Globo afasta José Mayer por tempo indeterminado

0
foto: reprodução

José Mayer interpretou na novela ‘A Lei do Amor’ o personagem Tião Bezerra, homem inescrupuloso que humilhava mulheres e aprontava o diabo na trama escrita por Maria Adelaide Amaral e Vicent Villari. E parece que tão cedo o ator mineiro não voltará a dar vida a tipos como esse, e a nenhum outro.

O caso de assédio envolvendo Mayer teve seu desfecho hoje. A Globo afastou por tempo indeterminado o intérprete de personagens memoráveis como Zé do Burro, do ‘Pagador de Promessas’ e Osnar, de ‘Tieta’.

Entenda o caso
Na última sexta-feira, a figurinista Susllem Tonani acusava o ator José Mayer de assédio sexual em um relato publicado no blog #Agoraéquesãoelas, do Jornal ‘Folha de São Paulo’. Em um longo texto, a funcionária da TV Globo, de 28 anos, narrou diversos momentos em que teria sido constrangida por Mayer:

“Em fevereiro de 2017, dentro do camarim da empresa, na presença de outras duas mulheres, esse ator, branco, rico, de 67 anos, que fez fama como garanhão, colocou a mão esquerda na minha genitália. Sim, ele colocou a mão na minha b… e ainda disse que esse era seu desejo antigo”. 

A repercussão foi tão negativa, que a ‘Folha de São Paulo’, tirou do ar a publicação sob a justificativa “dada a gravidade do depoimento”. Horas depois, o relato voltaria ao ar. “Após o devido trabalho de apuração e investigação do jornal e o esforço da redação de escuta do ‘outro lado’, as palavras de Su estão de volta a este espaço”, entretanto, o mesmo jornal havia publicado a primeira versão de Mayer que, num primeiro momento, negou as acusações e de forma irônica declarou “As palavras e atitudes que me atribuíram são próprias do machismo e da misoginia do personagem Tião Bezerra, não minhas!”.

O assunto teve grande repercussão em todas as redes sociais e o nome do ator chegou a figurar em primeiro lugar entre os assuntos mais comentados do Brasil, no microblog Twitter.

Pelo Instagram, a mensagem: “MEXEU COM UMA MEXEU COM TODAS” e a hashtag #CHEGADEASSÉDIO foram rapidamente propagadas por perfis de artistas, jornalistas, cantores, músicos e várias pessoas da sociedade brasileira:

A TV Globo se manisfestou e divulgou a seguinte nota:

“Em relação à denuncia de assédio envolvendo o ator José Mayer e a figurinista Susllen Tonani, a Globo reafirma o teor da nota divulgada na última sexta-feira, quando afirmou que o caso foi apurado e que as devidas providências estavam sendo tomadas. Naquela nota, a emissora enfatizou que repudia toda e qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito. E que zela para que as relações entre funcionários e colaboradores se deem em um ambiente de harmonia de acordo com o Código de Ética e Conduta do Grupo Globo. 
Esta convicção da Globo foi reafirmada para um grupo de atrizes, diretoras e produtoras, reunidas no domingo à noite, quando a emissora informou que, apurado o caso, tomou a decisão de suspender o ator José Mayer de produções futuras dos estúdios Globo por tempo indeterminado. 
O ator foi notificado na segunda-feira dessa decisão. Sobre a iniciativa de funcionários, colaboradores e executivos de usar hoje camisetas com os dizeres ‘Mexeu com uma, mexeu com todas’, a Globo se solidariza com a manifestação, que expressa os valores da empresa. O ator José Mayer, de enorme talento e com grandes serviços prestados à Globo e as artes brasileiras, certamente terá oportunidade de expressar seus sentimentos em relação ao triste episódio e esclarecer que atitudes pretende tomar. 
A Globo lamenta que Susllen Tonani tenha vivido essa situação inaceitável num ambiente que a emissora se esforça cotidianamente para que seja de absoluto respeito e profissionalismo. E, por essa razão, pede a ela sinceras desculpas”.

O jornal EXTRA, na tarde de hoje, divulgou comunicado do ator em que assume o erro e pede desculpas:
“Carta aberta aos meus colegas e a todos, mas principalmente aos que agem e pensam como eu agi e pensava: Eu errei. Errei no que fiz, no que falei, e no que pensava. A atitude correta é pedir desculpas. Mas isso só não basta. É preciso um reconhecimento público que faço agora, mesmo não tendo tido a intenção de ofender, agredir ou desrespeitar, admito que minhas brincadeiras de cunho machista ultrapassaram os limites do respeito com que devo tratar minhas colegas. Sou responsável pelo que faço.
Tenho amigas, tenho mulher e filha, e asseguro que de forma alguma tenho a intenção de tratar qualquer mulher com desrespeito; não me sinto superior a ninguém, nao sou.
Tristemente, sou sim fruto de uma geração que aprendeu, erradamente, que atitudes machistas, invasivas e abusivas podem ser disfarçadas de brincadeiras ou piadas. Não podem. Não são.
Aprendi nos últimos dias o que levei 60 anos sem aprender. O mundo mudou. E isso é bom. Eu preciso e quero mudar junto com ele. Este é o meu exercício. Este é o meu compromisso. Isso é o que eu aprendi. A única coisa que posso pedir a Susllen, às minhas colegas e a toda a sociedade é o entendimento deste meu movimento de mudança.
Espero que este meu reconhecimento público sirva para alertar a tantas pessoas da mesma geração que eu, aos que pensavam da mesma forma que eu, aos que agiam da mesma forma que eu, que os leve a refletir e os incentive também a mudar. Eu estou vivendo a dolorosa necessidade desta mudança. Dolorosa, mas necessária.
O que posso assegurar é que o José Mayer, homem, ator, pai, filho, marido, colega que surge hoje é, sem dúvida, muito melhor.
José Mayer


Curta

Siga
Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here