Conflito religioso marca episódio da série ‘Segunda Chamada’

0

Eliete se vê envolvida em um conflito religioso entre os alunos da escola 

Conflito religioso marca episódio da série 'Segunda Chamada'
foto Maurício Fidalgo

O episódio da próxima terça-feira, dia 22, aborda ainda o preconceito enfrentado pela aluna Gislaine, a chegada do filho de Jaci e a descoberta de um teatro abandonado

A noite na Escola Estadual Carolina Maria de Jesus começa chuvosa e com um enigma: a estátua de Nossa Senhora Aparecida, colocada pelo diretor Jaci (Paulo Gorgulho) para proteger o espaço, desaparece misteriosamente. Mesmo com reações distintas, já que o ato suscita horror em uns e indiferença em outros, Jaci quer encontrar o culpado, que parece ter agido sem deixar rastros. O clima é de tensão entre os estudantes evangélicos e católicos do colégio, envolvendo também Eliete (Thalita Carauta). Paralelamente, Lucia (Debora Bloch) compra uma briga para proteger a sua aluna Gislaine (Mariana Nunes), enquanto Marco André (Silvio Guindane) e Sônia (Hermila Guedes) descobrem um segredo arquitetônico dentro da escola. A chegada de um novo aluno na escola vai mexer também com Jaci.

Conflito religioso

Todas as noites, Dona Jurema (Teca Pereira) espera o marido sair para trabalhar e, escondida, pega seus livros e cadernos para mais um dia de aula. Mas hoje, o sumiço da santa a deixa distraída e o foco nos estudos se transforma em uma obsessão para defender a sua fé e acusar os evangélicos. Dona Jurema e os demais alunos católicos improvisam uma missa na sala de aula onde Eliete deveria ensinar matemática, criando uma situação insustentável para os evangélicos Pedro (Vinicius de Oliveira) e sua mulher Márcia (Sara Antunes), que está grávida. O casal se recusa a estar no mesmo espaço dos estudantes católicos e Eliete então se vê envolvida no confronto entre os grupos de alunos.

LEIA TAMBÉM

‘Amor de Mãe’: Nanda Costa comenta sobre a determinação de Érica

Concurso de redação

Se para Eliete o clima é de tensão, para Lucia, a noite parece começar bem: é hoje que ela anunciará o vencedor do concurso de redação, que garantirá a um de seus alunos a oportunidade de frequentar um cursinho pré-vestibular. A iniciativa foi organizada por um empresário, Seu Arlindo (Vanderlei Bernardino), que, chega à escola dizendo acreditar no poder da Educação. A ansiedade é grande entre as carteiras. Entre eles, Gislaine sonha em cursar medicina e nem imagina que foi a grande vencedora do concurso. Lucia entra na sala de aula, já sabendo do resultado da competição, mas, quando seu Arlindo é chamado para dar a notícia, uma surpresa:  “Maicon Douglas” é o nome que sai de sua boca. Incrédula, mas sempre destemida e com um forte senso de justiça, Lucia vai tirar satisfações com o empresário, que revela não poder dar a bolsa à aluna. “Ela é garota de programa! Seria constrangedor”, afirma o empresário, sem graça. Só que Lucia não deixa barato: “Constrangedor para quem? Para os alunos ou para o senhor?” Essa é mais uma batalha que ela enfrentará para defender seus estudantes, para desespero de Jaci, que está passando por um outro problema dentro do colégio, dessa vez de cunho pessoal. Seu filho Léo (Leonardo Bittencourt) é o mais novo estudante da Escola Estadual Carolina Maria de Jesus e flagra o pai, ainda casado com sua mãe, beijando a professora de português.

Teatro abandonado

Enquanto isso, Sônia não consegue dar aula por conta das goteiras no edifício, que acabam alagando o espaço em que ela e seus alunos estão. Jaci, então, se vê sem opção a não ser obrigar Marco André a ceder a sala de aula para a colega, que se mostra desconfortável com a decisão do diretor. Ser professor do ensino noturno significa contornar as dificuldades e é por isso que Sônia tem uma grande ideia para resolver o problema. Há tempos, a escola tem um teatro abandonado, que, com os anos, virou um depósito. Marco André vibra com o espaço, despertando em Sônia um sentimento há muito tempo perdido: a euforia em ensinar. Nesta noite, os alunos se preparam para uma aula dupla, de História e Artes, que vai terminar com uma grande surpresa, envolvendo Eliete, Gislaine e os alunos evangélicos e católicos, que tanto discutiram no começo da trama.

Segunda Chamada – conflito religioso

‘Segunda Chamada’ é uma coprodução da Globo com a O2 Filmes, escrita por Carla Faour e Julia Spadaccini com Maíra Motta, Giovana Moraes e Victor Atherino, criada por Carla Faour, Julia Spadaccini e Jo Bilac. Com direção artística de Joana Jabace, a obra conta com a direção de Breno Moreira, João Gomez e Ricardo Spencer.  A série vai ao ar às terças-feiras, logo após a novela ‘A Dona do Pedaço’.

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.