Ronan Horta: “Aprendi muito com a (Bíblia)… me edificou bastante como ser humano e ator.”

0
Entrevista
Ronan Horta
foto: Marli Santos

por Warlen Pontes
warlenpontes@hotmail.com

A temporada 2017 das entrevistas do TV a Bordo começou! E o primeiro entrevistado é o mineiro Ronan Horta, ator que dá vida ao rei Jáfia, na saga bíblica, ‘A Terra Prometida’, exibida pela Record TV, em coprodução com a Casablanca.

Prestes a completar 40 anos de idade, ainda este mês, o multifacetado artista com quase 20 anos de carreira, estreia em abril o espetáculo teatral  da autora Clarice Lispector, ‘Perto do Coração Selvagem’. Horta é um dos vocalistas da banda ‘Laboratório RG’, que navega do Rap ao Funk Rock, com músicas no repertório, entre outros, de Raul Seixas e Jimi Hendrix, além das composições próprias.

Após o fim das gravações de ‘A Terra Prometida’, Ronan conversou sobre carreira, música, e, é claro, acerca também dos bastidores da trama que está em seus derradeiros capítulos. 

Com vocês, Ronan Horta:

TVaBordo: Ronan, lá atrás, na infância, adolescência… o que você quis ser quando se tornasse adulto?
Ronan Horta – Pensei que seria cavaleiro, pois comecei a fazer hipismo muito cedo aos 6 anos de idade; na adolescência, pensei que seria médico por influência do meu pai que é cirurgião plástico. Eu sempre acompanhava ele no hospital, me vestia de branco e tudo. Depois, já com uns 16 anos na mesa de almoço, eu soltei: “Quero ser diretor, ator, escritor e pintor…”. Ninguém entendeu nada. Nem eu. Só fui entender agora que aquilo era o sopro de Deus me dando um caminho que nem eu, na época, sabia como começar.

TVaBordo: Quando surgiu a arte de interpretar na sua carreira artística?
Ronan Horta: Depois de um intercâmbio para Londres. Voltei pro Brasil determinado a ser comunicador. Comecei a trabalhar em um programa independente que se chamava ‘Grotz’, que abordava esportes radicais e comportamento, por volta do início dos anos 2000; depois fui pra TV Metrópole e ganhei meu programa de TV ao vivo, de segunda a sexta,  à tarde. O programa tinha uma hora de duração, plateia, interatividade com o publico e muito improviso, paralelo à TV, me matriculei na Cia de Teatro de Belo Horizonte e me apaixonei! Segui os dois, um complementando o outro.  Foi bem interessante e intenso essa época, peguei muitas “horas de voo” em TV ao vivo e o teatro me ajudou muito. Depois me formei e nunca mais parei. Hoje, depois de 17 anos de carreira, estou para estrear em abril no Teatro Café Pequeno, no Rio de Janeiro, a peça “Perto do Coração Selvagem”, de Clarisse Lispector, com a direção do Delson Antunes. 

TVaBordo: Se fosse deixar um conselho para aqueles que desejam seguir a carreira artística (mesmo com a concorrência tão forte como a de hoje), qual seria o conselho?
Ronan Horta: Procure ser completo e estude todas as artes, porque uma complementa a outra. Exercite todo dia e não desista nunca! Entenda de leis de incentivo, ouça seu coração, se ele diz pra você seguir, siga em frente e não pare nunca!
foto: reprodução

Ronan Horta em cena com
Mateus Solano em ‘Liberdade, Liberdade’,
TV Globo, 2016

TVaBordo: Qual é a sua formação musical e por que decidiu montar a banda ‘Laboratório RG’?
Ronan Horta: Minha formação musical é o palco e a ousadia. Não me considero um cantor, apesar de ter estudado bastante técnicas e aperfeiçoamento vocal, considero-me um artista de palco, um mestre de cerimônia.

foto: arquivo pessoal

Ronan Horta em apresentação
com a banda ‘Laboratório RG’
TVaBordo: Ator, apresentador, músico, cantor, empresário… afinal, quem é Ronan Horta dentro desta salada de tipos e figuras?
Ronan Horta: Eu sou um operário da arte, um “Arteiro”; os americanos praticam muito essas vertentes. Aqui no Brasil as pessoas curtem rotular, você tem que ser isso ou aquilo, eu prefiro ser autossuficiente, no momento, sigo o fluxo da demanda. Se estou contratado em uma obra e essa obra me exige tempo integral, eu foco nela, tendo tempo, eu abro pra música, pro teatro, para as artes plásticas, e etc. 
Tenho minha produtora cultural que é a “Em Movimento Produções”, em que damos consultoria e curadoria cultural para empresas e casas de evento. Quando está morno, eu crio algo novo, me sinto na obrigação de não parar com o exercício de criar arte e de produzir, com isso consigo minha independência no mercado que cada vez mais delicado. Acho que todos precisam estar nessa onda, criando, se reinventando e sendo autossuficiente para que você possa ter dignidade nas horas de entressafra, entre um contrato e outro.

foto: reprodução


TVaBordo: Como surgiu o convite para interpretar o Rei Jáfia?
Ronan Horta: Eu tinha acabado de fazer ‘Liberdade, Liberdade’ e já me bateu abstinência de trabalhar; no meio da minha inquietude, mandei um e-mail para Andrea Avancini que é minha amiga e foi minha professora quando comecei a carreira. Ela mandou meu material  para o Eduardo Pradella (produtor de elenco), ele analisou meu material e, em duas semanas, estava contratado.

