Estreia da segunda temporada do ‘The Voice Mais’ eleva audiência da faixa de horário em São Paulo, no Rio de Janeiro e voa alto na TV Globo

0

Estreia da segunda temporada do ‘The Voice Mais’ voa alto na TV Globo

Estreia da segunda temporada do 'The Voice Mais'
foto João Miguel Júnior / arte TVaBordo / técnicos e apresentadores do reality show da TV Globo

Neste domingo, 30 de janeiro, a TV Globo levou ao ar o primeiro episódio da segunda temporada do ‘The Voice Mais’, e com Ibope em alta. A estreia do The Voice+ elevou a audiência em 8% no horário em que o programa foi exibido (14h20 às 15h50), tanto em São Paulo quanto no Rio de Janeiro. Nessas praças, o programa incrementou a média de audiência em mais um ponto em relação aos quatro domingos anteriores.

ASSISTA NO GLOBOPLAY

‘Pecado Capital’ versão 1975: Francisco Cuoco fala sobre trama de Janete Clair

The Voice Mais

A atração sob o comando de André Marques e Thaís Fersoza assinalou 13 e 14 pontos de audiência, com 25% e 28% de participação, em São Paulo e no Rio de Janeiro, respectivamente. Esses índices retratam um crescimento de mais um ponto (+8%) de audiência na média da faixa em comparação com os quatro domingos anteriores.
 
Faixa vespertina

A estreia do reality show musical também teve impacto positivo no desempenho da TV Globo na faixa vespertina (12h às 18h) nessas duas praças. Na comparação com as quatro semanas anteriores, a emissora teve um aumento de mais 9% (+1 ponto) na média de audiência da faixa em São Paulo (12 pontos e 25% de participação) e de 8% (+1 ponto) no Rio de Janeiro (13 pontos e 27% de participação).

Fonte: De acordo com a Kantar Ibope Media, cada ponto equivale a mais de 74 mil domicílios na Grande São Paulo e mais de 47 mil domicílios na capital fluminense.

A seguir, conheça os primeiros aprovados na competição:

Maurício Gasperini – 61 anos | São Paulo – SP

Com 40 anos de carreira, as experiências de Maurício são vastas. De cantor de barzinho a vocalista da Rádio Taxi, Maurício já integrou a banda de apoio de Rita Lee, esteve em festivais internacionais, cantou com muitas vozes conhecidas, é compositor e foi diagnosticado com câncer nas cordas vocais, condenado a nunca mais cantar, caso sobrevivesse. Maurício está vivo, cantando, ministrando palestras sobre sonhar e conquistar, e deseja poder incluir o ‘The Voice+’ nas próximas. Seu sonho é ganhar o troféu e retornar às paradas de sucesso. No palco da atração, ele chegou emocionando a todos com a canção “Começo, Meio e Fim”, composta por Ney Azambuja, Paulo Sérgio Valle e Tavito. Maurício é do Time Ludmilla.

Acaciamaria – 85 anos | Aracaju – SE

Amiga e frequentadora das festas de Cartola e Zica, Acaciamaria sempre cantou por hobby, tanto para amigos ou para clientes de barzinhos. Sem abandonar a carreira de enfermeira, ela gravou um CD com 13 músicas de sua autoria, publicou três livros de poemas e apresentou programas de rádio na Bahia e em Sergipe, para os quais também produzia e cantava. Descobriu o ‘The Voice+’ por meio de um amigo taxista e, mesmo evitando a ansiedade e deixando as expectativas de lado, já considera uma grande vitória entrar no programa. Sua estreia no palco do ‘The Voice+’ foi com “As Rosas Não Falam”, clássico de Cartola. Acaciamaria é do Time Brown.

