‘Eu, Moby Dick’ estreia no Centro Cultural Oi Futuro

0
Eu - MOBY DICK
foto Caio Galucci

EU, MOBY DICK pretende uma obra de dramaturgia aberta, de extrema poesia visual que levará o público à uma experiência imersiva, multimídia e sensorial

“Eu, Moby Dick” aprofunda a pesquisa de linguagem pelo qual Renato Rocha é conhecido na Europa. Seu espetáculo anterior,“S’Blood” (2018), foi indicado ao Prêmio Shell-RJ, na categoria Inovação. Desde 2010, Renato Rocha desenvolve espetáculos para a Royal Shakespeare Company, The Roundhouse, LIFT (London International Festival of Theatre) e Circolombia, dirigiu e colaborou em projetos na Índia, Berlim, Tanzânia, Quênia, Egito, Paris, Nova Iorque, Edimburgo, Estocolmo, Budapeste e Colômbia. 

Poesia visual

O Oi Futuro receberá a partir de 6 de junho a estreia nacional de “Eu, Moby Dick”, um espetáculo de extrema poesia visual que levará o público à uma experiência imersiva, multimídia e sensorial. Com dramaturgia de Pedro Kosovski, cenário de Bia Junqueira, iluminação de Renato Machado, figurinos de Tarsila Takahashi, trilha sonora original de Felipe Habib e Daniel Castanheira, projeções de Renato e Rico Villarouca, direção de movimento de Paulo Mantuano, elenco composto por Kelzy Ecard, Márcio Vito, Noemia Oliveira e Gabriel Salabert, direção e idealização de Renato Rocha, a montagem/instalação transformará o palco do Centro Cultural Oi Futuro numa plataforma multidisciplinar inspirada num grande universo de destroços onde serão projetadas por vídeo mapping os subconscientes dos personagens, suas reflexões, medos, anseios e ambições. “Eu, Moby Dick” ficará em cartaz no centro cultural do Flamengo até 28 de julho.
LEIA TAMBÉM

O espetáculo

Embarcar no navio Pequod, é embarcar numa batalha entre a razão humana e o instinto animal, e confrontar-se com Moby Dick acaba sendo confrontar-se com os fantasmas que nós mesmos criamos, confrontar a si mesmo, com a simples possibilidade de se estar vivo ou ter que deparar-se com a própria morte. Logo, a encenação de “Eu, Moby Dick” proposta por Renato Rocha não pretende ser fiel a história original da perseguição a baleia branca, descrita por Herman Melville. Mas sim, se apropriar de seus personagens, de seus conflitos e suas reflexões para criar uma dramaturgia aberta e subjetiva, que utiliza como pontos de partida questões fundamentais do próprio livro levantadas pelo autor, como: Quais são as nossas obsessões? Quais os monstros que nós mesmo criamos? Até que ponto ficamos cegos em uma busca por algo que pode custar tudo o que construímos, no caso nossa própria vida? Como nos relacionamos com os mistérios de um mundo que não conhecemos, nesse caso, esse oceano que se apresenta em nossa jornada? Qual relação entre o percurso do navio Pequod e as escolhas que determinam nosso próprio caminho? 


Dramaturgia

Associando essas questões com passagens da história, trechos de narrações e cenas do livro, é construída uma plataforma que serve de base para improvisações e composições cênicas do elenco e da equipe de criação. Assim, a partir de como cada artista se relaciona com o material proposto durante o processo criativo, novos textos, movimentos corporais, cenas imagéticas, gestos, passagens audiovisuais, coreografias, além de trechos de texto e cenas extraídos do próprio livro serão entrelaçados para a criação da dramaturgia de Pedro Kosovski e da encenação de Renato Rocha.

Núcleo de Artes Integradas

O espetáculo seguirá a metodologia e filosofia do trabalho/pesquisa desenvolvido por Renato Rocha, inicialmente em seus espetáculos na Europa e mais recentemente no Brasil com o NAI – Núcleo de Artes Integradas, que contará com as memórias e experiências de vida dos espectadores como parte final da obra. Para tanto, o elenco se lançará no desafio de viver ao mesmo tempo o Capitão Ahab, Ismael, Queequeg, Moby Dick e o próprio navio Pequod, nos levando a questionar, assim como a cada personagem, sobre os caminhos que escolhemos e com o que nos confrontamos.

Renato Rocha

– O espetáculo pretende navegar nas mesmas metáforas que Melville traz em seu livro, tendo como objetivo aprofundar minha pesquisa de uma linguagem artística mais universal e aberta, uma obra que não se prenda a uma dramaturgia linear onde o espectador seja refém de um entendimento intelectual, num processo criativo que se apropriará das metáforas extraídas do romance para falar sobre temas relevantes da contemporaneidade e traçar um olhar profundo sobre o sujeito contemporâneo –, comenta o diretor Renato Rocha.

Oi Futuro

A montagem de “Eu, Moby Dick”, no Centro Cultural Oi Futuro, conta com patrocínio da Oi, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, Lei Estadual de Incentivo à Cultura, correalização do Oi Futuro e apoio cultural da Firjan Sesi.

Ficha Técnica

Direção: Renato Rocha
Dramaturgia: Pedro Kosovski, a partir da obra-prima de Herman Melville.
Assistência de direção: Rafaela Amodeo
Elenco: Kelzy Ecard, Márcio Vito, Noemia Oliveira e Gabriel Salabert
Figurinos: Tarsila Takahashi
Cenário: Bia Junqueira
Iluminação: Renato Machado
Videografismo: Rico e Renato Vilarouca
Direção Musical: Felipe Habib e Daniel Castanheira
Direção de Movimento: Paulo Mantuano
Assessoria de Imprensa: Ney Motta
Programação Visual e Marketing Digital: Raquel Alvarenga
Registro Fotográfico e Videográfico: Caio Gallucci
Coordenação de Projeto: MS Arte e Cultura
Direção de Produção: Aline Mohamad e Carla Torrez Azevedo
Produção Executiva: Fernanda Alencar e Gabriel Salabert
Assistência de Produção: Renan Fidalgo e Naomi Savage
Administração Financeira: Natália Simonete

Serviço

Local: Centro Cultural Oi Futuro
Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, Rio de Janeiro (próximo ao Metrô Largo do Machado)
Informações/tel.: (21) 3131-3060
Temporada: 6 de junho a 28 de julho, quinta a domingo, às 20h.
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)
Vendas na bilheteria, de 3ª feira a domingo, das 14h às 20h, ou pelo site www.ticketplanet.com.br
Lotação do teatro: 63 pessoas
Classificação indicativa: 14 anos
Duração: 80 minutos
Gênero: Drama

Atendimento à Imprensa

Ney Motta
contemporânea comunicação
assessoria de imprensa
cel./whatsapp: 21 98718-1965
neymotta@gmail.com
Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.