entrevista JP Rufino: “Pirulito foi uma homenagem ao grande Grande Otelo.”

0

JP Rufino faz Check-In no portal TV a Bordo pela segunda vez

entrevista JP Rufino: "Pirulito foi uma homenagem ao grande Grande Otelo."
foto Rodrigo Soares

por Warlen Pontes

Quando o entrevistamos pela primeira vez, JP Rufino já era um ator premiado (confira aqui). Mal terminou 2016, ano da primeira exibição de ‘Êta Mundo Bom’, e outro troféu o esperava: ‘Melhores do Ano’ (Domingão do Faustão). Acertou quem pensou Pirulito!

Depois da trama de Walcyr Carrasco, o carioca esteve na pele do Estilingue em ORGULHO E PAIXÃO (2018) e, recentemente, deu vida ao Miguel, da série ‘O Dono do Lar’, que já está em sua segunda temporada no canal MULTISHOW (disponível no GLOBOPLAY).

Em entrevista inédita ao TV a Bordo, JP Rufino revê com carinho a reapresentação do folhetim, no ‘Vale a Pena Ver de Novo’, e comenta a relevância que o personagem conquistou na vida dos telespectadores. “Muitas (pessoas) relatam o quanto o Pirulito tem importância em sua vida… algumas vezes por trazerem lembranças dos seus, que já partiram e que amavam o Pirulito, e que se sentem felizes por relembrarem o quanto de alegria Pirulito deixou aos seus”, comemora.

Senhoras e senhores, JP RUFINO

TV a Bordo – A novela ‘Êta Mundo Bom’, quatro anos depois, está de volta, só que desta vez no ‘Vale a Pena Ver de Novo’… você lembra da cena mais marcante? A mais difícil? Conte um pouco da sua relação com o Pirulito.

entrevista JP Rufino – Pirulito foi um personagem muito marcante! A minha relação e construção com o personagem foi assim de uma “paixão” imediata, e muita responsabilidade também. Pirulito não era apenas um ator “mirim” que interpretaria um menino de rua. Ele era uma homenagem ao grande Grande Otelo, e ter a função de representar um dos maiores é bem mais do que interpretar, é uma missão a cumprir.  Um personagem que não teria como se descuidar em nenhum momento, pois era de uma época muito diferente da minha. Gestos, postura, forma de falar e, até mesmo, a expressão um tanto caricata. Mas fluiu tão naturalmente que não tive dificuldades, sabe? E isso acabou me deixando tanto à vontade, que não tive nenhuma dificuldade. Já uma das cenas mais marcantes que posso citar é quando ele conta para Anastácia que não tem família. Infelizmente uma realidade de tantos meninos como ele… E que na hora de me colocar à essa situação não teve como não pensar e, de certa forma, não sofrer com a situação. 
LEIA TAMBÉM
TV a Bordo – Quando o entrevistamos em 2016, você disse sobre o Nanini e o Guizé, abre aspas: “Além de ser uma honra, sou fã dos dois, pois não são apenas atores maravilhosos, são pessoas maravilhosas, e nos damos superbem em cena e fora dela também.”, fecha aspas. Você deve ter histórias maravilhosas para contar dessa troca com eles. Pode elencar um top 3 de melhores momentos de bastidores?
entrevista JP Rufino – Sim! Continua e sempre será uma honra e realmente vai além de serem personagens cativantes, são pessoas maravilhosas! Durante todas as gravações tivemos uma parceria e sintonia pra lá de boa. E isso facilita e acaba sendo transmitido na cena. Foram muitos momentos, que vão do engraçado, do inesperado e de conselhos também.  Vou tentar listar três: Eu e o Guizé como passávamos muito tempo com o carrinho de pipoca, comíamos a pipoca “toda”, enquanto esperávamos as cenas, em algumas vezes, tinham que ser feitas (novamente) para repor as pipocas; Também íamos para o palco do cenário do “dancing” para cantar e tocar (ele no vocal e eu na bateria); Já com o Nanini também tivemos alguns momentos engraçados. Mas vou deixar registrado quando conversávamos e que ele elogiava minha interpretação, minha maturidade e que me qualificou como grande ator. (E ouvir em conversa de Nanini, não tem como não estar listado no top 3) né?! 
entrevista JP Rufino: "Pirulito foi uma homenagem ao grande Grande Otelo."
Pancrácio ( Marco Nanini ), Candinho ( Sérgio Guizé ) e Pirulito ( JP Rufino ) procuram pistas da mãe de Candinho. Foto: reprodução
TV a Bordo – Concordo com você. “Êta Mundo Bom” foi sucesso estrondoso de audiência à época de sua exibição original e, agora, tem registrado altos índices no ‘Vale a Pena’, em sua opinião, qual é o segredo do sucesso da obra?
entrevista JP Rufino – Sou da opinião de que se você faz o bem… recebe o bem, e “Êta Mundo Bom” é uma novela leve, de uma história que passa um misto de aprendizado de vida, de superação, de positividade, que faz com que as pessoas gostem do que está assistindo. O mundo já está tão difícil, as pessoas já tão cansadas de violências… de notícias ruins, que precisam resgatar e merecem receber os grandes valores da vida e do ser humano.
TV a Bordo – O que tem ouvido falar nas redes sociais sobre o Pirulito? Você está quase todos os dias no Twitter, comentando e compartilhando, o que as pessoas estão achando da novela?
entrevista JP Rufino – Como o próprio Ibope tem demostrado, as pessoas estão assistindo, acompanhando e curtindo muito rever.  Acompanho pelas redes e tenho esse retorno não somente em comentários, mas também por muitas mensagens recebidas, e muitas que me emocionam bastante. Sempre muito carinhosas, muitas de parabenizações pela interpretação, muitas ressaltando a minha parceria com o Guizé. Muitas relatam o quanto o Pirulito tem importância em sua vida… algumas vezes por trazerem lembranças dos seus, que já partiram e que amavam o Pirulito, e que se sentem felizes por relembrarem o quanto de alegria Pirulito deixou aos seus. E isso é de extrema gratidão e alegria para mim, por saber que pude contribuir de alguma forma para alegria de tantos.
E posso literalmente dizer que “Vale a pena ver de novo”.
TV a Bordo – Mudando de assunto, vamos falar do isolamento? O que tem feito nessa quarentena? Quais atividades tem feito? Aprendeu algo novo?
entrevista JP Rufino – Esse tempo de isolamento serve muito para um momento de reflexão, em que podemos enxergar e até mudar nossa forma de pensar e agir, que por muitas vezes acabamos deixando de enxergar. Esse período está sendo de algumas mudanças para mim. Tive uma perda muito grande, a qual deixou as coisas um tanto fora do lugar, e o que tenho feito é ler bastante e escrever (que é uma das coisas que sempre curtir fazer). Neste momento, poder exercitar minha mente é o que mais me deixa certo de que tudo seguirá, e fazer valer que: “tudo o que acontece de ruim…é para melhorar”.
TV a Bordo – Para fechar, qual é a mensagem que você deixa a todos neste momento tão difícil?
entrevista JP Rufino – Vamos acreditar! Vamos fazer cada um a sua parte da melhor forma possível, por mais que muitos façam o contrário. Vamos ter mais consciência, empatia, amor ao próximo. Vamos valorizar o que há de mais valor na vida….a Vida!
Confira recado especial do JP Rufino:

 

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.