trama que transborda amor, muita emoção e fé! 'A Terra Prometida'!

A partir de agora, vamos conhecer um pouco mais de Priscila Uba, no Jogo Rápido:

foto: Márcio Carvalho

Jogo Rápido

Um ator que lhe inspira:
Charles Chaplin

Uma atriz que lhe inspira:
Ingrid Bergman

Um cantor que gosta de ouvir:
Caetano.

Na TV assisto
Tudo sobre ARTE, meu alimento.

Na TV não assisto,
de jeito nenhum!
Baixaria e muita tragédia.
Já basta o que não temos
escolha.

Filme que mais assistiu...
Todos do Ingmar Bergman

Uma canção marcante:
Todas, depende da época.

Um livro inesquecível:
'Cartas a Um jovem Poeta',
Rilke.

Um poema:
'Tabacaria', Fernando Pessoa.

Personagem da literatura
que gostaria de interpretar:
'Capitu' - Dom Casmurro de
Machado de Assis.
'Olhos de cigana oblíqua e
dissimulada'.

Qualidade:
Perfeccionista.

Defeito:
Perfeccionista (risos).

Arrependimento:
Nada, se fiz, tá feito.

Homem ideal:
Não acredito em um ideal,
me atraio pelo singular.

Um ditado, uma frase ou
um verso:
Depende do ponto 
de vista.

Tenho saudades de...
Quem já se foi.

Priscila é uma mulher...
Camaleoa (risos).

Mensagem aos fãs:
Muito obrigada pelo tamanho
carinho comigo e com meu
trabalho; um beijo grande
no coração de cada um e, 
saibam, que TUDO é
feito para vocês em especial.

#PriscilaUbaNoTVaBordo

Entrevista em parceria
com a Assessora



do TVaBordo


Curta


Siga

0 comentários:

Postar um comentário

Ofensas não serão publicadas.