Tatá Werneck: “Eu quero ser mãe, não agora. Vou esperar mais uns dois anos.”

0

Tatá Werneck faz CHECK-IN no TV a Bordo

Tatá Wernecki
foto reprodução GShow / Tatá Werneck como Lucrécia

A partir de hoje, a novela medieval da Globo, ‘Deus Salve o Rei’, ganha uma nova personagem, que vai mexer com o reino de Montemor. Entre tantas belas pretendentes, o rei Rodolfo (Johnny Massaro) escolheu a mais “bela entre todas”: Lucrécia (Tatá Werneck)! 

O TV a Bordo conversou com a atriz no evento promovido pela emissora no Projac, que aconteceu em dezembro de 2017, nos estúdios onde são gravadas as cenas da trama das sete. Tatá Werneck não foi nada econômica nas respostas com os jornalistas e justificou. “Eu sei o quanto é importante render pros dois lados”.

Além da personagem Lucrécia, em ‘Deus Salve o Rei’, Tatá falou do talk show que comanda no Multishow, o ‘Lady Night’, o seu lado fofo de proteger os animais abandonados na rua, o momento ímpar que vive na carreira e muito mais!

A entrevista, a seguir, é uma reprodução das perguntas e respostas feitas pelos jornalistas que rodearam Tatá na cidade cenográfica de Montemor, as interrogações pelo portal estão identificadas:

TV a Bordo – Fala da Lucrécia…

Tatá Werneck: A mãe dela foi bipolar e depois morreu, e ela é uma mulher que se casa com o rei; ela vira rainha, mas ela não consegue se manter fiel. Então, ela se martiriza, ajoelha no milho. É um drama que é medieval e, ao mesmo tempo, bem atual. A “Fedora” (Haja Coração), a “Valdirene” (Amor à Vida), era outro tipo de fala, mas aqui, quando você faz uma novela contemporânea, você pertence muito mais facilmente aquele universo. Quando eu fiz ‘I Love Paraisópolis’ (2015), eu interpretei facilmente aquele lugar, mas em ‘Deus Salve o Rei’, não é só chegar e gravar, você precisa sentar, precisa estar equalizado para que todos  estejam construindo o mesmo reino, o mesmo lugar, e para que a gente consiga transformar este lugar, que é fictício, torná-lo de maneira natural, real e interessante, então é uma novela difícil, não só a prosódia, mas como todo o restante. 

Tatá Werneck
Rodolfo (Johnny Massaro) e Lucrécia (Tatá Werneck) / foto João Miguel Jr.

TV a Bordo – Mas ela é uma tarada, pelo menos, em algumas sequências que assistimos…

Tatá Werneck: Ela tem várias compulsões, e a compulsão por sexo é uma delas. Dizem que as pessoas que fazem piadinhas têm umas “coisinhas”, baixinhas têm um certo borogodó…

TV a Bordo – E você tem “borogodó”?

Tatá Werneck: Ah, dá um Google Warlen e você vai ler o que os meus ex-falam sobre mim (kkkk)

TV a Bordo – Você abriria mão da sua carreira na televisão só para fazer o ‘Lady Night’?

Tatá Werneck: O ‘Lady Night’ me realiza muito! Eu não consigo abrir mão… fico com as duas coisas. ‘Deus Salve o Rei’ é uma novela muito cuidada por todos nós! Não é uma novela que você chega: “E aí, Bruna (Marquezine), vamos gravar?”, requer muita energia, porque a gente sai cansado, mas bem realizado, com textões (sic)… A gente vai pra casa pensando nisso! Não tem um descanso, a gente passa o tempo inteiro pensando nela! E depois, vocês viram como ficou? Não está linda? Não está demais?!

Você, alguma vez na sua vida, pensou em fazer uma princesa, sonhou em fazer uma princesa? Agora você vai fazer uma rainha, se inspirou em alguma personagem desse mundo?

