O Fogo do Sertão de AMORES ROUBADOS

0
foto: reprodução
minissérie AMORES ROUBADOS – TV CRÍTICA



Mais uma estreia da TV Globo movimentou as redes sociais e o horário nobre da TV brasileira: AMORES ROUBADOS; sexo, suspense, um quadrilátero amoroso e audiência recorde.


A história

O sedutor sommelier Leandro (Cauã Reymond) está de volta de São Paulo e, de cara, envolve-se com duas mulheres casadas: a infeliz Isabel (Patrícia Pilar), a fogosa Celeste (Dira Paes), esposas dos “coronéis” Jaime (Murilo Benício) e Cavalcanti (Osmar Prado), respectivamente. Mas no meio do caminho tinha uma Antônia (Ísis Valverde), filha de Isabel e Jaime. Uma paixão avassaladora acontece e Leandro deixa de lado suas amantes para viver o seu grande romance.



Adaptação

Gravada em Paulo Afonso (BA) e Petrolina (PE), AMORES ROUBADOS é uma adaptação do folhetim A EMPAREDADA DA RUA NOVA, de Carneiro Vilela, (obra não citada nos créditos iniciais, somente o autor) por George Moura (LINHA DE PASSE), com supervisão de Maria Adelaide Amaral, fotografia do premiado Walter Carvalho (CENTRAL DO BRASIL) e direção de José Luiz Villamarim.


Uma produção caprichada e entrosada

A minissérie tem conquistado as redes sociais e, não é incomum durante a sua exibição, figurar nos trending topics do Twitter e nos principais comentários do Facebook. O IBOPE é recorde. AMORES estreou com 31 pontos de média (cada ponto equivale a 62 mil domicílios na cidade de São Paulo), e no decorrer da semana – já foram exibidos cinco capítulos -, ficou na média dos 30 pontos sendo a segunda maior audiência da Globo, perdendo só para AMOR À VIDA.



O cast é caprichado. Atores do primeiro escalão global como Murilo Benício, Patrícia Pillar, Osmar Prado, Dira Paes, Cássia Kiss Magro, Cauã Reymond, Ísis Valverde e os estreantes Irandhir Santos e Jesuíta Barbosa, dão um brilho e um peso importantes.  

O trio entrosado José Luiz Villamarim (geral), George Moura (roteiro) e Walter Carvalho (fotografia), deu certo mais uma vez; em 2013, estiveram à frente da bem sucedida CANTO DA SEREIA. A fotografia de Carvalho dá o tom preciso na direção de Villamarim, some-se a isso, o cenário seco do Nordeste, a auspiciosa vinícola Vieira Braga e às intempéries das personagens adaptadas por Moura.

Diante desse contexto cheio de predicados, AMORES destaca-se pela trama instigante e as interpretações cuidadosas de seu elenco. Dira Paes esbanja sensualidade como a insaciável Celeste; Cássia Kiss Magro rouba a cena como a “puta velha” sem glamour da Carolina; Patrícia Pillar interpreta com intensidade os infortúnios de sua Isabel; Irandhir e o desenho sutil do empregado cobiçoso, João e, por fim, o simpático e talentoso, Jesuíta Barbosa, como Fortunato, o amigo leal de Leandro.


Reymond e Valverde

O sucesso desse enredo sertanejo deve-se também à química e ao talento de seus protagonistas: Reymond e Valverde. Os dois esbanjam carisma em sequências cheias de cumplicidade, provocando rumores de um affair além da poeira e do Rio São Francisco.  


Justiça seja feita. O fogo do sertão de AMORES ROUBADOS tem qualidade, cuidados cinematográficos e merece todo o reconhecimento do público e da crítica, sem cair na vulgaridade ou na apelação de suas cenas mais audaciosas.



AMORES ROUBADOS

Minissérie exibida de segunda a sexta, depois de AMOR À VIDA

Adaptação de 

George Moura
Escrita por
Flávio Araújo
George Moura
Sérgio Goldenberg
Tereza Frota
Supervisão de Texto
Maria Adelaide Amaral
Direção Geral
José Luiz Villamarim

Leia crítica sobre


Curta
TVaBordo
Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.