O$ CARA$ DE PAU DA FÉ – VIGÉSIMO TERCEIRO CAPÍTULO

0
De Warlen Pontes
 
VIGÉSIMO TERCEIRO CAPÍTULO


No capítulo anterior
https://www.tvabordo.com.br/2013/07/o-cara-de-pau-da-fe-vigesimo-segundo-capitulo.html

Hospital Lar da Saúde.
Todos surpresos com a chegada de Tereza Cristina e o misterioso Fernando.
Carolina e Ludmila abraçam Tereza.
(Carolina) – Por onde você andava?
(Ludmila) – Você sumiu, tia!
Carolina e Ludmilda olham para Fernando.
(Ludmila) – Ah, casou e não falou nada pra gente!
(Tereza) – Ah, desculpem, meninas! Não casei e é uma história muito longa o meu desaparecimento. Quero apresentar pra vocês, Fernando, um amigo de longa data e o meu salvador!
Fernando cumprimenta a todos.
(Carolina) – Salvador?
(Ludmila) – Como assim?
(Alexandre) – Você deve ter muita história pra contar mesmo, Tereza Cristina.
(Tereza) – Bastante Alexandre. Vamos sair daqui e armar um plano para pegar Osvaldinho e cia.
(Carolina) – Gercivaldo, Hércules…
(Fernando) – Tem muito mais pessoas que vocês imaginam! É uma gang! Alexandre, fui um dos melhores amigos de Lobo. Meus sentimentos. Ele falava muito de você!
(Tereza) – Alexandre, Fernando foi amigo de infância de Lobo. Estudaram juntos, já até dividiram apartamento.
(Alexandre) – O velho Lobo e seus mistérios. Ele nunca me contou nada sobre você!
(Fernando) – E não podia, Alexandre. Protegíamos um ao outro. Se acontecesse algo com um de nós, o outro ajudava. Já fiz muito isso e ele também.
(Carolina) – Se você protegia Lobo, então o sr. sabe sobre o dossiê?
(Fernando) – Deixe o sr. de lado… tem uma cópia dele comigo.
Todos comemoram a notícia como um gol de final de Copa do Mundo.
(Ludmila) – Gente! Estamos num hospital!
(Tereza) – Vamos embora daqui rápido. Temos muito que conversar e ainda tem um monte de cobra pra capturar!
Todos riem.

Academia Corpo Ungido e Sarado


Hércules dando orientações aos seus funcionários quando entra Ana Paula, a editora-chefe do jornal. Hércules faz sinal para ela subir. Ana Paula sobe as escadas até o escritório da Academia. Entra na sala. Logo em seguida, Hércules entra e fecha a sala. Os dois se abraçam e um beijo ardente acontece.

(Hércules) – É muito arriscado você aparecer por aqui, Ana Paula.
(Ana Paula) – Osvaldinho se adiantou. Temos que agir logo. Quando eles vão aparecer?
(Hércules) – Osvaldinho me ligou. Falou que às 2h da tarde eu estivesse no lugar combinado.
(Ana Paula) – Você acha que realmente eles vão fugir e vão dividir essa grana toda com você?
(Hércules) – Eles nunca pisaram na bola comigo. Não vai ser desta vez!
(Ana Paula) – Mesmo assim, Hércules. Esta história está muito estranha! Por isso, vou com você!
(Hércules) – É muito arriscado! Não quero que a minha gata corra riscos!
Eles se beijam ardentemente.
(Ana Paula) – Eu sei, meu gostoso, mas a gente não pode bobear. Eles são homens perigosos!
(Hércules) – Eu sei me cuidar, Ana Paula. Não se preocupe! Confie em mim!
(Ana Paula) – Em você eu confio, só não confio nos dois. Bem, eu trouxe este casaco para vocês vestir. Para a sua proteção! Dentro dele tem um colete à prova de balas.
Hércules olha o casado e gosta muito.
(Hércules) – Lindo! Adorei! Você acha que eles podem me matar?
(Ana Paula) – Eu tenho certeza! Eles vão fugir com aquela dinheirama toda! Eles não vão dividir com você, Hércules, não seja ingênuo! Você sabe muito sobre eles! Eu também corro riscos!
Hércules não gosta do que ouve.
(Hércules) – Mas se eu sei muito, imagina você! Você ajudou no sequestro da Tereza Cristina. Você tentou pegar o dossiê. Você sabe até mais do que eu!
(Ana Paula) – Sei bastante, mas me afeiçoei a você, meu gostoso. Não quero que nada de mal aconteça a você, por isso, proteja-se! Para o seu bem.
Hércules olha dentro dos olhos de Ana Paula.
(Hércules) – Você sabe de alguma coisa e não quer me dizer?
Ana Paula fica de costas para Hércules.
(Ana Paula) – Não sei de nada, Hércules. Só quero que você fique bem e se proteja daqueles dois. Só isso.
Hércules abraça forte Ana Paula e os dois se beijam ardentemente.

