Aplicativos do bem é tema do ‘Como Será?’

0

Quadro do ‘Como Será?’ mostra aplicativos que ligam pessoas que querem fazer o bem. ‘Hoje é dia de…’ acompanha rotina dos pescadores

Aplicativos do bem
Foto: Sandra Annenberg recebe os convidados do quadro ‘60+’ // Crédito: Divulgação/Globo

O mundo digital combina com solidariedade? O quadro ‘Expedição Digital’, no ar este sábado, dia 17, no ‘Como Será?’, mostra que sim. Enquanto muito se fala sobre o quanto as mídias sociais afastam as pessoas, Renato Cunha apresenta aplicativos que usam a tecnologia para unir quem precisa de ajuda com quem pode e quer ajudar.

Aplicativos do Bem

O Comida Invisível, que coloca em contato estabelecimentos que têm comida para doar e instituições que precisam de alimentos. Ele também conversa com Juliana Ferreira, fundadora do Joyz, onde é possível aderir a uma campanha com apenas um clique. O Joyz é uma moeda virtual que equivale a R$ 0,10 e que vai sendo administrada de acordo com a adesão às causas. No interior de São Paulo, uma startup criou o time do sangue, aplicativo que põe em contato os hemocentros com potenciais doadores. O aplicativo aciona o doador mais próximo quando um dos centros está necessitando de sangue.

LEIA TAMBÉM

Elisabeta & Darcy: desencontro à primeira vista em ‘Orgulho e Paixão’

60+

Ainda falando sobre mídias sociais, a série ‘60+’ debate, entre outros aspectos, a importância que elas exercem na vida social dos idosos. No estúdio, Sandra Annenberg recebe o psicólogo e gerontologista José Carlos Ferrigno e convidados de diferentes faixas etárias – dos 20 aos 80 anos – para conversar sobre a manutenção das amizades com o passar dos anos e de como as trocas intergeracionais mantêm os mais velhos ativos e felizes. A repórter Júlia Bandeira apresenta o trabalho desenvolvido pelo SESC, instituição que promove série de atividades voltadas para o bem estar e a vida social deste público. 

Hoje é dia…

O ‘Hoje é dia de… pescador’ mostra a rotina de quem tira seu sustento do mar. Alexandre Henderson acompanha o trabalho da colônia de pescadores de Copacabana, no Rio de Janeiro, mostrando desde o preparo do barco até a sua entrada no mar. Já em alto mar, o repórter ajuda a puxar a rede e mostra o imenso esforço que os homens fazem diariamente, enfrentando sérios problemas, como a pesca predatória e a falta de educação dos banhistas que frequentam as praias. Ao final da experiência, ele testemunha a chegada do peixe fresco à praia e aprende a escolher um peixe fresco.   

Sandra entrevista, no estúdio, o especialista em segurança, Diógenes Lucca. Ele dá orientações e dicas de como prevenir alguns tipos de roubo, como se comportar de forma defensiva nos transportes públicos, que tipos de cuidados devemos ter ao usar cartões de crédito, entre outros assuntos. 

Sobre o ‘Como Será?’

‘Como Será?’, parceria do Jornalismo e da área de Responsabilidade Social da Globo com a Fundação Roberto Marinho, tem como objetivo compartilhar com o público experiências transformadoras, exemplos de cidadania e colaborar para a construção de um futuro melhor ao tratar de maneira integrada temas como educação dentro de fora da escola, sustentabilidade, qualidade de vida, mobilização social, trabalho e inovação em todas as áreas. É um espaço para apresentar, conhecer e incluir pessoas e ideias, que conta com a interatividade.

O programa vai ao ar às 7h (exceto nas afiliadas com conteúdo regional) e é reprisado na GloboNews e no Canal Futura, aos domingos, às 06h05 e às 15h, respectivamente. No Canal Futura, ainda há reprises na segunda (1h), quarta (20h30) e quinta-feira (2h30). 

Mais informações no site redeglobo.globo.com/como-sera e nas grades de programação locais. 

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.