Vem aí, ‘Onde Nascem os Fortes’: Bem perto do céu

0

Bem perto do céu

Bem perto do céu
foto Estevam Avellar

Bem Perto do Céu

Certa vez Samir (Irandhir Santos) subiu o Lajedo dos Anjos e nunca mais quis descer. Do alto, perto do céu, ele tem certeza que a vida que deixou para trás vale bem menos que a que leva ali, recebendo pessoas em busca de refúgio e de um recomeço.

Lajedo dos Anjos

O Lajedo dos Anjos é também o recomeço de Samir. O homem, líder da comunidade fincada no alto da formação rochosa que se impõe em Sertão, sofreu uma grande decepção no passado, o que o levou a rever seu papel no mundo. Com um discurso de caridade, de amor ao próximo e de perdão, vive de maneira colaborativa e autossustentável com os colegas. Aldina (Camila Márdila) é seu braço-direito, que organiza as tarefas e a rotina do local.

LEIA TAMBÉM

Vem aí em ‘Orgulho e Paixão’: O Vale do Café se agita com o anúncio do grande baile

Irandhir Santos

“Samir defende que todo mundo tem direito ao perdão, prega que só por meio dele é possível dissipar o ódio. Mas ele também entende que se manter ligado ao divino exige uma capacidade de reconhecer as próprias fraquezas e não se deixar abater por elas”, conta Irandhir Santos.

De George Moura e Sergio Goldenberg, escrita com a colaboração de Flavio Araujo, Mariana Mesquita e Claudia Jouvin, ‘Onde Nascem os Fortes’ tem direção artística de José Luiz Villamarim, direção geral de Luisa Lima e direção de Walter Carvalho e Isabella Teixeira. Com previsão de estreia para abril, a supersérie traz ainda nomes como Fábio Assunção, Debora Bloch, Gabriel Leone, Enrique Diaz, Jesuíta Barbosa, Carla Salle, Lara Tremouroux, Marcos de Andrade, Ravel Andrade, Camila Márdila, José Dumont e Nanego Lira no elenco.

LEIA TAMBÉM

Entrevista com Marcos Bernstein (autor) e Fred Mayrink (diretor) de ‘Orgulho e Paixão’

A próxima novela das seis, ‘Orgulho e Paixão’, que tem seus personagens livremente inspirados no universo da escritora inglesa Jane Austen, é uma história romântica e bem-humorada, que se passa no fictício Vale do Café, no início do século XX. No vilarejo voltado para o plantio e a comercialização do “ouro verde”, vivem as famílias ricas, donas das fazendas de café, os trabalhadores e aqueles que lutam para não perder tudo que têm.

CONTINUE LENDO

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.