entrevista Jeniffer Nascimento: “A gente está vivendo a mesma tempestade, uns estão passando pela tempestade de iate, enquanto outros estão em cima de um tronco.”

0

Jeniffer Nascimento faz Check-In no portal TV a Bordo

entrevista Jeniffer Nascimento
foto Instagram

por Warlen Pontes

Se fôssemos encontrar uma definição para ela no dicionário seria assim: cantora. O seu canto é uma luz que dissipa as trevas. Atriz. Brilha como uma caipira para ninguém botar defeito! Assim é Jeniffer Nascimento. No ar como a Benedita dos Santos Pereira, a Dita, em ‘Êta Mundo Bom!’, a trama de Walcyr Carrasco, que tem alegrado as tardes dos brasileiros no ‘Vale a Pena Ver de Novo’.

Nesta entrevista ao portal TV a Bordo, a atriz carioca falou sobre os bastidores de ‘Êta Mundo Bom!’, a amizade com o saudoso diretor Jorge Fernando e a nova paixão em tempos de quarentena, ficou curioso?

Senhoras e senhores, Jeniffer Nascimento. 

TV a Bordo – Jeniffer, como recebeu a notícia da volta de ‘Êta Mundo Bom’?

entrevista Jeniffer Nascimento – Fiquei muuuuuito feliz com a notícia de que ‘ÊTA MUNDO BOM!” ia voltar, na verdade, a gente já tinha recebido essa notícia uma vez, né? Rolaram especulações de que ia voltar, aí veio ‘Avenida Brasil’… ah, pensei, na melhor hora vai acontecer! E não tinha hora melhor do que agora, uma novela leve, alegre, e acho que o povo brasileiro está precisando de alegria dentro dos seus lares neste momento.

TV a Bordo – O que  mais as pessoas comentam com você sobre a história nas redes sociais? O que mais a encantam?

entrevista Jeniffer Nascimento – O que as pessoas comentam comigo é a respiração boca a boca (risos), que a Dita dizia que engravidou fazendo respiração boca a boca, além do apelido que a Dita deu pra dona Cunegundes (Elizabeth Savalla), que é “dona boca de fogo”.

TV a Bordo – Como se preparou para viver a Dita e qual é a importância da persoangem em sua carreira?

entrevista Jeniffer Nascimento – Para fazer a Dita eu fiz aula de prosódia, porque ela era do interior de Minas, e ia pra fazenda, então, o meu sotaque era levemente diferente do resto das pessoas que estavam na casa, porque também ela tava chegando. E eu, particularmente, adoro explorar sotaques, acho essa parte muito legal do trabalho do ator. A Dita foi um papel incrível! Um grande presente na minha carreira! Quando eu passei para fazer a novela, teoricamente, a Dita não era um papel tão relevante; ela não tinha muitos conflitos, e eu comecei a manter uma relação muito legal com a Dhu Moraes (tia Manuela), a gente fazia uns gestos de espelho, e aquilo começou a prender os telespectadores mesmo não tendo falas, e a partir dali, a personagem começou a crescer, então, eu sou muito feliz com essa personagem ter caído no gosto do público e ter me proporcionado tanta coisa, sabe?

LEIA TAMBÉM

TV a Bordo – Quais são as cenas da Dita que você colocaria num top 3?

entrevista Jeniffer Nascimento – Eu amo a sequência do casamento da Dita e do Quincas (Miguel Rômulo)! O nascimento do Quincas foi uma sequência muito legal, uma sequência muito importante pra mim, porque eu nunca tinha feito um papel de uma mãe, eu não sou mãe, então, dar vida à essa cena foi um estudo, foi muito engrandecedor! Gosto muito também a que Cunegundes (Elizabeth Savalla) tenta subornar a Dita para ela ir embora com o filho, daí ela pega o dinheiro e joga a Cunegundes na lama dos porcos, e disse que ela deu o dinheiro pra ela. 

entrevista jeniffer nascimento
foto reprodução

TV a Bordo – Vamos falar do núcleo da Fazenda D Pedro II? Além de contracenar com monstros sagrados da dramaturgia brasileira, Ary Fontoura, Elizabeth Savalla, Flávio Migliaccio e Rosi Campos, entre outros, a diversão ali era garantida e o público se divertia também. Por essa linha, acredito que deve ter proporcionado momentos hilários de bastidores. Pode contar algum deles?

entrevista Jeniffer Nascimento – Eu sou muito feliz com o elenco que eu contracenava, foi um outro presente que ganhei com ‘Êta Mundo Bom!”. A gente costumava brincar que só o núcleo da fazenda poderia ser uma novela ou uma série à parte, porque aconteciam muitas coisas ali, tinha essa troca com atores tão experientes e foi incrível ver o quão grandes eles são: a Rosi Campos, o Ary, a Savala… a Rosi era exemplar, ela chegava sabendo o texto de todo mundo, se alguém esquecia o texto, ela já sabia o de todo mundo. Um momento marcante para mim foi o primeiro dia de gravação. Era uma cena, à noite, em que a gente ia na fazenda do lado para roubar umas galinhas e, daí, no meio da gravação, um boi que estava amarrado, se soltou e saiu correndo pra cima da gente em direção a uma carroça que (havia por ali)… a gente estava do lado da carroça… quando a gente viu aquele boi, todo mundo gritando, fugindo do boi, não sei como todo mundo conseguiu pular na carroça (kkkk) até a Savala conseguiu subir na carroça. Foi um momento hilário, foi muito engraçado (kkkkk).

