Raymundo de Souza: “Casem-se com quem vocês gostem de conversar e dar risadas juntos, isso faz muita diferença.”

0

Check-In Raymundo de Souza

Raymundo de Souza
foto Marcio Rangel

“A melhor comemoração será sempre estar saudável e no ofício da minha profissão.”, e saúde não falta para o ator Raymundo de Souza, que no próximo ano vai celebrar 50 anos de uma carreira bem sucedida no Teatro, no Cinema e, principalmente, na Televisão.

Enquanto as comemorações não chegam, Raymundo divide o palco na companhia de Eri Johnson, Rayanne Moraes, Renato Rabello e João Lima Jr., no Teatro Itália, em São Paulo, com o espetáculo “Um Casamento Feliz”, e interpreta Joniel, personagem da novela ‘Belaventura’, da Record TV.

Nesta entrevista ao portal TV a Bordo, o paulista de Santo André, fala da felicidade de compartilhar uma vida abençoada ao lado da esposa Fabrícia, dos momentos em família com os cinco filhos e sete netos, claro, também comenta sobre os papéis marcantes interpretados na TV.

Senhoras e senhores, Raymundo de Souza.

Raymundo de Souza
foto Marcio Rangel

Rodrigo Ferraz: Ano que vem você comemora 50 anos de carreira; é uma marca e tanto! Como seria a melhor comemoração pensando em papel? 

Raymundo de Souza: É muito marcante sim. A melhor comemoração será sempre estar saudável e no ofício da minha profissão. Estou no Teatro com a comédia francesa UM CASAMENTO FELIZ que estará em cartaz também em 2018; e toda obra feita com o respeito que a arte merece, sempre será um grande presente.

Rodrigo Ferraz: Você disse que voltar aos palcos é sempre revitalizante e rejuvenescedor, o que mais te empolga de estar em cena?

Raymundo de Souza: A plateia, suas reações, sua resposta imediata… O Teatro é fascinante, é sem volta… Foi onde comecei e para onde sempre quero voltar e estar… O Teatro me acolhe… me desafia… me rejuvenesce e me traz muita alegria.

Rodrigo Ferraz: Em ‘Um Casamento Feliz’ você resgata a parceria com Rayanne Moraes e Eri Johnson, seus colegas em ‘Belaventura’. Como é repetir essa parceria?

Raymundo de Souza: Na novela ‘Belaventura’ não contracenamos, contudo, está com eles é muito bom. São dois grandes talentos e dividir o palco com pessoas generosas, elegantes na partilha cênica é muito gratificante sempre.

Raymundo de Souza
foto reprodução

Rodrigo Ferraz: O Joniel é um personagem chave em ‘Belaventura’? Como foi seu trabalho de composição?

Raymundo de Souza: O Joniel é um refugiado e é um homem chave no desfecho da trama. Um homem admirável. Cheio de qualidades e muito digno, decente e, sobretudo, inteligente e de boa índole. Estudei muito para dar vida ao Joniel. Busquei dar firmeza a sua voz, ao seu olhar, tentei um meio termo para que ele  não parecesse ríspido – apesar de ser um homem forte – para ser firme e não parecer um homem duro. Me exercitei muito para ficar mais forte fisicamente porque ele é um guerreiro, mudei o cabelo e muita aula de luta.

Rodrigo Ferraz: É mais complicado ou mais fácil gravar a trama toda antes dela ir ao ar? 

Raymundo de Souza: Já concluímos as gravações de ‘Belaventura’Prefiro gravar a medida que vai ao ar, assim podemos sentir as reações do público e ir dosando a personagem, considerando que novela é uma obra aberta. Porém, existe toda uma dinâmica e logística que, às vezes, não permite que isso seja possível. O importante é que o resultado ficou muito bom e a novela é muito bonita.

Raymundo de Souza
Raymundo de Souza como Agague em ‘Rei Davi’, Record TV/2012

Rodrigo Ferraz: Desde ‘Rei Davi’ você não passa um ano sem trabalho novo; o que mais te empolga em emendar um trabalho atrás do outro? 

Raymundo de Souza: O trabalho dignifica o homem; isso é empolgante. Fiz Vitória, O Rei Davi, A Terra Prometida e agora Belaventura. São diferentes um do outro, e todas essas personagens exigem de mim uma postura diferente, um novo olhar, uma nova criação… E isso é muito gostoso. Essas descobertas, essa criação empolga o ator.