Tatá Werneck: Engraçado, a novela que eu mais amei em minha vida foi ‘Que Rei Sou Eu?’ (Globo, 1989). Eu era muito pequena, mas eu lembro de algumas cenas. Lembro do Stênio Garcia na guilhotina… eu amava essa novela! Quando eu fui comunicada que estava reservada para uma novela medieval… nossa, eu vou amar fazer! E aí, quando vieram com a Lucrécia eu fiquei muito feliz. 

Você sobreviveria à época medieval? Com todas aquelas roupas, os costumes…

Tatá Werneck: Caraca, não! Porque até aqui eu estou com sudorese (brinca)… Vou te falar, é muito difícil, porque fica muito quente. São muitas coisas, né? Você olha aquela roupa e acrescenta mais quatro camadas de roupas, enchimento, mais desodorante, é difícil mesmo, cabelo que pesa… é um desafio, mas vale a pena. 

Fisicamente, o que você fez para ela?

TW: Eu engordei uns seis kilos, repararam?

Fez dieta de engorda?

TW: Não fiz dieta de engorda, só liberei. Tive vontade de engordar mais.

Foi uma opção sua?

Tatá Werneck: Sim, eles falaram, “Tatá, faz o que você quiser. A Lucrécia é uma mulher que ela tem suas compulsões”, puxa, então eu pensei, vou liberar essas compulsões. Ela tem desejo de comer figos, então ela se joga pra comida, ela se joga pro choro… então eles falaram “se você quiser engordar…”, que bom, porque eu era bem magrinha na Fedora (Haja Coração). Eu achei interessante, eu estava com 48 quilos no último trabalho que eu fiz. 

Você foi premiada como Melhor Apresentadora pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) com o ‘Lady Night’…

Tatá Werneck: Louvado seja Jesus!

E você vai fazer ‘Lady Night’ e ‘Deus Salve o Rei’ ao mesmo tempo?

Tatá Werneck: No ‘Lady Night’ eu participo de tudo, do roteiro, das músicas, porque eu tenho a melhor equipe do Universo, e os caras viraram meus irmãos! Então, não dá para fazer tudo ao mesmo tempo, novela, ‘Lady Night’, senão, eu faleço! Mas, assim que acabar a novela, eu vou fazer outra temporada do ‘Lady Night’.

A crítica escreveu que você surpreendeu como apresentadora, é uma das melhores entrevistadoras e que você ainda pode evoluir bastante…

Tatá Werneck: Eu fiquei muito feliz com o prêmio (Prêmio APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte – Melhor Apresentadora – 2017), de verdade! Porque eu acho a Fátima Bernardes, o Fábio Porchat, o Pedro Bial, brilhantes! Eu não saberia fazer o que o Bial faz, citar Castro Alves do nada, por exemplo! (brinca) Eu nunca li Castro Alves (risos). Cada um tem o seu DNA. Eu nunca me imaginei como apresentadora. Eu acho que eu estou ali mais como comediante, humorista, e fui aprendendo a apresentar no ar, junto com o ‘Lady Night’. Porque você saber tirar uma informação do outro, de uma maneira que seja um entretenimento para quem está vendo, sem ser agressivo, acho que tudo isso eu fui aprendendo. 

Tatá Werneck
foto Divulgação Multishow / Tatá Werneck com Bruna Marquezine

TV a Bordo – Você fez jornalismo?

Tatá Werneck: Me formei faz muito tempo. Eu fiz jornalismo, publicidade, artes cênicas e desenho industrial só que eu parei. Na época quando eu comecei a cursar jornalismo disseram que não precisava mais do diploma e eu, “P… logo agora!”, enfim, mas eu sei como é horrível você fazer uma pergunta para a pessoa, faz uma p… introdução e ela responde: “Não sei, gata”. Eu não quero que vocês cheguem aqui e depois falem: “P… Tatá não falou nada! Estava ali com as cabras da cidade medieval”, então, eu sei o quanto é importante render pros dois lados.