entrevista Jeniffer Nascimento
foto reprodução / Jeniffer com Jorge Fernando nos bastidores de VERÃO 90

TV a Bordo – Você teve o privilégio de trabalhar com o saudoso diretor Jorge Fernando em ‘Êta Mundo Bom’ e, recentemente, em ‘Verão 90’. Quais são as melhores lembranças que guardou dele e o que tem levado para o seu aprendizado como atriz?

entrevista Jeniffer Nascimento –  Bem, a minha história com Jorge Fernando era antiga. Eu sempre gostei dele, desde quando ele trabalhava com a Xuxa. Eu tinha o DVD do espetáculo ‘BOOM’, que estava em cartaz. Eu o conheci em 2009 quando eu fazia ‘HAIRSPRAY’. Um dia, ele foi assistir ao HAIRSPRAY. Eu lembro que eu chorei, eu me emocionei muito quando o conheci. Eu sempre manifestei muito trabalhar com ele um dia, e sou muito feliz de ter podido trabalhado duas vezes, a segunda novela, inclusive, ‘VERÃO 90’ foi um convite. Eu guardo muitas lembranças dele… uma coisa que eu nunca me esqueço é que a gente tinha em comum a paixão por teatro musical. Eu falei pra ele que eu amava um musical chamado ‘MENPHIS’ e, no dia seguinte, ele chegou com o DVD do musical, que ele tinha comprado e me deu de presente. E eu tenho até hoje esse DVD. E outro fato marcante pra mim foi em ‘VERÃO 90’, que eu contei pra ele que tinha recebido o convite para fazer o musical da DONA SUMMER, na hora ele achou incrível, e falou: “Eu tenho que dá um jeito de colocar você para cantar Dona Summer na novela. Tem tudo a ver, é da época. Vamos inventar isso!”, aí, ele junto com as autoras Izabel de Oliveira e Paula Amaral desenvolveram o disfarce da Kika como a cantora mascarada, que era coisa que não estava escrito na trama. Sou muito grata a ele, que sempre me deu oportunidades muito boas. 

TV a Bordo – Vamos falar do isolamento? Como tem passado esses dias? Alguma composição musical?

entrevista Jeniffer Nascimento – Aproveitando para investir no autoconhecimento, assistindo documentários… rolaram composições novas, inclusive, uma delas eu até postei no meu Instagram que se chama ‘Não se cale por nada’, que eu fiz como uma mensagem para que as pessoas não se calarem contra qualquer tipo de opressão. Eu acho que é isso. Esse período é para a gente sair melhor do que a gente entrou, né? Diariamente, eu buscando fazer coisas novas, adquiri uma nova paixão que é a jardinagem (risos). Tenho muitas filhas plantinhas… agora que estou cuidando delas. Tenho desenvolvido novas habilidades.  

TV a Bordo – Qual é a mensagem que você deixaria para as pessoas neste momento tão difícil de pandemia?

entrevista Jeniffer Nascimento –  É um tempo de despertar, de reflexão, de gratidão, porque agora na pandemia a gente podendo ver o quão privilegiado nós somos. Muitas pessoas falam que a gente está no mesmo barco, mas na verdade, não, a gente está vivendo a mesma tempestade, uns estão passando pela tempestade de iate, enquanto outros estão em cima de um tronco, então, é muito importante a gente fazer essa reflexão diária, ser grato pelas coisas que a gente tem, entender os nossos privilégios e, principalmente, procurar entender de que forma os nossos privilégios podem ajudar ao próximo. Acho que esse tempo fala muito disso, a ‘terra’ pediu uma pausa para a gente refletir sobre os nossos valores, refletir se a gente estava dando a devida importância para as coisas que realmente importam. Façamos essa reflexão! Procuremos diariamente evoluir e sair desse período melhor do que entramos. 

TV a Bordo – Por último, gostaria que deixasse uma mensagem especial aos fãs de ‘Êta Mundo Bom’ e da Dita, em forma de cancão.

entrevista Jeniffer Nascimento – Os fãs de ‘ÊTA MUNDO BOM!” são um presente! Eu sou muito grata por todos que continuam acompanhando minha carreira. “ÊTA MUNDO BOM!” me trouxe uma diversidade de fãs e isso é muito legal. Você tem muito contato com todo tipo de público, famílias… eu fico muito feliz de ter essa troca com os fãs… eu sou essa pessoa muito família, sou essa pessoa que se importa com todos os membros da família, então, ter esse retorno, esse carinho dos fãs e de todas as idades é muito legal. É uma troca muito positiva, genuína. Quero aqui agradecer o carinho de todos! Espero que vocês continuem se divertindo com ‘ÊTA MUNDO BOM!” e deem boas risadas neste momento! 

A seguir, Jeniffer Nascimento deixou também, uma mensagem especial em forma de canção:

agradecimento à Mariana Meirelles

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.