O significado dos figurinos do corpo e da alma em ‘Carcereiros’

0

Sobre os figurinos. “A gente vê muito o personagem com o uniforme e com uma mesma roupa de sempre, porque ele tem um guarda roupa reduzido, que faz parte da realidade dele. É muito conciso e pragmático”, Manuella Mello, figurinista

Figurinos do corpo e da alma
foto reprodução

Costuma-se referir a um contingente de presidiários como “massa carcerária”. Esse substantivo, “massa”, por si só carrega muitos significados. As pessoas ali, em tese, perdem sua identidade, suas características, suas expressões para ingressar em um mundo conhecido por uniformes e cabelos cortados à máquina. Todos representam uma mesma imagem, que já faz parte, inclusive, do consciente coletivo: roupa bege, chinelo e cabeça raspada. Tentando buscar a liberdade que a ficção tem em sua origem, sem se distanciar muito da realidade, a figurinista Manuella Mello e o caracterizador Ebony Souza trouxeram à Vila Rosário algumas informações que dão personalidade aos personagens da série.

“Quando a gente trata da realidade, é perigoso contar a história de uma maneira errada. É preciso criar algo bem próximo, com responsabilidade, não podemos errar os códigos que existem ali. Então, tivemos de estudar muito para poder criar”, explica Manuella. Parte desses códigos, em uma penitenciária, é representada pelas tatuagens. “Na cadeia, as tatuagens têm um significado. Tive de fazer uma pesquisa muito grande para não colocar nada errado em cena. Por exemplo, nesse meio, uma tatuagem de santa é o símbolo de um estuprador”, conta Souza.

LEIA TAMBÉM

Aconselhado pelo tio, Érico rouba dinheiro em ‘Malhação – Vidas Brasileiras’

Figurinos

Os uniformes do presídio fictício da série também surgiram a partir de muitas pesquisas e atendem tanto às necessidades do texto como da fotografia. “Em Minas Gerais, o uniforme é vermelho; no Pará, é verde. Cada lugar tem uma cor diferente. Conversei muito com a Claudia Calabi (diretora de arte) e com o Belmonte (diretor-geral), porque a gente já estava retratando um tema muito difícil e achava que a cor bege deixaria tudo mais triste, mais decadente e deprimente”, explica a figurinista. Assim, chegaram ao amarelo e, depois de vários testes, optaram pela cor mostarda, que “tem uma leitura de amarelo, mas não interfere tanto na luz”. Outro ponto adaptado para a série foi o cabelo dos presos, que ganhou variações para que cada um tivesse sua personalidade.

O Monstro

É possível compreender o trabalho da equipe de figurino e caracterização a partir de um personagem bastante marcante na série, o Monstro, um pedófilo completamente perturbado interpretado por Matheus Naschtergaele. “Ele tem uma fragilidade que a gente quis mostrar na roupa: ele usa tênis e meia, o que demonstra que ele não está à vontade ali. Tem uma coisa mais asséptica. Usa também uma sobreposição de uma camiseta de manga comprida com uma camisa da prisão toda abotoada, até o pescoço”, descreve Manuella.

Agentes Penitenciários

Os agentes penitenciários carregam um pouco de sua história também na pele. Eles precisavam de um aspecto menos tratado, um pouco mais displicentes quanto aos cuidados pessoais. O personagem de Rodrigo Lombardi exprime toda sua retidão em seu visual. Ele está sempre de calça, camisa, nunca será visto de pijama ou bermuda, porque isso não entra no imaginário do “herói”. “A gente vê muito o personagem com o uniforme e com uma mesma roupa de sempre, porque ele tem um guarda roupa reduzido, que faz parte da realidade dele. É muito conciso e pragmático”, conta Manuella.

Prêmio Internacional

Série vencedora do Grande Prêmio do Júri do Mip Drama, em Cannes, no ano passado, ‘Carcereiros’ é assinada por Fernando Bonassi, Marçal Aquino e Denisson Ramalho, escrita com Marcelo Starobinas e livremente inspirada na obra de Drauzio Varella. A obra é uma coprodução da Globo com a Gullane Filmes e a Spray Filmes, figurinos, tem direção-geral de José Eduardo Belmonte e direção de episódios de Belmonte e Fernando Grostein. Com estreia prevista para o final de abril, ‘Carcereiros’ ganha três episódios inéditos para a versão da TV, além dos doze já disponíveis no Globo Play.

Além de Rodrigo Lombardi, Othon Bastos, Mariana Nunes, Giovanna Ríspoli, Aílton Graça e Tony Tornado, a série conta com Lourinelson Vladmir, Jean Amorim e Nani de Oliveira e tem participações especiais de Chico Diaz, Matheus Nachtergaele, Projota, Letícia Sabatella, Carol Castro, Caco Ciocler, Gabriel Leone, Samantha Schmutz, entre outros.

Além do Significado dos Figurinos em ‘Carcereiros’, confira outras matérias neste portal na coluna NOVELAS – GLOBO.

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.