‘Gênesis’ registra melhor estreia em novelas desde 2016, alcança 16 pontos de média e voa alto na Record TV

0

Estreia da Gênesis conquista vice-liderança absoluta em São Paulo e abre quase dez pontos de vantagem em relação ao SBT

'Gênesis' registra melhor estreia em novelas desde 2016, alcança 16 pontos de média e voa alto na Record TV
arte TV a Bordo

‘Gênesis’ liderou em Goiânia e conquistou a vice-liderança no PNT

Em sua estreia, que aconteceu na noite da última terça-feira, 19 de janeiro, a novela Gênesis garantiu a segunda posição absoluta na audiência de São Paulo. O lançamento ainda bateu recorde, consolidando a melhor estreia desde ‘Terra Prometida’, em 2016.

Estreia de Gênesis

O primeiro capítulo da superprodução apresentou sequências das criações do mundo segundo a Bíblia, do primeiro homem, Adão, e da primeira mulher, Eva, além da tentação do fruto proibido e da descoberta da gravidez de Eva. Um dos destaques também foi a aparição de Lúcifer em forma de lagarto. 

Vice-liderança absoluta em São Paulo

No ar das 20h59 às 22h04, a trama escrita por Camilo Pellegrini, Raphaela Castro e Stephanie Ribeiro, com supervisão geral de Cristiane Cardoso, e tem direção geral de Edgard Miranda, ficou quase dez pontos à frente do SBT, em terceiro lugar, ao conquistar 16,1 pontos de média, 18 pontos de pico e 22% de share, contra 6,6 da emissora de Silvio Santos.

Goiânia

Em Goiânia, a superprodução bíblica garantiu o primeiro lugar isolado: 21 pontos de média, pico de 24 pontos e share de 30%. A Globo, em segundo lugar, marcou média de 20 pontos.

PNT

Segundo dados do Painel Nacional de Televisão (PNT), Gênesis alcançou 15 pontos na média do Mercado Nacional, enquanto o SBT fechou o horário com 6 pontos. Ou seja: a produção da Record TV assegurou 9 pontos de vantagem, além de 17 pontos de pico e 23% de share.

Fonte: De acordo com a Kantar Ibope Media, cada ponto equivale a mais de 76 mil domicílios na Grande São Paulo.

Leia também

Entrevista Juliana Boller: “Eva é aquela mãe mesmo, que cuida e zela.”

Em dois meses de preparação, a atriz Juliana Boller buscou o entendimento da história com o suporte do historiador Maurício dos Santos e da preparadora de elenco Fernanda Guimarães. “Tivemos uma preparação muito intensa, com tempo médio de sete horas por dia. Foram quase 15 encontros só de leitura de texto e de todas as cenas até chegar no set de gravação…”, contou Juliana.

CONTINUE LENDO

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.