Atilio Ancheta – 73 anos | Porto Alegre – RS

Uruguaio, o ex-zagueiro que já disputou partidas com Pelé na aclamada Copa de 70 usava os momentos das concentrações antes dos jogos para cantar. Participou de uma banda folclórica em sua cidade natal, aos 13 anos, e depois de deixar o seu último clube, o Grêmio, gravou um CD com dois amigos músicos e passou a fazer shows em Porto Alegre. Ancheta nunca deixou de cantar: apresentava-se em rádios e TVs locais, clubes e bailes, e com a pandemia passou a fazer algumas lives com seu filho, que o inscreveu para o ‘The Voice+’. Sua expectativa é melhorar sua técnica cada vez mais, pois tudo o que sabe, aprendeu sozinho. Atilio chegou ao palco do ‘The Voice’ mostrando que é craque também fora do campo e impressionou os técnicos com sua voz ao cantar “Tuyo”, sucesso de Rodrigo Amarante. Atílio é Time Fafá.

Narriman Senden – 65 anos | Valinhos – SP

Cantora de karaokê e vencedora dos cinco concursos musicais que participou, a descendente de sírio-libaneses se intitula como “muito árabe” e se considera mandona, alegre, simpática, de temperamento forte e ótima cozinheira. Outra tradição que traz como herança é a música: sua mãe cantava as Rainhas do Rádio, enquanto seu pai preferia música árabe e tango. A mulher que se considera uma pessoa noturna e à frente de seu tempo nunca cantou em um palco tão grandioso quanto o do ‘The Voice’, e acredita que a plateia é a alma de tudo: “quem canta quer ter um monte de gente ouvindo”. Em sua apresentação, Narriman Senden surpreendeu ao escolher “Rehab”, música de Amy Winehouse e causou com seu estilo único. Narriman é Time Toni.

Cássia Portugal – 63 anos | Brasília – DF

Comemorando bodas de prata com a música, Cássia teve as igrejas como palco dos 7 aos 21 anos, influenciada pelos pais que cantavam em corais. Escrevia poesia e cantava em rodas de violão com os amigos da faculdade, mas seu sonho era se formar e ter uma família. Aos 31 anos, a mulher que já se sentia realizada, resolveu fazer aulas de canto e foi muito elogiada em um curso de verão por Jane Duboc, de quem se declara fã. Após seis meses trabalhando como backing vocal, ela já fazia as suas apresentações solo em bares e casas de espetáculos. A princípio queria cantar rock, mas se apaixonou pelo samba, ritmo ao qual dedica a grande maioria de suas composições. Gravou um disco autoral e um DVD, e posta seus videoclipes na internet. Acredita que entrar no ‘The Voice’ é o sonho de todo artista. Cássia Portugal se emocionou ao pisar no palco da disputa e se apresentou com “Minha Missão”, de João Nogueira e Paulo César Pinheiro. Cássia é Time Fafá.

Arlindo Moita – 78 anos | Olinda – PE

Dono de uma personalidade contagiante, Arlindo sempre teve a música presente em sua vida. Aprendeu de ouvido a tocar triângulo, zabumba, pandeiro e sanfona, e fez parte de várias bandas, nas quais também cantava. Sabendo aproveitar oportunidades, já tocou com Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Carmélia Alves e em uma turnê de Genival Lacerda. O apelido ‘Moita’ vem dos tempos em que tocava em uma banda folclórica e todos usavam nomes de cangaceiros de Lampião. Com sete CDs independentes, o também compositor enxerga o ‘The Voice+’ como a chance de ter a visibilidade que sempre sonhou. Arlindo chegou ao palco cativando a todos com sua apresentação de “É Proibido Cochilar”. Arlindo é Time Fafá.

Marina Tartarini – 71 anos | São Paulo – SP

Praticante de Kung-Fu há 15 anos, a ganhadora de todos os programas de calouros que já participou começou a cantar na Rádio Tupi aos cinco anos. Cantou na TV, em clubes, participou de um trio infantil, mas nunca pôde se dedicar exclusivamente à música. Aos 19 anos, se afastou da carreira e somente aos 35 resolveu se dar uma nova chance: gravou um novo disco e foi cantar em bares e casamentos. Marina subiu ao palco do ‘The Voice+’ se apresentando com “Black Is Beautiful”, música que se popularizou na voz de Elis Regina, no começo dos anos 70. Marina é Time Brown.