Você grava o ‘Lady Night’ “ao vivo”, ou melhor, como se fosse ‘ao vivo’?

Tatá Werneck: Eu gravo como se fosse “ao vivo”, eu não gosto de parar! Porque eu já fico imaginando tudo, e também porque acho que atrapalha o convidado, a plateia, enfim! Vocês já foram assistir? Estão todos convidados!

LEIA TAMBÉM

Resumo da semana de 29 de janeiro a 3 de fevereiro em ‘Deus Salve o Rei’

TV a Bordo – Você poderia fazer um programa com os jornalistas na plateia, o que você acha?

Tatá Werneck: Eu não entrevistei um jornalista… eu adoraria!

Você já imaginou os novos convidados?

Tatá Werneck: Cara, eu fico muito feliz, porque, às vezes, as pessoas não gostam muito de participar dos programas desse tipo, mas, todos os convidados pedem pra ir. Eu já encontrei a Grazi Massafera e ela “Poxa Tatá, eu quero ir!”, o Luciano Huck falou agora na gravação do ‘Caldeirão de Ouro’, “Eu vou, Tatá!”.

Tatá Werneck
foto Divulgação Multishow / Tatá Werneck com o jogador Neymar

TV a Bordo – E você, quem você quer muito entrevistar? Uma pessoa polêmica, por exemplo…

Tatá Werneck: Não vem com Inês Brasil… Eu queria… eu adoraria entrevistar a Xuxa, o Jô Soares, porque o Jô é uma escola para todos nós! O Bial, Wagner Moura, Caetano Veloso, que ia na segunda temporada mas não pôde ir. A irmã dele faleceu logo naquele momento. Vê aquela desconstrução, porque eu fico pensando… como seria aquela tal pessoa no ‘Lady Night’? 

TV a Bordo – E quem você não entrevistaria de jeito nenhum?

Tatá Werneck: Ah, milhares de pessoas! (Neste momento ela para e pensa) Ah, você é espertíssimo! Você merece um aumento! (Outra pausa) Eu não entrevistaria pessoas que não admiro! 

TV a Bordo – Ah, dá um nome…

Tatá Werneck: Ah, você acha que eu sou idiota… Deus me livre!

TV a Bordo – O Porchat disse que não entrevistaria o Jair Bolsonaro de jeito nenhum…

Tatá Werneck: Eu não entrevistaria pessoas homofóbicas, então, está dentro da minha resposta. 

foto reprodução Instagram / Tatá Werneck e Rafael Vitti

Sobre a casa que você vai comprar e colocar “100 mil cachorros”…

Tatá Werneck: Essa casa, como eu estou cuidado de vários gatos abandonados, um cachorro sem pata, uma cachorra cega, e como eu realmente não consigo ver um bichinho abandonado e não cuidar, eu resolvi me mudar com o Rafa (Rafael Vitti) para um lugar, que é no condomínio onde eu moro mesmo, mas para que a gente conseguisse pegar mais bichos, e eu quase peguei uma cabra daqui gente (risos), mas o Rafa falou, “ou eu ou a cabra”, eu cheguei a pensar… acho que a cabra (kkkk) 

O ‘Lady Night’ é um sucesso, praticamente você emenda uma novela atrás da outra, existe um brilho no seu olhar, o que está faltando?

TW: O que está faltando?

TV a Bordo – exclamei: “Um filho!”

Tatá Werneck: Ah, olha o Warlen jogando aqui também! De verdade, não falta nada. Estou tão feliz! Um clareamento dentário… (risos)

TV a Bordo: Uma “tatazinha” tá bom…

TW: Eu quero ser mãe, mas não agora. Vou esperar mais uns dois anos.

Confira a chamada que Tatá Werneck gravou para o TV a Bordo e o convite para assistir ‘Deus Salve o Rei’, novela de Daniel Adjafre, com direção artística de Fabrício Mamberti

 

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.