O roubo da taça Jules Rimet é assunto do ‘Arquivo N’

0

Taça Jules Rimet: ‘Arquivo N’ relembra um dos episódios mais marcantes da história do futebol, ocorrido há 35 anos

Taça Jules Rimet
foto reprodução

A Copa do Mundo da Rússia chegou ao fim, mas na GloboNews o maior evento do futebol mundial continua em pauta. O ‘Arquivo N’ desta quarta-feira, dia 18, relembra um dos episódios mais marcantes da história da competição, ocorrido há 35 anos: o roubo da taça Jules Rimet. Símbolo do tricampeonato conquistado pelo Brasil em 1970, o troféu foi levado da sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Centro do Rio de Janeiro.

LEIA TAMBÉM

Estreia da sétima temporada do The Voice Brasil registra crescimento no Ibope e voa alto na Globo

Taça Jules Rimet

Feita com mais de três quilos de ouro, a taça sumiu sem deixar rastros, em uma história que até hoje é repleta de lacunas. Como o fato repercutiu em todo o mundo, a investigação ficou sob responsabilidade da Polícia Federal. No programa, o ourives  argentino Juan Carlos Hernandez,  preso por ter derretido a Jules Rimet, chega a brincar com a situação: “Antes de ser ouvido, eu brinquei com o delegado: ‘Pois é, todos os brasileiros pensaram que ganharam a taça Jules Rimet. No entanto, quem levou foi um argentino.’ Quando eu disse isso, em tom de brincadeira, até o delegado começou a rir”.

O ‘Arquivo N’ vai ao ar nesta quarta-feira, dia 18, às 23h.

VEM AÍ

Globo lança ‘O Tempo Não Para’, no Museu do Amanhã, com exposição sensorial

Ao longo dos anos, a humanidade avançou em suas descobertas e elas nos trouxeram aos dias de hoje, nos permitindo refletir sobre como evoluímos e o que o futuro pode nos reservar. Como o tempo não para, o amanhã urge. É seguindo essa premissa que o evento de lançamento da próxima novela das sete, ‘O Tempo Não Para’, aconteceu na noite desta segunda-feira, dia 16, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, em um ambiente de ideias, explorações e perguntas sobre a época de grandes mudanças em que vivemos e os diferentes caminhos que se abrem para o futuro. A novela acompanha a história da família Sabino Machado, que congelou em 1886 após o naufrágio do navio Albatroz e, ao despertar em 2018, precisa lidar com os choques culturais e temporais diante da realidade contemporânea. 

CONTINUE LENDO

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.