‘Esporte Espetacular’ conta os 70 anos do Maracanã em dois episódios

0
70 anos do Maracanã
Edson Viana / foto Gustavo Rotstein

Os 70 anos do Maracanã – programa conta histórias sobre a construção do estádio e a relação da seleção brasileira com o local

São 70 anos de uma história feita de paixão, ídolos, conquistas, lágrimas, música e, claro, muito futebol. Em homenagem às sete décadas do Maracanã, completadas no dia 16, o ‘Esporte Espetacular’ estreia neste domingo, dia 21, um especial em dois episódios sobre o estádio que já recebeu duas finais de Copas do Mundo e virou patrimônio histórico do Rio de Janeiro. Um mergulho que vai desde a origem da ideia de levantar o gigante do futebol mundial até acontecimentos mais recentes, como o hospital de campanha montado para atender pacientes na luta contra o coronavírus e o retorno do futebol brasileiro em meio à pandemia.  
 
70 anos do Maracanã – primeiro episódio
No primeiro episódio, o repórter Edson Viana viaja até o fim da década de 1940 para contar detalhes da construção do Maracanã, inaugurado pouco antes da Copa do Mundo de 1950. O historiador Luiz Antonio Simas, que está escrevendo um livro sobre o estádio, conta que cerca de dez mil operários trabalharam na obra e que foram utilizados aproximadamente 500 mil sacos de cimento para deixar o Maior do Mundo de pé. “Esta obra é considerada uma das mais arrojadas do mundo em todos os tempos”, afirma o historiador.
LEIA TAMBÉM

Carioca 2020: Globo volta a transmitir competição estadual

A reportagem também mostra o quanto a história do estádio se confunde com a da seleção brasileira. Capítulos que vão muito além da tão falada derrota na final da Copa do Mundo de 1950. O maior público pagante; os títulos da Copa América de 1989 e 2019; da Copa das Confederações de 2013; e o tão sonhado ouro olímpico de 2016. Jogadores como Zico, Rivellino, Bebeto, Romário e Roberto Dinamite contam por que nenhum lugar do mundo os acolheu tão bem quanto o Velho Maraca.
 

50 anos do Tri
Outra série sobre a história do futebol brasileiro, “50 Anos do Tri”, presta uma homenagem a Fernando Solera, que narrou um dos tempos da final da Copa de 1970. Na época, havia um pool de emissoras para transmitir os jogos aos brasileiros e um sorteio dos narradores que trabalhariam nos jogos. A reportagem de André Gallindo promove um encontro do locutor com Galvão Bueno. Juntos, eles revivem os melhores momentos daquela partida histórica, com os comentários de Emerson Leão, terceiro goleiro da seleção brasileira no México. A gravação foi feita pouco antes de ser determinado o isolamento social por causa da pandemia do coronavírus.
 
Finais históricas
O programa também recorda duas finais estaduais históricas que marcaram o ano de 1995 no Brasil. No Rio de Janeiro, o gol de barriga de Renato Gaúcho deu a taça ao Fluminense sobre o arquirrival Flamengo, que comemorava o seu centenário e havia acabado de contratar Romário. O repórter Eric Faria conversa com alguns personagens daquela partida, como o técnico Joel Santana e o ex-volante Ailton. Em São Paulo, Felipe Brisola lembra que a final do Paulistão também não ficou para trás em termos de emoção. Só foi decidida na prorrogação, quando o Corinthians de Elivelton marcou e desbancou poderoso Palmeiras, então bicampeão estadual e brasileiro. A taça recheou um ano de conquistas do clube do Parque São Jorge, que venceu também a Copa do Brasil e a Copa São Paulo de Futebol Júnior. 
Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.