‘Flor do Caribe’, um paraíso de novela

0

‘Flor do Caribe’: um cenário paradisíaco do Nordeste no Rio de Janeiro

'Flor do Caribe', um paraíso de novela
foto Globoplay
Em ‘Flor do Caribe’, a fictícia cidade de Vila dos Ventos está ambientada em Natal e nas diversas praias da região, no Rio Grande do Norte. Daí surgiu o primeiro grande desafio da equipe de cenografia da novela: criar cenários para compor na tela com as belíssimas paisagens da região. Uma das soluções encontradas foi buscar espaços ricos em natureza fora dos Estúdios Globo, como a Restinga de Marambaia, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O local abrigou a cidade cenográfica com a vila dos pescadores e a cabana onde Cassiano (Henri Casteli) e Ester (Grazi Massafera) se encontram, trazida diretamente da Praia da Pipa. A segunda e maior cidade cenográfica da novela foi construída nos Estúdios Globo e contou com um espaço de 8.350m². O local abrigou a cidade de Vila dos Ventos, a mansão de Alberto (Igor Rickli) e o sítio de Veridiana (Laura Cardoso) e Candinho (José Loreto). 
LEIA TAMBÉM
Gilson Santos, cenógrafo da novela, aproveitou a beleza da paisagem como pano de fundo. Foram construídas dunas com mais de quatro metros de altura para gravar cenas com Ester e Taís (Débora Nascimento). O trabalho foi resultado de meses de viagens e pesquisas até que a produtora de arte, Lara Tausz, construísse o ambiente que cerca Vila dos Ventos. Seu objetivo foi ressaltar o que era característico do Rio Grande do Norte. 
'Flor do Caribe', um paraíso de novela
Cidade Cenográfica Vila dos Ventos / foto Frederico Rozario

Cabana de Ester e Cassiano

Diante da riqueza cultural do Nordeste, outro desafio foi encontrar os elementos que retratassem especificamente a região. As pesquisas levaram a equipe a buscar objetos reais, como jangadas e barcos que foram compradas de um pescador, e a adquirir um dicionário com as gírias locais. Para a cabana de Ester e Cassiano, a equipe procurou um lugar rústico, abandonado, mas ao mesmo tempo que tivesse vida. Com a ajuda dos artistas plásticos locais, a cabana foi pintada e um painel, com tinta preparada com areia das falésias, foi desenhado na parede de madeira. A decoração foi feita com redes, palha e muita areia. 
  
Procissão dos barcos
A procissão dos barcos em Baía Formosa foi outro destaque. Com a ajuda da comunidade e dos pescadores, Lara Tausz e sua equipe colocaram no mar mais de cem barcos, todos enfeitados como se a procissão fosse real. Sempre atenta, coube à produção de arte o apreço aos mínimos detalhes como a escolha cuidadosa de todos os bugres que foram utilizados, a cor amarela que foi desenvolvida especialmente para o carro de Ester e os mais de 10 barcos originais que vieram para as gravações no Rio de Janeiro. 
Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.