TVaBordo: Quais são as diferenças e as semelhanças entre o Ronan e o Jáfia?
Ronan Horta: Ele é humano, espontâneo, divertido e surpreendente. 

foto: Instagram

Ronan Horta com Letícia Peroni
e Mario Frias, em ‘A Terra Prometida’,
Record TV, 2016/2017
TVaBordo: Qual foi o maior desafio em interpretar o Jáfia:
Ronan Horta: Quebrar o óbvio. Quando fiz a prova de roupa, o Jáfia ficou muito rico, muito mesmo, com roupas douradas, muito ouro, ficou um tremendo de um rei. Meu maior desafio foi quebrar isso para dar uma leveza e transformar ele mais próximo das pessoas, mais humano.

TVaBordo: E se fosse escolher uma cena marcante em ‘A Terra Prometida’? Qual você elegeria?
Ronan Horta: Gosto das cenas em que eles se divertem no palácio, comemorando a coalizão, onde eu e meus colegas, principalmente Mario Frias e Marcelo Torreão, dos quais eu contracenei mais nessas cenas, tivemos a liberdade de brincar e se divertir. Eles bebem muito nesse dia, dançam, brincam e se soltam na comemoração, com isso, podemos nos divertir junto com os personagens. Também amei muito as cenas de luta e guerra. Teve muita cena a cavalo, onde me senti em casa por causa do hipismo que pratiquei a vida inteira e, também, as sequências de espada e luta. Fiz arte marcial sempre, então, me senti muito útil e confortável pra executar as cenas e dar um bom retorno pro trabalho.

foto: reprodução

Ronan Horta (Jáfia) e 
Marcelo Torreão (Hoão),
em cena de ‘A Terra Prometida’, 
Record TV, 2016/2017
TVaBordo: O que podemos esperar do Jáfia nos próximos capítulos?
Ronan Horta: Ele vai mostrar que quando tem que ir para as batalhas ele vai com tudo, apesar de fazer de tudo para evitar a guerra; ele é um grande guerreiro, tem ainda muita cena bacana por vir. 

TVaBordo: Qual é a importância das histórias bíblicas na teledramaturgia nacional?
Ronan Horta: Acho essencial para mostrar um pouco da história, que desde criança nos rodeia. Nem sempre as pessoas leem a Bíblia, apesar de muita gente ter uma em casa, eu, particularmente, aprendi muito com minhas pesquisas para fazer o personagem; descobri muita coisa interessante que estava raso no meu conhecimento; me edificou bastante como ser humano e ator todo esse processo. Pesquisei muito, estudei a Bíblia, assisti documentários e a série também para me posicionar em que época iríamos estar e como as pessoas daquele tempo pensavam e porque pensavam assim.

TVaBordo: convide a galera para assistir ‘A Terra Prometida’:
Ronan Horta: ‘A Terra Prometida’ promete muitas surpresas e muitas aventuras ainda! Fiquem ligados na Record TV! Além de ser uma superprodução, tá sendo muito informativa, interessante, historicamente e culturalmente. Acompanhem uma obra de arte feita com muito amor de todos os envolvidos. 

foto: arquivo pessoal

Acesse o site
do ator Ronan Horta

Jogo Rápido

Estado civil
Solteiro

Apelido de infância
Ronanzinho

Ator que lhe inspira
Woody Harrelson e Johnny Depp
(eles têm personalidade)

Atriz que lhe inspira
Juliette Lewis

Quem lhe inspira na música
Evando Mesquita, ele é simples e completo.

Filmes que mais assistiu…
‘Snach – Porcos e Diamantes’ e
‘Natural Born Killer’

A música da sua vida:
Tenho muitas…

Se pudesse voltar ao tempo…
Faria tudo de novo.

Personagem que gostaria de
interpretar da literatura:
Queria fazer um viking 
(The World Of Vikings)

Parte do corpo que mais gosta:
Minhas mãos.

Parte do corpo que menos gosta:
Não tem. Acho tudo importante.
Agradeço a Deus todos os dias
por cada pedacinho (hehehe).

Não tenho habilidade para>
Burocracia.

Arrependimento:
Nenhum.

Qualidade:
Ser muito do bem.

Defeito:
Distração.

Me tira do sério:
Maldade.

Me deixa feliz:
Estar com minha família e amigos.

Prato que me dá agua
na boca:
Qualquer almoço na casa
dos meus pais.

Sobremesa mais deliciosa:
A que eu faço: sorvete bem
gelado com brigadeiro branco
quente e biscoito crocante.

Beijo na boca ou no cangote?
Beijos, muitos beijos.

Time do coração:
‘Arte Futebol Clube’

Autógrafo ou selfie?
O que deixar o outro feliz.

Adiantado, atrasado ou pontual?
Pontual, adiantado e atrasado, um pouco
dos três, o trânsito e a logística
do Brasil não colaboram.

Pela manhã, mau humor ou bom humor?
Processando o sistema…

Tenho saudades de…
Tempos de infância na fazenda…

Religião:
Amor.

Um ditado, uma frase
ou um verso:
“Se você quer o que poucos
têm, faça o que poucos fazem”.

Ronan é um cara:
Suave, do bem e que quer acertar.

Mensagem aos fãs:
Vamos juntos!

#RonanHortaNoTVaBordo
Entrevista em parceria
com a Assessora


Curta

Siga
Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here