‘Profissão Repórter’ e o uso da cannabis medicinal

0

Desmistificar para tratar: as histórias de quem vem optando pelo uso da cannabis medicinal

cannabis medicinal
Cannabis medicial em óleo é alternativa para tratamentos de doenças de difícil controle, entra elas o autismo

Conhecida pela propriedade terapêutica, a erva tem sido utilizada no tratamento de doenças de difícil controle, como autismo

Os questionamentos sobre o uso da cannabis medicinal como alternativa para tratamentos de doenças de difícil controle, entra elas o autismo, a epilepsia e, até mesmo, alguns casos de câncer ainda existem, mas os avanços estão acontecendo. O ‘Profissão Repórter’ desta terça-feira, dia 2, mostra iniciativas que estão dando certo. É o caso da cidade de Búzios, no Litoral Fluminense, que aprovou, no fim do ano passado, uma lei municipal garantindo o uso e a distribuição de cannabis medicinal na região. Desde então, cerca de 300 crianças e adolescentes com autismo ou epilepsia estão sendo tratados com a erva e respondem com bons resultados.

Autismo

Um deles é Nykollas, de três anos. Diagnosticado com autismo recentemente, faz uso do óleo da erva há pouco menos de um mês. “A professora falou que depois que ele começou a tomar o remédio, ele aprendeu muita coisa, estava desenvolvendo coisas que ele não fazia”, diz a mãe do menino, Lidiane Oliveira. Os repórteres Julia Sena e Alex Gomes estiveram na cidade da Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, onde, além de terem conhecido Nykollas, também acompanharam a rotina de Ítalo Barreto, um menino autista de cinco anos, outro beneficiado pela ação do município de Búzios. A avó, dona Maria Barreto, que também é sua responsável, se surpreendeu com a melhora do neto a partir do tratamento com o óleo feito da cannabis.

ASSISTA NA TV GLOBO

TV Globo exibe os dois primeiros episódios de ‘Rensga Hits!’ no ‘Cinema Especial’

Núcleo de Cannabis Medicinal

Em São Paulo, o jornalista Caco Barcellos foi ao Hospital Sírio Libanês, onde no ano passado foi criado o Núcleo de Cannabis Medicinal. Lá, encontrou Ana Vitória, de apenas quatro anos. Há três meses, a criança vem sendo medicada com óleo de cannabis após receber o diagnóstico de autismo severo. Os pais de Ana Vitória importam dos Estados Unidos o frasco do remédio ao custo de até R$ 5 mil, a unidade. Há uma queda considerável no valor dos óleos nacionais: produzidos por associações que têm autorização judicial para esta finalidade, os produtos custam, em média, R$ 400 cada fraco de 30ml. Para grande parte dos brasileiros, este preço é ainda considerado alto.

“Mulheres e Mães Jardineiras”

Os repórteres Chico Bahia, Leandro Matozo e o técnico de som Márcio Veloso conhecem o projeto “Mulheres e Mães Jardineiras”, de São Paulo, que oferece cursos e suportes jurídico e médico a mulheres que querem cultivar cannabis para fazer o óleo em casa. Com ajuda deste projeto, Fernanda Athagami conseguiu na justiça o direito de plantar cannabis em casa. “Além da questão do custo, tem também a qualidade do óleo. Se eu planto eu sei a procedência que tem”, diz Fernanda, mãe do Rafael, de 11 anos, que sofre de autismo severo.

‘Profissão Repórter’

O ‘Profissão Repórter’ desta terça, dia 2, vai ao ar depois da série ‘Filhas de Eva’.

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.