Alba Lirio – 71 anos | Nova Friburgo – RJ

Apaixonada pela cultura mundial, a pesquisadora de música formada em conservatório Alba Lirio deseja levar o melhor do Brasil para o ‘The Voice’. Dona de uma escola de música no Rio de Janeiro, com sede na Califórnia e representantes por todo o mundo, sempre viaja pelo Brasil e para a Índia a estudo, e aprende não só sobre música. Já foi coach do elenco da novela ‘Caminho das Índias’, locutora de rádio, entrevistou Cazuza e o Queen, participou de uma companhia de dança no Rio de Janeiro e se apresenta em festivais de música pelo mundo. Canta nas praças de sua cidade com uma parceira violonista, e caso ganhe o ‘The Voice+’, deseja montar uma rádio web, pois tem o olho no futuro. “Para Ver as Meninas”, clássico de Paulinho da Viola, foi a canção escolhida por Alba Lirio, que agora é Time Toni.

Dionisya Moreira – 90 anos | Juiz de Fora – MG

Premiada com o título de cidadã ilustre de sua cidade, a animada cantora diz não sentir o peso da idade: faz ginástica, teatro e é intérprete de um bloco de carnaval, no qual também já foi rainha por cinco vezes. Cheia de troféus e medalhas, cantava em programas de rádio, e já abriu apresentações de nomes ilustres como Maysa, Cauby Peixoto, Nelson Gonçalves e Ângela Maria. Enquanto o primeiro marido a impedia de cantar (ficou anos longe da música), o segundo é seu empresário e incentivador. Diz não objetivar o prêmio; sua expectativa com o ‘The Voice+’ é cantar para o mundo todo ouvir. “Gostoso Demais”, de Dominguinhos, e foi a canção escolhida. Dionisya é Time Brown.

Chico Aafa – 67 anos | Goiânia – GO

Morador de uma vila ecológica em área de preservação ambiental, o cantor, compositor, violonista, baterista e gaitista enxerga luzes e cores, mas não as formas. Tendo sofrido de catarata congênita em seu nascimento, possui apenas 2,5% da visão, o que não o impede de performar. Aprendeu a cantar ouvindo ‘Secos e Molhados’ e sua voz costuma ser comparada à de Ney Matogrosso. Apaixonado pela sonoplastia das radionovelas e por trilhas sonoras, seu sonho é ter uma de suas canções embaladas em uma novela da Globo. Mesmo tendo viajado o Brasil cantando músicas autorais e covers com seu parceiro violonista Felipe, Chico vê o ‘The Voice+’ como a grande oportunidade de sua vida. Com “A morte do vaqueiro”, música de Luiz Gonzaga, Chico Aafa agora é Time Ludmilla.

Lucinha Bosco – 76 anos | Santa Luzia – MG

Foi a partir de um concurso de novas composições, em que seu samba e marchinha foram rejeitados, mas sua voz aclamada, que Lucinha iniciou a sua carreira de cantora na rádio Inconfidência. Morou por longas temporadas no Rio de Janeiro, na Pensilvânia e no Japão, cantando em hotéis. Integrante do Coral Melodia, em Belo Horizonte, faz parte da velha guarda do samba, que se reúne toda quarta-feira em um espaço cedido por uma universidade, e está produzindo um CD com sambas inéditos de compositores mineiros. Acredita que pisar no palco do ‘The Voice+’ será um prazer e uma grande oportunidade. Com a música “Pedacinhos do Céu”, Lucinha é Time Toni.

Ao todo, 48 vozes – 12 em cada time – serão aprovadas na primeira fase do programa, mas apenas uma levará pra casa o prêmio de R$250 mil e um contrato com a gravadora Universal Music.

Veja como estão os times até o momento:

Time Brown: Dionisya Moreira; Marina Tartarini; Acaciamaria

Time Fafá: Arlindo Moita; Cássia Portugal; Atilio Ancheta

Time Ludmilla: Maurício Gasperini, Chico Aafa

Time Toni: Lucinha Bosco; Alba Lirio; Narriman Senden

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.