entrevista Miguel Rômulo: “Dei o nome Quincas pro meu cachorro, então posso dizer que todos os dias tenho uma lembrança da novela.”

0

Miguel Rômulo faz CHECK-IN no portal TV a Bordo

entrevista Miguel Rômulo
foto Instagram

por Warlen Pontes

O ator Miguel Rômulo dá o ar da sua graça em duas produções que estão no ar: ‘A Favorita’, de João Emanuel Carneiro, no Globoplay, em que interpreta o Shiva, e o Quincas, na reapresentação de ‘Êta Mundo Bom!’, de Walcyr Carrasco, do ‘Vale a Pena Ver de Novo’.

Nesta entrevista ao portal TV a Bordo, o ator carioca revela o segredo do sucesso de ‘Êta Mundo Bom!’, fala da sua relação com o saudoso diretor Jorge Fernando e, ainda, nos conta como tem passado os dias de isolamento.

Senhoras e senhores, Miguel Rômulo.

TV a Bordo – A novela ‘Êta Mundo Bom’, quatro anos depois, está de volta, só que desta vez no ‘Vale a Pena Ver de Novo’… foi o seu primeiro papel como caipira? Como se preparou para vivê-lo? Se inspirou em alguém? Qual é a importância do Quincas em sua carreira?

entrevista Miguel Rômulo – Foi meu primeiro caipira. Guardo o Quincas em um lugar muito especial do coração e nas melhores memórias. Dei o nome dele pro meu cachorro Quincas, então posso dizer que todos os dias tenho uma lembrança da novela. Tivemos uma preparação muito especial para darmos vida aos caipiras com a genial Íris Gomes. Referências não faltaram.

entrevista Miguel Rômulo
Miguel Rômulo com o Quincas. A legenda da foto que é muito fofa: “Sempre guardo uma recordação de algum personagem, sim eu furto acervos das novelas. Mas fala sério, olha o Quincas com a boina do Quincas e melhore sua quarentena. Tem alguém assistindo a reprise de #etamundobom?” foto Instagram

TV a Bordo – Quais as cenas do Quincas que você colocaria num top 3?

entrevista Miguel Rômulo – Difícil dizer, principalmente por estar revendo. Todos os dias escolho uma preferida. Mas colocaria o casamento de Quincas e Dita em 1º; em 2º, a que ele pede à mãe pra ir até a cidade atrás da Sandra, acho que foi uma troca especial com a Savalla (Cúnegundes). E, em 3º, o incêndio na fazenda que foi muito bem feito pela nossa produção.

LEIA TAMBÉM

Audiência ‘Vale a Pena Ver de Novo’: ‘Êta Mundo Bom!’ bate recorde no Rio de Janeiro, iguala em São Paulo e voa alto na Globo

TV a Bordo – Vamos falar do núcleo da Fazenda D Pedro II? Além de contracenar com monstros sagrados da dramaturgia brasileira, Ary Fontoura, Elizabeth Savalla, Flávio Migliaccio e Rosi Campos, entre outros, a diversão ali era garantida e o público se divertia também. Por essa linha, acredito que deve ter proporcionado momentos hilários de bastidores. Pode contar algum deles?

entrevista Miguel Rômulo – Acho que o sucesso de uma novela só pode acontecer se a conexão de toda a equipe estiver positiva, e disso não podemos reclamar. Fui muito feliz não só com o elenco, mas com toda a equipe. Lembrar de “Êta” é lembrar de muitas risadas e alegria. Acho que momentos hilários foram muitos, difícil pensar em um. Mas sempre estávamos rindo, felizes por estarmos ali.

entrevista Miguel Rômulo
foto Instagram / Momento selfie bastidores de ‘Êta Mundo Bom!’ – em sentido horário: Rosi Campos, Camila Queiroz, Ary Fontoura e Miguel Rômulo.

TV a Bordo – Você teve o privilégio de trabalhar com o saudoso diretor Jorge Fernando em ‘Êta Mundo Bom’ e, recentemente, em ‘Verão 90’. Quais são as melhores lembranças que guardou dele e o que tem levado para o seu aprendizado como ator?

entrevista Miguel Rômulo – O Jorge era tudo que o Brasil conhece, um furacão, um professor e posso dizer que um “pai” para todo ator que tinha o privilégio de começar a carreira em alguma novela dele. Levei inúmeros puxões de orelha, e sei que todos foram pra eu me tornar o ator que sou. Numa das últimas vezes que o vi, estávamos gravando ‘Verão 90’. Ele estava com uma camisa com todas as novelas que dirigiu. Não pude deixar de procurar as que fiz enquanto ele nos dirigia. Mas ele sempre muito sagaz, me viu e sacou na hora. “Você tem algumas comigo aqui, né?”, eu disse que sim. Ele sorriu e falou que teríamos muito mais. O Jorge era isso.

TV a Bordo – “Êta Mundo Bom” foi sucesso estrondoso de audiência à época de sua exibição original e, agora, tem registrado altos índices no ‘Vale a Pena’. Em sua opinião, qual é o segredo do sucesso da obra?

entrevista Miguel Rômulo – A novela tem um segredo que não é segredo, uma obra precisa de identificação e principalmente dar alegria pra quem assiste. Nesse momento que estamos vivendo, ligar a televisão e assistir “Êta Mundo Bom!” é um alívio. Como diz o bordão: “tudo que acontece de ruim na vida da gente, é pra melhorar”. Uma ótima frase para nossos dias atuais.

TV a Bordo – Vamos falar do isolamento? Como tem passado esses dias?

entrevista Miguel Rômulo – Acho que um dia após o outro, sempre respeitando o distanciamento, usando máscara pra todo lugar que vamos, quando precisamos mesmo sair de casa. Nesse momento a empatia e o cuidado com o próximo são essenciais para acabarmos de vez com essa pandemia. Infelizmente, muitos não respeitam, mas sei que a maioria sim.

TV a Bordo – Qual é a mensagem que você deixaria para as pessoas neste momento tão difícil de pandemia?

entrevista Miguel Rômulo – Se puder fique em casa, use máscara e respeite o distanciamento social. Não brinque com algo que fez famílias perderem entes queridos.

TV a Bordo – Por último, gostaria que deixasse uma mensagem especial aos fãs de Miguel Ângelo.

entrevista Miguel Rômulo – Obrigado a todos que estão acompanhando a novela e obrigado aos que admiram meu trabalho. Faço isso com muito amor e quero sempre levar alegria para a casa de todos.

Agradecimento especial à Mariana Meireles

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.