 
Na Mansão de Osvaldinho


Lola termina de colocar as malas na Mercedes classe a prateada de Osvaldinho. Adelene dá as últimas instruções para Lola e outro funcionário. Despede-se com dois beijinhos em Lola. Osvaldinho acena para o funcionário e para Lola. Adelene e Osvaldinho entram no carro e partem com destino ao aeroporto da capital.

(Adelene) – Este não é caminho para o aeroporto, Osvaldinho.
(Osvaldinho) – Vamos num jatinho especial, meu amor.
(Adelene) – Por que, Osvaldinho?
(Osvaldinho) – Porque se formos ao aeroporto, vamos chamar muito atenção e não quero.
(Adelene) – Qual o problema? Você não sabe da comitiva?
(Osvaldinho) – Comitiva? Que comitiva?
(Adelene) – A diretoria da igreja mobilizou o coral das irmãs castas e santas para cantar Aleluia de Handel.
(Osvaldinho) – Mais alguém?
(Adelene) – Toda a imprensa de Nova Cabrobó, a diretoria da Igreja, todos estarão lá para se despedir de você e Gercivaldo, afinal, é a primeira vez que vocês vão se ausentar por muito tempo!
Osvaldinho pega o telefone e disca para Gercivaldo.
(Osvaldinho) – Muito cuidado. Todo mundo tá sabendo da nossa viagem. Coral, diretoria, imprensa, imagina o resto? Acionar plano B.
Osvaldinho desliga o telefone.
(Adelene) – Osvaldinho, o que é o plano B?
Osvaldinho para o carro. Pede para Adelene sair do carro. Adelene sai do carro e logo em seguida, Osvaldinho. Um homem vestido de terno preto se aproxima e encosta uma arma discretamente em Adelene.
(Osvaldinho) – Com calma, lovinha, acompanhe meu amigo.
Uma lágrima desce do rosto de Adelene.
(Osvaldinho) – Sem escândalos! Qualquer pio, você morre!
O semblante de Adelene se fecha e ela o encara.
(Adelene) – O que é seu está guardado. Muito bem guardado.
Osvaldinho ri.
(Osvaldinho) – Eu sei. Tem muita coisa guardada, pena que não vou dar nada a você. (ri sarcasticamente)
Osvaldinho entra no carro e sai com ele cantando pneu.

Uma hora depois…
Adelene está trancada numa sala amarrada, amordaçada e com uma venda nos olhos. Ela ouve um barulho de alguém entrando na sala e reconhece o cheiro do perfume. Os dois homens de preto colocam a estranha sentada junto à Adelene.

Não muito longe dali, Hércules aguarda Osvaldinho.
Hércules vê se aproximando a Mercedes preta de Gercivaldo. Gercivaldo para o caro e pede para Hércules entrar.

(Hércules) – Onde está Osvaldinho, Gê?
(Gercivaldo) – Gostei do casaco. Me empresta depois?
(Hércules) – Empresto. Mudança de planos?
(Gercivaldo) – Plano B acionado.
(Hércules) – O que é o plano B?
(Gercivaldo) – Daqui a pouco você vai saber. Tá lindo!
(Hércules) – Obrigado, garotão!

Num hotel da cidade.
Carolina, Alexandre, Ludmila, Tereza Cristina e Fernando.
(Tereza Cristina) – Como eu desconfiava. Plano B acionado.
Carolina e Ludmila estranham e perguntam.
– Plano B acionado?
(Carolina) – O que é o plano B, tia Tereza?
(Tereza) – Daqui a pouco vocês vão saber.

Longe dali, Gercivaldo encosta sua Mercedes preta ao lado da prateada de Osvaldinho. Gercivaldo e Hércules descem do carro.
Numa sala, Osvaldinho aguarda Gercivaldo e Hércules.
Os dois entram na sala.

(Osvaldinho) – Gostei do casaco. Me empresta depois?
(Hércules) – Empresto. O que é o plano B, Osvaldinho?
(Gercivaldo) – Quanta curiosidade…
(Osvaldinho) – Você saberá, meu jovem. Preparado?
(Hércules) – Sempre estou preparado.
(Gercivaldo) – Temos uma surpresinha pra você…

 
FIM DO VIGÉSIMO TERCEIRO CAPÍTULO


Qual será o plano B de Osvaldinho e Gercivaldo?
Quem vai sentar junto à Adelene?
Qual será a surpresinha de Gercivaldo e Osvaldinho?

 
Não perca, dia 17, antepenúltimo capítulo de
O$ CARA$ DE PAU DA FÉ

ESTA É UMA OBRA DE FICÇÃO
QUALQUER SEMELHANÇA COM PESSOAS,
HISTÓRIAS OU FATOS, TERÁ SIDO, MERA COINCIDÊNCIA.

Curta a nossa fan page
 
Siga TV a BORDO no twitter

 

 

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.