Rodrigo Ferraz: Você trabalhou em emissoras distintas. Quais foram as diferenças que você consegue destacar em trabalhar na Band, Globo, Manchete e na Record TV? 

Raymundo de Souza: Não existe diferença. As emissoras são feitas de grandes profissionais. Todas elas. E Sempre tive o privilégio de trabalhar com profissionais qualificados e competentes. Cada um tem uma maneira, uma ótica, mas todos têm muita qualidade de direção e os resultados sempre foram bons.

Rodrigo Ferraz: Você tem uma família grande, como é conciliar trabalho e convivência familiar?
 
Raymundo de Souza: Nos esforçamos para estar juntos. Promovemos almoços na minha casa ou na casa deles, um churrasquinho, ver um jogo com os meninos, tardes com as crianças. As minhas filhas em São Paulo fica um pouco mais difícil, porém, sempre que tenho tempo livre vou ao encontro delas. Agora em cartaz em São Paulo fica mais fácil.
 
Rodrigo Ferraz: O que é mais prazeroso, ver os seus netos crescerem ou relembrar seus trabalhos?

Raymundo de Souza: Ver os meus netos crescer é imensurável, não tem preço, e não consigo nem quantificar o quanto isso me enche de felicidade e vida.
Relembrar a minha carreira, os meus trabalhos e ver o quanto cresci ou o quanto daquela época me compõe hoje, é muito prazeroso. Sou saudosista e amo estar com os meus amigos das antigas relembrando… são muitos momentos felizes.
Raymundo de Souza
banner espetáculo teatral Um Casamento Feliz
Rodrigo Ferraz: Você acredita em ” Um Casamento Feliz”?
 
Raymundo de Souza: Sim!Hoje eu vivo um casamento feliz!
O respeito, a troca e sobretudo o diálogo… casem-se com quem vocês gostem de conversar e dar risadas juntos, isso faz muita diferença.
 
Rodrigo Ferraz: Vamos para um jogo rápido? Vou citar o nome de alguns trabalhos seus e gostaria que você comentasse um pouco de cada um: 
 
– Sinhá Moça: Uma das novelas mais marcantes da minha carreira e muito importante para a televisão brasileira. Tínhamos 90% de audiência. Foi uma das novelas mais vistas e vendidas da história.
 
– Pedra sobre Pedra: O ‘Sete Estrela’ era um vilão que as crianças gostavam, por conta da busca dele pelo filho. Daí foram feitas algumas alterações para tirar o encantamento das crianças por essa personagem que era um bandido matador. Contracenei com grandes nomes e, entre eles, os queridos Armando Bógus, Nelson Xavier e muitos outros grandes nomes da nossa televisão.
 
– Vidas Opostas: Foi a minha primeira novela na Record TV. Fui convidado para fazer 20 capítulos e viraram 60. A partir daí fiquei contratado por 13 anos na Record TV. A novela foi um grande sucesso.
 
– Chamas da Vida: Essa novela me levou para uma rotina muito legal. Estar junto com o Corpo de Bombeiros, nas suas rotinas, treinamentos, etc, foi muito enriquecedor. Nos faz dar muito mais valor para esses heróis da vida real.
 
– Vitória: Uma história real que me trouxe uma resposta do público que eu não esperava. Tinha um retorno, a abordagem de pessoas que viviam de perto o alcoolismo. O público não sabia se amava ou odiava o Ednaldo.
Raymundo de Souza
Beth Goulart (Léia) em cena com Raymundo de Souza (Quemuel) em ‘A Terra Prometida’, Record TV – 2016/2017
– A Terra PrometidaUm prazer enorme fazer o Quemuel. Uma mensagem linda que de fato acrescentou muito na vida das pessoas e, também, me acrescentou bastante enquanto homem. Uma história muito nova para as telenovelas. Uma relação muito bacana de todo elenco e equipe, com amizades que duram ate hoje.
por Rodrigo Ferraz
para o TVaBordo
#RaymundodeSouzaNoTVaBordo
 
 
foto Instagram / Sylvia Goulart com Raymundo de Souza
Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here